Rondônia Agora
Ler Últimas Notícias

Procurar por

Polícia

Terça-feira, 8 de junho de 2010 - 08:32

Em garrafas pet

Bando é preso após transportar drogas de Rondônia a Natal

862010-093218-61100.jpg
A Polícia Federal (PF/RN) já apreendeu quase 100 quilos de droga entre crack e pasta base de cocaína esse ano. Na madrugada de domingo, seis policiais federais, com o apoio de mais 12 PMs, encontraram 40 quilos da droga em uma casa em Ceará-Mirim. Na operação, sete pessoas, sendo um natalense, um de Ceará-Mirim e cinco de Rondônia, foram presas por tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Alex RégisQuarenta quilos de crack e pasta base foram apreendidos durante a operação da Polícia Federal que teve o apoio da Polícia MilitarQuarenta quilos de crack e pasta base foram apreendidos durante a operação da Polícia Federal que teve o apoio da Polícia Militar
A estimativa da PF é de que seria possível produzir 80 mil pedras com os 40 quilos de droga apreendidos. Negociadas ao valor de R$ 5, renderia R$ 400 mil. “Com a quantidade de droga acreditamos que seria possível abastecer toda Grande Natal”, afirmou o delegado e superintendente da PF/RN, Sandro Luciano Carom.

Segundo o delegado, a operação foi resultado de um trabalho de levantamento de alguns possíveis pontos de comercialização de droga no Estado, que a PF está realizando há alguns meses. Em Ceará-Mirim, o trabalho começou no início de maio. “Os policiais encontraram um carro modelo Fiat Uno com a placa da cidade de Ouro Preto do Oeste, de Rondônia, em Ceará-Mirim e começaram a fazer diligências pelo local”, contou

Após seguir o veículo, os policiais constataram que ele estava em poder de um grupo de cinco pessoas, todas de Rondônia, que estava hospedado em uma pousada em Ceará-Mirim. Com os viajantes, havia um outro carro, um Voyage, de placa da cidade rondoniense de Ji-Paraná. “Nossa desconfiança aumentou quando esse grupo se encontrou com um rapaz, morador da zona Norte , que é irmão de um traficante preso no início do ano passado, também pela Polícia Federal”, contou Carom.

Por volta da meia-noite de domingo, os policiais federais decidiram abordar o grupo quando eles saiam com os dois carros de uma casa na avenida Casa Grande, em Ceará-Mirim. “Abordamos o grupo, eles confessaram que estavam com a droga e que ela havia sido escondida dentro da casa. Entramos lá e encontramos um outro rapaz morador de Ceará-Mirim, que já tinha outras duas passagens pela polícia por tráfico”.

Droga estava dentro de garrafas pet

Das cinco pessoas que trouxeram a droga de Rondônia, uma delas se disse a responsável pelo transporte da droga e que havia chegado a Ceará-Mirim naquele dia. O crack havia sido transportado dentro de garrafas “pet” no tanque de combustível dos dois veículos.

“Um dos motivos, além da placa, que chamou a atenção dos policiais foi o fato de o Uno ter um forte cheiro de gasolina. Isso é um indício que o combustível foi retirado para a colocação da droga. Mas, é percebido apenas quando há certa experiência por parte dos investigadores. Mesmo se eles tivessem passado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), dificilmente seriam pegos, visto que os documentos dos veículos estavam todos legais e não levantariam suspeitas”, explicou o delegado.

De Rondônia para Natal são, aproximadamente, 5 mil quilômetros e a viagem, de carro, dura em média quatro dias. Como já é de praxe da PF, nenhum nome dos envolvidos pôde ser divulgado. Pelo menos, até que a investigação seja concluída. “Acreditamos que a quadrilha seja maior e esse foi apenas o início das investigações. Vamos tentar descobrir qual a rota utilizada para chegar até o Brasil porque, provavelmente, a droga veio da Bolívia”. Segundo o delegado Carom, os sete presos devem ser indiciados por tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Em pouco mais de seis meses, a Polícia Federal já apreendeu, com mais esses 40 quilos em Ceará-Mirim, aproximadamente 100 quilos de crack e pasta base de cocaína, que é utilizada para a fabricação da droga. De janeiro a abril deste ano, a PF retirou de circulação 54,8 quilos, número que já era duas vezes maior que o total apreendido nos 12 meses do ano passado, quando foram apreendidos 26,5 quilos.

Fonte: Tribuna do Norte

Autor: Tribuna do Norte

Versão para impressão Indique este arquivo Comente a notícia

Articulistas

Clickweb Agência Digital