Rondônia, terça-feira, 24 de outubro de 2017
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Política

Publicado em Segunda, 15 de Junho de 2009 - 10h34

GERENTE DA EUCATUR, ADVOGADO DE GURGACZ E MÃE DE VIGILANTE CONFIRMAM ARMAÇÃO EM GRAVAÇÃO DE VÍDEO

RONDONIAGORA


GERENTE DA EUCATUR, ADVOGADO DE GURGACZ E MÃE DE VIGILANTE CONFIRMAM ARMAÇÃO EM GRAVAÇÃO DE VÍDEO
Um fato superveniente pode mudar completamente os rumos do processo de cassação no Tribunal Superior Eleitoral do senador Expedito Junior (PR-RO) e do governador Ivo Cassol (sem partido). O Rondoniagora disponibiliza três vídeos em que aparecem o advogado de Acir Gurgacz, José Cristiano Pinheiro, o gerente da Eucatur, Maximino Bedim, e a mãe do vigilante Jayrrison Adriano falando claramente sobre pagamento para manter a versão de compra de votos nas eleições de 2006. O esquema foi montado pelo ex-presidente da Assembléia Legislativa de Rondônia, ex-deputado Carlão de Oliveira (PSL), de dentro da cadeia no Centro de Correição e seria uma vingança pelo que o governador Cassol havia feito ao entregar fitas das propinas ao Fantástico, na qual resultaram nas prisões de Carlão e outras pessoas envolvidas na chamada Operação Dominó.O ex-assessor de Carlão de Oliveira, Rodrigo Batista, um dos executores do plano contra Expedito e Cassol, cansou de esperar um cargo de confiança no Senado prometido por Bedim e resolveu levar o assunto ao conhecimento da Polícia Federal em Brasília. Seu depoimento aconteceu na sexta-feira pela manhã e a PF encaminhou os documentos e as fitas gravadas por ele à superintendência em Rondônia, responsável pelo inquérito. Rodrigo revelou que os vigias que acusaram de compra de votos o governador Ivo Cassol e o senador Expedito Júnior receberam e recebem vantagens financeiras do empresário Acir Gurgacz. O pagamento, segundo ele, é feito na sede da Eucatur.

Nas fitas, Maximino Bedin e o advogado José Cristiano revelam detalhes do acordo com os vigilantes, que hoje estão no programa de proteção as testemunhas. A gravação mostra que o grupo de Acir está preocupado com o vazamento de informações. (CLIQUE E CONFIRA OS TRÊS VÍDEOS)

Veja um trecho do vídeo:

(Rodrigo) : “... Largaram a gente na mão...”

(Maximino Bedim) “...O cara é senador da república porra”

Em outro trecho da gravação Bedin e o advogado Cristiano reclamam das cobranças do irmão do vigilante Edemilton Viera Pimentel, também ex-assessor de Carlão de Oliveira conhecido como DJ.

(Cristiano) “... Todo mês não sai o dinheiro?.”

(Cristiano) “... Para todo mundo”

Em outros trechos, os personagens dessa armação se mostraram nervosos com as constantes cobranças dos vigilantes. Chegam a dizer que o dinheiro sai todo mês e que não precisam de cobranças, ainda mais na sede da Eucatur. Por conta disso, duas funcionárias, que sabiam do esquema e que conheciam o governador, foram demitidas. “Paguei tudo certinho”, disse Bedim ao interlocutor que o gravou. Cristiano chegou a pedir o número da conta corrente da mãe de um dos vigilantes para depositar o dinheiro. A senhora negou e disse que não concordava com a encenação. Além de R$ 2.500,00 os vigilantes receberiam uma casa (não se sabe o valor) e um veículo, também de marcas e valores desconhecidos.

Veja mais um trecho da gravação:

(Rodrigo): “Ele falou pra senhora o acordo que foi feito na Eucatur, com o Acir?”

(Mãe do vigilante): “...achei muito...a infantilidade”

(Mãe do vigilante): “...sabe o que eles queriam?...”

(Mãe do vigilante): “... Que eu desse o número da minha conta pra depositar o dinheiro na minha conta. Eu falei: negativo. Não quero de jeito nenhum. Eu não quero carro, não quero dinheiro, não quero nada de ninguém. Pra isso eu trabalho, não preciso...”

Jornal de Acir diz que “fitas são boatos”

O empresário Acir Gurgacz (PDT), derrotado nas eleições para o Senado, usou mais uma vez o jornal Diário da Amazônia nesta segunda-feira para tentar desqualificar a nova prova apresentada aos autos no TSE. O informativo diz que Expedito Junior está criando factóides (mentiras) e que os vídeos não passam de “boatos”. Na realidade, Acir Gurgacz nunca pensou que seu advogado, Cristiano Pinheiro, e seu homem de confiança na Eucatur, Maximino Bedim, seriam tão ingênuos de cair numa gravação do ex-assessor de Carlão de Oliveira. As fitas são incontestáveis e estão em poder da Polícia Federal em Brasília.

Veja a seguir toda a degravação das fitas:

Os personagens citados nas gravações

Rodrigo Batista Balcazar: ex-assessor de Carlão de Oliveira, autor das gravações e da denúncia da armação de compra de votos

Mãe do Jayrrison Adriano: mostra-se indignada com a armação

DJ: assessor de Carlão de Oliveira, irmão do vigilante Edemilton Vieira Pimentel. É ele quem pega o dinheiro na Eucatur e distribui para os demais integrantes do grupo.

Luzimaia: mulher do DJ

Mota : Ednaldo de Souza Mota (vigilante)

Jarina : ex-presidente da Associação dos Servidores da Assembléia Legislativa

Damião : “Marido” de Jayrrisson Adriano, também vigilante

Cristiano: advogado da Eucatur e de Acir Gurgacz, derrotado na eleição para o Senado

RODRIGO, BEDIM e CRISTIANO, no prédio da EUCATUR, no dia 18 de maio de 2009.
.

RODRIGO – Acabei de perguntar a mulher por ti, lá.

CRISTIANO - Qual mulher?.

RODRIGO – A recepcionista. Alô, lá na frente.

CRISTIANO - E aí, beleza?.

RODRIGO - Deixaram a gente na mão, CRISTIANO.

CRISTIANO - Quem deixou quem?.

RODRIGO - Largaram a gente na mão, CRISTIANO.

CRISTIANO - Eu?.

RODRIGO - Largaram o DJ na mão, no dia da campanha.

CRISTIANO – O DJ também...! Sem comentários, né?.

CRISTIANO - O governador Cassol, numa briga que ele teve com Júnior, semana retrasada, uma briga que ele teve com Júnior....

BEDIM - antes da eleição.

CRISTIANO - Antes da eleição. Uma briga, briga. Ele brigou com o Júnior. A Ivone Cassol falou pro Júnior... o Júnior foi lá exigir um monte de coisa pro Cassol, lá na fazenda. Lá, a Ivone, dona Ivone, deu de dedo na cara dele, e falou: "Olha! Se hoje nós estamos tomando no cu de verde e amarelo é por sua culpa, o que você foi burro, por que você é isso..., você é aquilo... " e o pau torou. Isso, quem falou para nós foi gente ligada que estava lá na hora, que é conhecido nosso. Aí o governador falou: "Júnior, você só não pegou ainda porque você não quis. Até hoje os caras tão indo lá receber dinheiro do BEDIM, do pagamento".

RODRIGO - Os caras são muito relacionado.

CRISTIANO - Mas, aí, como? Eu não sei pontos é isso que eu pergunto: como? De repente...o DJ... eu não sei!.

BEDIM - O DJ vinha todo dia aqui.

CRISTIANO - Entendeu o que quer dizer?.

BEDIM - O cara é senador da república, porra!.

RODRIGO - A gente avisa o DJ para não vir aqui.

BEDIM - O cara me liga 2, 3 vezes.

CRISTIANO - O cara pediu pro Oswaldo, que o técnico lá do... o cara, porra loca.

BEDIM - Ali no mural, na parte do vidro.

(todos falam ao mesmo tempo).

BEDIM - ... não tem nem como ajudar. O homem não se cuida. Entendeu?.

CRISTIANO - ...falou que tá todo mundo junto. Caramba!.

BEDIM - ... DJ, você não pegou teu dinheiro?

CRISTIANO - Todo mês não sai dinheiro?

RODRIGO - Mas... você não falou para ele que é para ele não vir aqui, BEDIM?.

CRISTIANO - Um milhão de vezes. Um milhão de vezes.

BEDIM - Ele, vira e mexe esta aqui. Vira e mexe.

RODRIGO - É foda, porra!.

BEDIM - Entendeu? Quer dizer... sabe o que ele veio fazer esta semana aqui? Olha só o que ele veio fazer. Eu nem te falei isso.

RODRIGO - Eu vou falar com o DJ agora, às 6h, lá... eu vou falar com ele.

BEDIM - Aqui, ó, aqui ó! Esta semana, o dia... dia 13 ou 14, ele veio aqui para saber que dia que vai cair o negócio para receber, e onde vai ser.

CRISTIANO - Eu não acredito!.

BEDIM - Eu não acredito, meu deus!.

CRISTIANO - Aí o cara vem....

RODRIGO - Ele não sabe que o senhor avisa antes?!.

BEDIM - Na verdade ele quer apertar..pegar esses funcionários aqui atrás e apertar... vocês viram se não é...

CRISTIANO - Para todo mundo...

RODRIGO - Deixa até o do Carlão na reta.

CRISTIANO - Você sabe o que nós tivemos que fazer? Sabe o que tivemos que fazer depois que nós ficamos sabendo dessa do Cassol? Nós demitimos duas funcionárias que ficavam aqui , que conhecem ele.

BEDIM - Eu não tô brincando. Tô falando sério. Para vocês eu não preciso brincar. O RODRIGO é diferente.

BEDIM - Rodrigo, eu demiti duas funcionárias. Paguei tudo certinho....

RODRIGO - O Carlão não tá sabendo disso não, BEDIM.

CRISTIANO - Você entendeu o que eu quis dizer! O pepino foi tão grosso. As únicas pessoas que tinham contato com ele eram duas mulheres, aqui, né?.

BEDIM - Demiti!.. aí nós perdemos...

RODRIGO - Ele falou para a gente, né? Não que eu fui lá com o BEDIM... ele falou para mim, BEDIM... deixa explicar aqui... ele falou para mim. Chegou lá com a gente, falou: "Eu fui lá com o BEDIM...". É negócio de 3 ônibus deles, né?.

CRISTIANO - não, mas ele queria....

RODRIGO - Deixa eu falar aqui, CRISTIANO. Aí ele falou para mim: "Não! Que eu falei com o BEDIM. Não sei o por que o pessoal negou para mim. Não sei porque". Não, DJ. Vamos ver isso direitinho por que alguma coisa deve ter dado errado lá, mas não pisou na bola, não. Ele: "Não, porra! Ele veio falar para mim que o negócio vazou, não sei o que. E está achando que a gente é moleque".

BEDIM – Eu não sei se vazou da parte dele. Não sei. Mas que os home tão sabendo, tão; que tão sabendo tão. Agora, de quem vazou, não sei. Não é só o DJ que sabe disso. Então... é esse o problema. Agora, como é que eu vou emprestar ônibus, se nós estamos numa enrascada danada...?Vou dar ônibus para dar apoio para a campanha dele.

BEDIM - Não tem como. Falei, falei: "DJ, eu, quando posso ajudar, não precisa nem falar com papa". Eu resolvo. Agora.., hoje, para mim tirar um...

RODRIGO - Eu sei.

BEDIM -... partindo de Porto Velho, de graça, puxando escola, puxando jogo de futebol, puxando enterro. Levando pro emprego, matou um. Hoje, então, os homens não quer ver em Porto Velho um trânsito caótico.

RODRIGO - BEDIM, para que ele queria saber quando que tu ia passar o pagamento para ele?.

BEDIM - queria... o que era... se tava tudo ok, como tinha combinado.

RODRIGO - Nunca furou! E ele sabe que o senhor avisa ele. Não precisa avisar.

BEDIM - Falei: É só você, no dia certo, você dá um toquezinho e dizer que está em tal canto, que eu vou aí.

RODRIGO - Não, não! Outra coisa que ele vir pro senhor, o senhor fale para ele: Você não sabe que eu te aviso na hora? Então....

BEDIM – Ele é muito complicado, cheio de... E o Carlão, está bem? Continua enrolado?.

RODRIGO - Tá meio rolado as coisas.

BEDIM - Meio, não, né? Muito!.

RODRIGO - Não vai dar para ele sair nessa campanha, não!.

BEDIM – É

RODRIGO - Vai ser o Jean mesmo.

BEDIM - A estadual?.

RODRIGO - Estadual. O negócio aqui é bom. Só chega na hora da merenda... Eu vou conversar com DJ agora, BEDIM.

BEDIM - Eu já conversei com ele, RODRIGO. Eu acho que está resolvido isso aí. Eu não atendi ele porque não tinha como. Tava rodeado de perigo. De repente.. confusão. Sabe como é que é, RODRIGO. Não tem como.

BEDIM - Pega aí.

RODRIGO - Aí sacaneia todo mundo.

BEDIM - Do jeito que os homens...., bicho. O cara é senador, cacete!

RODRIGO - Só que os cara tão no poder. Vai brincar com os caras.

BEDIM - É. Não tem nem como.

BEDIM - (usa o telefone).

(alguém bate à porta).

RODRIGO - Não! Eu vou conversar com Carlão amanhã. Agora...Ele não tá nem sabendo disso.

RODRIGO - A gente dá uma freada, né?.

BEDIM - Evitar, porque você sabe que Carlão tem o maior interesse é de isso dá certo. Tem o maior interesse do mundo.

RODRIGO - Vou lhe falar, BEDIM... agora você me deixou triste..., mas eu vou ter que passar para ele, BEDIM, porque isso não chegou lá com a gente não. Desculpe, mas eu vou ter que passar. Até porque um troço desse vaza aí, Bedim. Não... Tenho família, BEDIM.

(conversa paralela).

RODRIGO - Pedir para vir aqui que ele quer conversar contigo,

BEDIM. Se não der para marcar... ir lá.

.............................................................................

............................................................................

..........................................................................

RODRIGO - Ó, BEDIM... eu vou ter que passar para ele, BEDIM, o que tá acontecendo.

BEDIM - Eu vou lá com ele, é melhor. Se não você se queima. Deixe que eu falo.

RODRIGO - Não! Tu é doido, BEDIM... mas aí....

BEDIM - Deixe que eu vou ver. Eu falo com ele, que é melhor. Se você falar, ele vai pegar o DJ para falar com você. Aí pronto, vocês vão brigar.

RODRIGO - Não! Não esquenta não, BEDIM. A gente tem que descobrir da onde foi que vazou isso aí.

BEDIM - ... O Júnior não é bobo. O Júnior até agora não descobriu por que é... por que não é só a gente sabe que os caras todo mês tá recebendo. Agora, lá em Brasília, eles tão bem no depoimento, né?.

BEDIM – Tão indo bem. Um deles falou pro ministro lá, que se tivesse que fazer tudo de novo não faria; que não tem mais sossego na vida. Não deu em nada. E ele disse....

RODRIGO - As mães deles ficam perturbando muito, BEDIM. Muito, muito. É por isso que o DJ entrou em parafuso.

BEDIM – Tem muita gente......., né?

RODRIGO -Ah mãe do Motta cobra direto ele... desculpa a palavra, ser enganado por dinheiro, BEDIM. Ficam pressionando o DJ. Eu tô falando isso porque eu já vi.

BEDIM - Hum, hum!

RODRIGO - Ficam pressionando, pressionando. E é foda!

RODRIGO - BEDIM, eu vou nessa. Vou esperar tu ligar.

BEDIM - Tá. E eu te aviso, lá ... tô trabalhando .... eu falo pra ele, tá?

RODRIGO - Posso pegar tua garrafa de café aqui?.

BEDIM - Pode.

RODRIGO - BEDIM, até mais.

BEDIM - Até.

(RODRIGO vai até a sala do CRISTIANO).

RODRIGO - Fica tranqüilo!.

CRISTIANO - Pois é... o negócio vai embora de bobeira. Bobeira, bobeira, bobeira. Tem que ficar todo mundo assim, ó... (faz sinal de unido). Tá chegando....

RODRIGO - Reta final.

CRISTIANO - Reta final Sabe, no meu ponto de vista, eu acho que já está nos pênaltis. Eu acho que já tá na reta dos pênaltis. Já jogou o jogo, tal e tal, prorrogação.

RODRIGO - Nos pênaltis? Deixa que eu vou resolver isso aí.

CRISTIANO - Não tem bobo. Não tem ninguém bobo, tá?.

RODRIGO - Qualquer coisa deixa a gente informado.

RODRIGO E A MÃE DO JAYRISSON ADRIANO, EM MAIO DE 2009

RODRIGO – essa é a mãe do Adriano. Como é que está? Não tão bom, mas se levando, né?

MA – É...Fazer o quê?!

RODRIGO - DJ conversou com a senhora?

MA – Sobre?

RODRIGO – O DJ não conversou com a senhora não?

MA – Não, ele saiu... ele foi lá em casa, mais aí ele viajou.

RODRIGO – Foi.

MA - Sobre o que era?

RODRIGO - Sobre aquela situação dos meninos.

MA – Dos meninos? O que é que houve?

RODRIGO - Eu fui lá com BEDIM, aquele dia que a gente chegou, que estava eu e o DJ conversando ali. Ai, ontem eu voltei e fui lá com BEDIM de novo.

MA – Quem?

RODRIGO - O BEDIM da EUCATUR. Ai o BEDIM veio com uma estória para o meu lado que aquela conversa tinha vazado, tudo.

MA – Quem vazou?

RODRIGO – Não sei. A gente tá atrás de descobrir, né? Cara, to... Olha como é que eu tô... como é que eu estou.Que eu vim de lá.

MA – Agora? Eles não estão nem ai não, né?

RODRIGO – Estão não. Nenhum, nenhum, nenhum

MA – Quando a gente se livre de uma coisa vem outra. Se livra de uma coisa, vem outra.

RODRIGO – O BEDIM falou muita merda pro DJ. Parece que ligou esses dias pra ele, pra poder...ver o negócio do dinheiro, né? Passar pros meninos....

MA - E ai?

RODRIGO – Ai o BEDIM: “não! que eu tô pagando direitinho, Rodrigo”. ai eu falei: eu sei, mas acontece que eu tô precisando também.

MA –

RODRIGO - O irmão do DJ, o DJ tá lhe passando? Não sei se ele passa para a senhora.

MA – A gente tem que rezar para esse negócio acabar logo, eu tô magra pesando 38 quilos. Nem consigo dormir direito

RODRIGO – Eu imagino a situação. A gente que é a gente já tá no aperreio.

MA – O pior não é nada, que eles ficam lá na frente de casa. ...bandido tava vigiando. Eu não gosto disso não. Eu não fiz nada de errado. E eu vivo sufocada trabalhando, hora extra ... Sempre dei confiança...não entre não..., faça como eu..., a gente ser pobre não é defeito.

RODRIGO – Eu não sei?!

ENTRA ALGUEM NA SALA

..............................................

...............................................

MA – Pois é meu filho. Eu falei para ele. Avisei, quando ele andava por lá, sai fora disso. Mas quem não ouve conselho, mais tarde.... Agora quem fica em uma situação crítica é a gente, que é mãe, que é irmão, que é... fica sem saber o que fazer. Meus filhos lá, eu fico pensando, têm meus netos, ai segue... Acabam com a vida da gente. Acontece uma desgraça aí, a gente só vai ... quando morrer.

RODRIGO – E olha...

MA – E olha que eu vou...

RODRIGO – Eu vou lhe falar, se eu pudesse voltar atrás eu não faria isso de novo não.

MA - ...pegou todo mundo, até mesmo... Só digo uma coisa, trabalhei aqui vinte e seis anos nessa Câmara, ganhando salário... de jeito nenhum, por mais dinheiro que corra nesse mundo. Eu quero minhas coisas. Depois vem com essa que o governador é forte. Ai tu vê... adiantou? Sobrou tudo para ele. O que há se a bomba cair, cai todo mundo..., até...na cabeça...

RODRIGO – Ai bomba. O pior é que o governador já está sabendo disso.

MA – Quem?

RODRIGO – O governador.

MA – Sabendo do quê?

RODRIGO – Do esquema que foi montado. O Acir. O BEDIM que falou para mim tudinho. Eu passei para o DJ tudinho. Falei DJ... só que o DJ tinha me falado, né? que ele tinha ido lá no Carlão e o Carlão tinha falado para ele. Eu falei, DJ eu vim de lá, eles falaram a mesma coisa, ai eu fui lá agora e falaram a mesma coisa, que eles tem gente no meio infiltrada, tudo. E falou que já sabiam que os meninos vinham recebendo, tudo. Ai...isso.

MA – Não sei no que isso vai dar não, viu.

RODRIGO – Também o DJ já estava...

RODRIGO – Nossa, o BEDIM falou para mim que ficou chateado por que o DJ ficou ligando por telefone.

MA – Isso ele não pode.

RODRIGO - Para querer saber que dia que ele ia fazer o pagamento dos meninos. ....rapaz... ai ele chamou o DJ lá. Diz que ele até demitiu duas funcionarias de lá, que conhecia o DJ.

MA – Que conhecia né? Essas coisas a gente não faz não. Eu nunca fiz, nem faço...

RODRIGO – Falei para o DJ, rapaz, DJ...

MA – Esses negócios tudo tem, como é que fala? É grampeado os telefones, eu não falo nada por celular. Só falo bom dia, boa tarde, boa noite e acaba. Não quero nem acordo. Tem que ter muito é... sei lá. Ele não me falou nada não. Só falou que ia viajar, ia...

RODRIGO – Ele ligou para mim... ele tava... eu falei com a mulher dele, a Luzimaia. Ela falou que ele estava em Espigão; que ele tá fazendo umas carteiras de estudante.

MA – Fazendo um trabalho, né?

RODRIGO – Ele ficou devendo muito na campanha. O pessoal enganou ele, lá, também. Falaram que iam dar uns ônibus pra ele, pra ajudar ele na campanha.

MA – O pessoal é foda. Dá cano nos outros.

RODRIGO – Acho que ele está preocupado por que a mãe do Mota tava querendo dinheiro este mês, né?

MA - Quem é?

RODRIGO – A mãe do Mota. Ele passa que nem...

MA - Quando eu digo, Rodrigo, que eu tenho o meu salário aqui. Eu não quero esse dinheiro pra nada. Ainda me perturba, aquele filho da puta. Eu não quero nem saber dessas imundices. Não gosto de dinheiro sujo... Eu sou pobre, mas sou uma pobre limpa. Quando eu vi ele metido lá com vocês, lá dentro daquela coisa, lá, eu falei, Rodrigo: “Marcelo você tá fazendo a cabeça ....”. Ele: “Não, não fui eu não”. Não foi? Foi sim! Você que levou os meninos lá. Cansei de falar para vocês: “dinheiro fácil, seu valor amor nunca trás”.

RODRIGO – Não entendi.

AM – Quando o dinheiro é fácil o ... nunca trás. Isso que eu falo. Vocês estão atrás de Jarina, tão atrás de fulano, tão atrás de beltrano. Vocês... me falaram...foram oito e meia atrás de mim. Eu avisei. Sobrou pra quem?

RODRIGO – Pra quem ficou aqui, né? Eu vou lhe falar, olhe!

MA – Hoje, quem não dorme sou eu. Eu tive problema de coração... tive arritmia cardíaca, pressão alta. Passei seis dias internada no hospital. ... de manhã, de tarde, de noite, de madrugada na porta da minha casa. E eles queriam mais era meu filho, sabe por quê? Porque meu filho é homossexual. Era isso que ele queria. Não tinha família... mas ele tem pai, tem irmão, tem filho, tem sobrinho, tem tudo.

MA – Aquele tal de Japa fez até ... em cima da minha casa.

RODRIGO – O DJ me falou.

MA – Eu conheço ele. ... mandaram policiais disfarçados na porta da minha casa. Os cara ainda mostrou um trinta e oito na cintura, carregado de bala. Um moreno assim da tua cor, cabelo comprido, de bigode e de barba e um magricelão branco. Até hoje eu me lembro daquele cara.

RODRIGO – Um magricela alto?

MA – Ele não é tão seco. Ele é magro, mas é... alto, branco, cabelo bem curtinho, estava em um carro verde. .... Eu só não prestei atenção na placa. Dizendo que eles eram policial, que estavam com uma intimação. Quando eles chegaram na porta da minha casa com aquela intimação eu fiquei cabrera, sabe por que? Por que eu tô acostumada a ver intimação. Nunca vi intimação de ninguém com fotografia. Tá entendendo?

RODRIGO – Parece coisa armada, né?

MA – Eles chegaram 06 horas da manhã na porta da minha casa, seis horas da manhã. Eu tava lavando louça. Me deu um tremor tão grande nas minhas pernas, mas eu não dei demonstração não. Aí, ele perguntou se eu conhecia... E a foto que ele mostrou lá realmente eu não conhecia, por que eu não sabia quem era o irmão do DJ. Foi a foto do irmão do DJ que ele mostrou. Falei não. Não conheço, nunca vi e nem sei quem é. Aí ele foi e disse assim:”o que que a senhora é pro Adriano?”. Eu disse por que? “Que rua é essa?” Aqui é Salvador........”É aqui que mora o Jairo, o Adriano?”. Não! Aqui não mora ninguém não. Mora eu e a minha filha caçula e os filhos dela. Aí o moreno que estava no lado disse assim: “a senhora é o que pra ele?”. Eu olhei para a cara dele e fiquei calada. O outro disse: “não tá vendo que é a mãe dele. É a cara dele”... Eu falei: “eu tenho fé em Deus e em Nossa senhora que um dia...”, eu pensei, “essa bala vai...”. Mostraram a arma para mim, só que ele quebrou a cara. Eu não tenho medo de arma não. A única arma é aquela lá de cima. E aquele lá de cima ainda vai mostrar o troco pra eles, do jeito que eles fizeram. Deus é bom, ele é justo, ele é maravilhoso, uma hora o...... sempre acaba, viu? A gente nunca, Rodrigo, deve mexer com pessoa que tem poder. Vocês tão ... de saber disso. Vocês ficam lá dentro do departamento legislativo, vocês devem entender que isso não é brincadeira não. Eu trabalho na Câmara pelo menos vinte sete anos.

...........................................................................

........................................................................

MA – Por mais que ele seja bonzinho. Pode dizer o que for. Eu trabalho aqui. Não quero nada de ninguém. Só quero aquilo que é meu. Eu tenho três terrenos lá dentro de casa. Eu trabalhei, eu suei, eu paguei.

MA - ... na minha casa eu tenho uma geladeira, um vídeo cassete, um DVD. A única coisa que eu tenho ... na minha casa não tem piso, não tem reboco. Pode ir lá na minha casa, que eu não tenho riqueza não, que eu não gosto. A riqueza para mim ela é espiritual. ... eu sei que vocês fizeram muito errado ... por que agora vocês tentando... Olha eu vim saber depois.... quando já chegou lá em casa depois aperriado. Eu falei : o que é que foi? ... colher o verde.

RODRIGO – Mas foi eles que foram atrás mesmo. Não foi ninguém, ninguém mesmo que botou na cabeça dele...

MA – Eu não sei do que foi, RODRIGO ... chegaram lá em casa... eu só via ele lá com vocês para baixo e para cima, com Jarina. Eu ficava olhando, ficava olhando aquilo, não falava nada, por que são de maior, a gente vai falar ainda acha que a gente é ruim, eu pelo menos... você pode ter certeza que eu não lhe meto em rolo e nem me meto.

RODRIGO – Sei que eles foram atrás da Jarina, a Jarina falou rapaz esse negocio é com Carlão, vão lá vocês com ele.

MA – ... a gente aqui tem que ficar cabreiro também, o DJ tem que ter paciência. Esperar o home chamar, né? Não fazer isso não. Por que depois ... Deus me livre. Não quero nem sonhar com isso não quero nem sonhar com um negócio desse. O Marcelo só vive fazendo ameaça por aí.

RODRIGO – O Marcelo é o Damião?

MA – é!

RODRIGO – Então, mas foi com o Damião que eu, então... mas foi o Damião que levou ele lá.

MA – E depois ele diz que não tem nada a ver com isso. Eu falei foi na cara dele, que saiu daqui carregando um dinheiro. Brigou com ele só para me sacanear, quebrou o telefone do meu filho. Brigou com ele, tão separados. Chamou Jayrisson de filho da puta. Eu falei: “olha para você me chamar de puta você tem que ter prova de que eu vivo cada dia com um homem diferente”. Ah, mas eu não falei. ... Eu escutei, vá direito embora daqui.

MA - ...

RODRIGO – Sei que eu não tô entendendo mais nada.

RODRIGO – Ainda bem que o Jairo está no programa, né?

MA – é!

RODRIGO – Essa é a vantagem dele, de .....

CHEGA ALGUÉM NA SALA – CONVERSA PARALELA

RODRIGO – Agora imagina a gente que não tem ninguém... Eu, o DJ...

MA – Eu

RODRIGO – A senhora

MA – Que não tenho nada a ver. Eu saio daqui, ... fico nervosa, você acredita? Eu vou pegar o ônibus lá em baixo, mas eu olho para um lado, olho para outro, ta? RODRIGO – eu vou te falar uma coisa, tô para largar tudo de mão... o ... satisfeita quando esses dois miseráveis morrerem. Achar um cristão, que seja filho do satanás,... arrume uma bala, praquele desgraçado e matar eles. Só assim a gente vai ter paz e sossego.

RODRIGO – Os dois não. Todos eles, eu não confio no Acir também não.

MA – Eu não confio em ninguém

RODRIGO – Eu não confio nele não.

MA - ... tem um ditado... um ninho de cobra, cobra criada...

RODRIGO – Vou andando.

MA - ... pois é vou pegar uma fita e revelar tudinho

RODRIGO – Não entendi

MA - Vou pegar uma fita e revelar tudinho, nome e sobrenome dessas desgraças tudinho e vou me enfiar dentro do cemitério lá na catatumba do ...

RODRIGO – Calma, isso vai acabar

MA – Quando?

RODRIGO – O DJ falou para mim que já estava próximo, o ultimo processo dele lá em Brasília

MA - ... dia vinte eles tiveram uma audiência

RODRIGO – Dia vinte?

MA – Dia vinte eles tiveram uma audiência lá em Brasília.

RODRIGO – .. do governador?

MA – não, .....

RODRIGO – Tá faltando ser o governador nesse negócio.

MA – Senta ai um pouquinho

RODRIGO – Eu só vou fumar um cigarro

MA - ... o .... disse para mim, você é tão bonita, mas tem que deixar de fumar. Eu disse: o homem que me quiser vai ter que ser do jeito que eu sou, com cigarro ou sem cigarro.

RODRIGO – Você não pode ficar deixando o Adriano ficar nessa de ir e voltar.

MA – Não, ele não vai voltar mais não.

RODRIGO – Isso ai também é problema. Deixa uma vez, tá com pena.

MA – Aquela vez ele veio foi por causa do Damião. Ai começou a pisar ele, começou a humilhar ele, fazer ameaça aqui... “eu vou vazar”. Pois vá agora, por que eu tô engasgada, se alguma coisa acontecer com meu filho, você vai junto com ele, por que eu posso não saber de nada , mas ....eu...provo. Se meu filho esta nesta enrascada agradeço a você.

RODRIGO – Esse negócio ter vazado, não tem o dedo do Damião não?

MA – Tem, tem. ... Ele é que tava doido pra ter casa, tava doido pra ter carro, tava doido pra subir na vida. O quê... As custas de quem? Prejudicando uma pessoa que não tem nada a ver?! Ô, RODRIGO, vocês podem ser besta, mas eu não. Quando vocês tão sentindo o cheiro da fumaça, eu já tô com a fogueira acesa, ta? Eu não nasci ontem não.

RODRIGO – Nós ... vamos sair dessa. Tô tentando sair. Nem... DJ. DJ ... Adriano lá na frente, ... de carro. Aí ele me ligou. O Adriano e o...

MA – Sabe quem é esse povo aí? É espião, e muito espião. Eles vigiam a vida da gente enquanto você não vê ele, mas eles te vê. Ele sabe o teu caminho de ida e de volta. Eles sabe onde você trabalha. Sabe onde você mora. Então você tem vigia 24 horas.

RODRIGO – Eles podem plantar uma câmera dentro da casa da gente... a gente nem vê.

MA – Eles jogam um microfilme em cima do telhado de sua casa, ele escuta sua conversa...

.........................................

.........................................

MA – No dia que mataram o cara lá, pro Ulisses, meu coração acelerou. Eu pensava que era o DJ.

RODRIGO – No posto, né?

MA - Lá pro lado do Ulisses, atrás da casa dele, se eu não me engano. Mataram um cara lá... Meu coração acelerou. E aí eu já liguei para ela... (Luismara) de manhã, liguei para Dona Cleide... Ela, não ...graças a Deus. Quando o Jairo tava aqui, os caras tava atrás dele. Querem... na porta de minha casa. Então um dia a vizinha falou: ”não, ele não tá aí, não”. A outra da lá frente entregou: ”não ele faz tempo que tá aí, com a mãe dele e a sobrinha dele”. Os miseráveis veio de manhã. Eu tava trancada dentro de casa, não podia sair para canto nenhum. Aí a vizinha... Eu passei a noite todinha rezando, rezando, rezando, rezando. Aí eu pedi...

RODRIGO – Eu falei pro .... Damião... Vocês ficam brigando... O Damião teve uma briga, lá com ele na rua, né? Vocês ficam brigando, porra. Sabem como é que tá a situação...

MA – Não, mas o Damião não entende não. O Damião não entende não. Damião só quer dinheiro pra gastar com os machos dele. Eu tô falando pra você. Pode falar pra ele, que ele...

RODRIGO – Não...

MA – Porque toda vez que eu falo as coisas aqui... ele fala: “eu tenho fulano que me conta”. Eu não falo escondido... coisa nisso aí? Tem. Tá envolvido você, Jarina... Eu falei pra ele: “tá envolvido você, Jarina, RODRIGO, esses cabras safados que vivem dando dinheiro pra ... ”. Eu não escondo não, RODRIGO. Quando eu tenho que falar as coisas eu falo na cara. Tá aí o França, teu primo, que ele me conhece. Trabalhei muito tempo com a Marlene Guarayebi, vocês nunca me viram eu ... vocês nunca me viram eu ganhando dinheiro fácil. Eu sou a pessoa que mais tenho medo de vender minha família.

RODRIGO – Só que a Jarina não sabe de nada não.

MA – A Jarina, naquele dia, ela ganhou três mil reais. O Carlão deu, que era prá dividir prá vocês. Ela pegou o dinheiro na hora. Vocês pensam que eu não sei disso não é RODRIGO?

RODRIGO – Não tô sabendo dessa estória não.

MA – Os meninos não viviam atrás da Jarina?

RODRIGO – O Damião.

MA – E o Jairo... Eu ainda fui com vocês lá. Tu lembra?

RODRIGO – Lembro. Foi a senhora e ele, né?

MA – Mas eu falei pra ele. Naquele dia eu falei pra ele: “vocês sai fora disso aí, que isso não é futuro pra vocês não”. Ele deu três mil reais pra Jarina. A jarina viajou e deixou vocês chupando dedo. Ficou você, Damião e... Eu só fico de fora olhando como é que é. Quando eu cheguei em casa dei uma chamada nele. Não quero ser inconveniente porque eles já tinham se metido e eu não sabia. Eu vim saber depois, que ele chegou lá em casa.

RODRIGO – A ... Lima que veio falar isso. Lá no Centro de Correição.

MA – Eu falei, sabe por quê? Porque eu...

RODRIGO – Depois que me chamaram...

MA – A conversa que eu sei, RODRIGO, é que você pegou o contra-cheque dos meninos... o besta lá tinha colocado cem reais na conta deles...

RODRIGO – De quem?

MA – Dos meninos, lá... dos outros seguranças. Não foi só ... quantos segurança era naquela época.

RODRIGO – Eu peguei?

MA – Novecentos e quarenta e cinco. Só vigilante.

RODRIGO – Quem? Eu peguei o contra-cheque?

MA – Pegou o contra-cheque deles...

RODRIGO – Não! Então a senhora sabe demais. Eu vou lhe falar... Sabe quem levou?

MA – Que você pegou, peraí...

RODRIGO – Foi o Damião e o seu filho que levou... procurou o Carlão...

MA – Levaram lá... Quem levou lá pro Carlão ver que era cem reais que tava depositado na conta deles. Depois é que vieram me falar entendeu?

RODRIGO – Então lhe falaram errado. Desculpe o que eu vou lhe falar, mas seu filho não foi homem pra assumir o que ele falou não. Porque foi ele e o Damião com essa estória.

MA – Pois é, mas o Damião foi que fez a cabeça dele.

RODRIGO – Ele... quando eu soube... quando eu soube foi no dia que eu fui atrás do DJ.

MA – ... Jamesson...

RODRIGO – Eles já tinham feito acordo com o Carlão sem eu saber.

MA – Aí tava todo mundo lá...

RODRIGO – Aí o DJ procurou o Jamessom e os meninos.

MA – Pois é... mas a mundice veio dessa aí... deixasse esses cem reais na conta... não tinha nada que ver com isso. Porque quando se mexe com gente grande, RODRIGO.... você sabe que a pica é grande ... e eu não sabia, porque ... “...fizeram errado. E o dia que eu tiver oportunidade de comentar com o RODRIGO eu vou perguntar...”.

RODRIGO – Agora desculpe o que eu vou lhe falar, mas o seu filho não tá sendo homem não.

MA – Mas não foi ele que falou não.

RODRIGO – Porque foi ele e o Damião...

MA - Quem me falou foi o Damião, quando...

RODRIGO – Foi ele e o Damião. Eu provo na cara do Damião. Eu a senhora e o Damião. Foi ele e o Damião que procuraram lá o Carlão, no Centro de Correição. Eu não sabia da estória. Depois que pediram pra mim procurar o DJ...

MA – Sabe o que o Damião me disse, disse que isso não vai dar em nada. Não vai dar em nada.

RODRIGO – Mentira. O Damião tava ... no tempo.

MA – Tô falando... “Não vai dar em nada”. Pois não vai dar em nada sabe por quê? Por que não é teu rabo não. Vai dar, vai .......pro lado do meu filho. Por que ele ... um cabra que não tem estudo. Porque se ele tivesse estudo ele jamais faria uma coisa dessas.

RODRIGO – Ele falou pra senhora o acordo que foi feito na EUCATUR, com o Acir?

AM – Não! Não me falou não, mas eu sei que era... dava uma casa, um carro, e parece que dois mil e quinhentos por mês. Foi esse a conversa... e não falaram prá mim. Eu me escutei, eles falando lá com o Damião. Pra que... Damião tem carro... o Jairo ta de pé. Damião tá, tá dentro do........., numa boa, o meu filho tá preso. Porque? Quem tá preso é o meu filho. Meu filho tá preso...

RODRIGO – A Senhora... podia mesmo falar prá senhora, que o acordo que foi feito lá era de ... reais ...

MA – E daí... pra...

RODRIGO – o acordo que foi feito lá... A gente sentou lá no... no coisa com o Acir... a gente fez um acordo com ele..., mas prá receber todo mês os meninos. Agora, eu , DJ e o Damião, a gente era quando o Acir assumisse.

MA – Você iria pegar uma diretoria fora daqui.

RODRIGO – Hum, hum!

AM - Iria para Brasília trabalhar prá ele. E até hoje, que ele não ganhou, quer dizer, ele não assumiu, porque o Expedito não abre mão. ... E aí, como é que vocês ficaram? A situação...

RODRIGO – Largado.

MA - Vocês iam ter um cargo de confiança... e até hoje...? Não foi? Só que a gente não faz acordo com esse tipo de gente. Eu acho.... achei muito... a infantilidade...

RODRIGO – Desculpe, mas quem fez o acordo todinho era o Damião.

MA – Porque quem foi ... meu filho nunca tinha ido lá na Assembléia.

RODRIGO – Me pediram, me chamaram ...

MA – Meu filho trabalhava num restaurante. Ele tirou o menino do restaurante, fez o menino jogar a menina na justiça, coisa que eu não achei justo.

RODRIGO – Eu sei...

MA – Coisa que eu não achei justo. E depois quer tirar o cu dele de fora e deixar só o meu filho no rolo? Que é isso, RODRIGO? Eu falei foi na cara dele, lá. ....

RODRIGO – se a Senhora souber da minha situação..., minha e do DJ, a senhora...

MA – Eu sei. O que você tem que fazer é rezar muito. Pedir muito a Deus, pra que ele ilumine a gente, e a gente saia .... eu também tô passando mal.

RODRIGO – Agora, o Damião...

MA - Eu tô pesando 38 quilos. Uma mulher com cinqüenta e .... anos pesando 38 quilos. Você sabe o que que é isso? É de eu não dormir.

RODRIGO – Agora... a senhora tá pensando que eu que peguei... eu não peguei, levei nada não.

MA – Mas ele falou. ...”que ele não sabia de nada”.

RODRIGO – Como é que a gente ia saber, se o Damião que levou...

MA – você acha que eu vou acreditar na conversa do Damião? Ele falou que não sabia de nada. Que quando ele chegou lá na Assembléia vocês dois já tinham pegado o contra-cheque dos meninos e tinha levado lá pro Carlão. Ele tirou o cu dele da reta, entende? Meteu vocês, DJ, o Jayrisson, outro menino... quer dizer que só tu... quem saiu prejudicado foram vocês. Ele tirou o dele ... porque quem ... não foi ele?

RODRIGO – Foi.

MA – E agora ele tira o rabo dele de fora. Fala que não foi ele...

MA – Eu converso com ele, tudo, mas... você sabe ...

RODRIGO – Enquanto quem ficou... quem fez o acordo pros meninos ficar recebendo os oito anos, foi o Damião que falou. Não sei se ele falou pra senhora isso aí.

MA - ... lá em casa, tem muito medo do ...

RODRIGO – Foi o Damião que falou com eles. Damião falou: “não, você pagam os meninos os oito anos que você ficar, tudo, até...”.

MA – Normalizar as coisas.

RODRIGO – Normalizar as coisas. Que é os oito anos de mandato do Acir. E aí quando acabar os oito anos, como é que vai ficar?

MA – É! Aí vai ter que se virar, né? E esse ...que eles tão envolvido ...vão ficar protegido até quando? Até quando vão ficar protegido pela Polícia Federal?

RODRIGO – Sabe Deus.

MA – Porque eu não confio na Polícia Federal. Você pensa que eu confio? Eu não confio não. Por que qualquer coisa que eles disserem: pode eliminar o fulano, matam por lá mesmo. A gente não sabe nem notícia. Você sabe que eu não penso assim? Penso. O Damião meteu meu filho em fria, mas ele pode até morrer. Eu vou chorar na morte do meu filho, mas a mãe dele também vai chorar na morte dele.

..........................................................

.............................................................

..........................................................

RODRIGO – O Damião é muito covarde.

MA – É!

RODRIGO – Sabe por quê? Ele que ...

MA – Ele veio foi aqui esculhambar comigo.

RODRIGO – Ele... eu vou lhe abrir o jogo aqui. Ele que falou pra gente que a senhora que tava perturbando o DJ, prá querer... o DJ pedir um dinheiro lá, que a senhora tava precisando pra mandar...

MA – Eu não! Eu mesmo não. Pergunta pro DJ, ele já te falou? Eu nunca pedi um centavo dele, nunca. E nem peço.

RODRIGO – “É com RODRIGO... eu peguei dinheiro”, o Damião... “a gente foi uma vez no ... com o Jairo...”.

MA – Não. Eu nunca nem .....

RODRIGO – Não! Deixa eu te contar: “Entregamos na mão da mãe do Adriano, e ela não passou o dinheiro pra ele, ele ficou ligando”.

MA – Sabe o que é que eles queriam? Que eu desse o número da minha conta pra ele depositar o dinheiro na minha conta. Eu falei: negativo! Não quero de jeito nenhum. Eu não quero carro, não quero dinheiro, não quero nada de ninguém. Prá isso eu trabalho, não preciso...

.......................................

......................................

MA – Pois é... eu nunca perturbei. Eu nunca quis nem saber disso aí. Eu nunca me meti... agora o Damião pega o dinheiro pega o dinheiro do Jayrisson, ficou com a geladeira do meu filho, com o fogão, máquina de lavar, com ar condicionado, tudo ele ficou. O Damião é...

RODRIGO – A senhora ta me contando uma estória que eu tô sabendo outra totalmente diferente...

MA – O Damião é um cara que não vale nada. Eu antes... até eu já me arrependi mil anos de ter deixado ele morar com meu filho, porque meu filho quando vivia só, vivia muito melhor que com uma desgraça daquela, que hoje eu vivo com raiva, com problema no coração por causa.

Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions