Rondônia, quinta-feira, 19 de outubro de 2017
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Política

Publicado em Quarta, 25 de Março de 2009 - 21h55

Moreira Mendes compara programa de casas populares ao Fome Zero

Claudivan Santiago


O deputado federal Moreira Mendes, vice-líder do PPS na Câmara, afirmou que o programa para construção de um milhão de casas populares, lançado oficialmente nesta terça-feira pelo governo federal, é mais uma medida com fins estritamente eleitoreiros. O novo programa, segundo ele, tem as mesmas características do Fome Zero, que, assim com a proposta de criação de 10 milhões de empregos – lançada na campanha presidencial de 2002 pelo então candidato Luis Inácio Lula da Silva, do PT (Partido dos Trabalhadores) -, nunca saiu do papel.
“Enquanto plano escrito no papel – que recebe qualquer coisa – é uma maravilha. Construir um milhão de casas populares é o sonho de qualquer governo. Agora a realidade é completamente diferente. Esse é um plano que não tem pé nem cabeça”, criticou.

Moreira disse que, apesar de considerar a idéia positiva para o país – em razão do grande déficit habitacional -, o programa apresentado pelo governo ainda é bastante vago, carecendo, portanto, de um maior detalhamento, sobretudo no que diz respeito à origem dos recursos a serem aplicados nas obras. “O governo diz apenas que vai construir um milhão de casas e que vai gastar trinta e quatro bilhões de reais, considerando os investimentos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), dos estados, entre outras coisas. Isso é mais uma artimanha para levantar novamente o prestígio do presidente da República perante a opinião pública – que já começa a cair - do que propriamente uma realidade, o que lamento profundamente”.

O PAC - Programa de Aceleração do Crescimento, de acordo com Moreira Mendes, é outro péssimo exemplo de projetos do governo petista que têm mais propaganda do que resultados práticos. “O PAC é noventa e cinco por cento propaganda, e apenas cinco por cento realidade, triste realidade. Porque nenhuma das obras sai do papel, e as poucas que saem não são custeadas com recursos públicos, são feitas com recursos privados, como as duas usinas hidrelétricas do rio Madeira, em Rondônia, que estão no PAC e estão sendo feitas com investimentos privados”, concluiu.


Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions