Rondônia, domingo, 24 de setembro de 2017
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Política

Publicado em Terça, 02 de Setembro de 2008 - 21h18

TSE MANDA EMPOSSAR ACIR GURGACZ NA VAGA DE EXPEDITO JÚNIOR; SENADOR VAI AO STF

TSE


Os advogados do senador Expedito Júnior (PR) disseram nesta terça feira que o duplo grau de jurisdição foi literalmente jogado no lixo pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que mandou empossar o segundo colocado nas eleições de 2.006, Acir Gurgacz (PDT). Expedito Júnior retorna a Rondônia e vai continuar dedicando-se a causas dos rondonienses, mas antes recorre ao Supremo Tribunal Federal (STF), onde espera que na mais alta corte do país possa reaver seu mandato. A ação cautelar foi pedida no último dia 25 de agosto. O senador alegou absoluta ausência de provas de sua participação direta ou indireta na compra de votos ou seu consentimento para tanto. Sustentou que “a condenação a perda do diploma se baseou em mero juízo de presunção”. Quanto ao abuso de poder econômico, diz que não ficou caracterizada a potencialidade da conduta, pois a suposta compra de mil votos não é bastante para desvirtuar sua eleição cuja diferença foi superior a 60 mil votos. Com esses argumentos, pediu cautelar para suspender a decisão do TRE.Voto

O relator do caso, ministro Arnaldo Versiani, disse que “não se fazem presentes os pressupostos da cautelar”. Explicou que o TRE de Rondônia, por meio de provas documentais e testemunhais considerou estar devidamente comprovada a compra de votos, vedada pelo artigo 41-A da Lei das Eleições. O banco confirmou o depósito bancário na conta dos vigilantes sem nenhuma comprovação de serviços prestados.

Apesar de o senador questionar a prova da sua participação direta ou indireta, o ministro lembrou que o irmão do senador é o único sócio gerente da empresa de vigilância onde tudo se passou e as pessoas flagradas fazendo os depósito eram o coordenador da campanha do senador e o seu tesoureiro. Listou ainda participação de sua esposa, outro irmão e pessoas de seu convívio.

“Nessa linha de raciocínio, não vejo plausibilidade na alegação de falta de prova da participação ao menos indireta ou ainda da anuência ou conhecimento dos fatos pelo senador, tamanho o vínculo que ficou estabelecido no acórdão recorrido”, afirmou Versiani.

Ele finalizou dizendo que a perda do diploma teve origem na captação ilícita de votos e não no abuso do poder econômico e é a perda do diploma que deve ser executada imediatamente. “Pelo exposto, indefiro o pedido cautelar”.

Todos os ministros seguiram o voto e, com isso, fica mantida a decisão do TRE.

Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions