Rondônia Agora
Ler Últimas Notícias

Procurar por

Artigos

Segunda-feira, 11 de outubro de 2010 - 10:15

Na Boca do Povo

O Dia D para Cahulla e Confúcio

Ainda sob o ranger de dentes, lágrimas e impropérios dos perdedores, após a realização do 1º. Turno das eleições majoritárias deste ano, quando foram eleitos os novos deputados estaduais, deputados federais e senadores em nosso estado, Rondônia passou a viver o “frisson” causado pela expectativa do 2º. Turno que ocorrerá no dia 31 deste mês, para a definição de quem será o novo governador e, também, para a escolha pelo eleitorado brasileiro do novo ou da nova presidente da República, vez que, Lula-lá não pôde disputar o terceiro mandato.

O 1º. Turno foi tranqüilo em todo o Estado, como jamais se vira também em todo o País.

Porém, alguns estados, só saberão mesmo quem os governará no final deste mês, quando ocorrerão as eleições de 2º. Turno como dissemos acima. A expectativa é muito grande, porque no 1º. Turno, Confúcio Moura obteve 291.765 votos contra 246.350 de João Cahulla, com uma diferença pró-Confúcio de apenas 45. 887 votos.
Destarte considerar, também, que o Senador (reeleito) Valdir Raupp (PMDB) obteve 481.284 votos contra 453.812 do ex-governador Ivo Cassol (PP). Portanto, a diferença pró-Raupp foi de 27.472 votos.

Somando-se os 45.887 votos a mais para Confúcio Moura (PMDB) e os 27.472 votos a mais para Raupp, ambos obtiveram 76.359 votos a mais que Cahulla e Ivo Cassol.  Essa, portanto, é uma diferença muito pequena, que mostra que a disputa para o segundo turno, no dia 31 do mês corrente, não será nada fácil, nem para o candidato do PMDB e nem para o candidato do PPS.
 
A IMPORTÂNCIA DOS VOTOS DAS COLIGAÇÕES

Não se pode deixar de mencionar o peso e a importância dos votos de cada coligação que apoiou ou virá a apoiar Confúcio Moura (PMDB) e João Cahulla (PPS) neste segundo turno.

Por esse lado, o equilíbrio também é muito grande, vez que, os liderados de Cassol obtiveram quatro (4) cadeiras para a Câmara Federal, e ele próprio conquistou 01 (uma) para o Senado. Para a Assembléia Legislativa também ocorreu à mesma situação, em termos de equilíbrio.

Portanto, ainda que possam ficar no mesmo palanque PMDB, PDT, PC do B, PT, PSDB, DEM, PSB e uma dúzia de siglas nanicas, isso não significa que a vitória de Confúcio já esteja assegurada, como muitos já andam dizendo pela aí.

A coisa não é bem assim. A luta será grande e ainda tem muita água para passar por debaixo da ponte. Aliás, a exceção do DEM (de José Bianco), os partidos de esquerda sempre estiveram juntinhos em pleitos anteriores. Portanto, não seria novidade alguma que os mesmos, novamente, o façam agora, na base do “TODOS CONTRA UM, POIS O QUE IMPORTA É CONQUISTAR O GOVERNO”, ou seja, evitar que o domínio político de Cassol e Cahulla se amplie ainda mais.

É só recordar que do lado de João Cahulla está uma coligação formada por dez (10) partidos políticos, cuja somatória de votos foi muito boa no primeiro turno, principalmente no que diz respeito às definições para as oito (8) cadeiras de Deputados Federais e 24 (vinte e quatro) de Deputados Estaduais. Além de Ivo Cassol, sozinho ter obtido 453.812 votos, e se tornado senador.

Também é válido lembrar que estão do lado do candidato do PPS partidos como PTB, PP, PV, PTN, PSDC, além de outros que já deixaram de ser pequenas siglas em Rondônia acerca de uma década. Tanto que passaram a ter expressividade na Assembléia Legislativa, além de possuírem um bom número de filiados nos 52 municípios rondonienses.

A IMPORTÂNCIA DO CORPO A CORPO

Assim, tanto Confúcio Moura, como João Cahulla sabem que, doravante, ou seja, até o dia 31 de outubro, o que passa a contar é o corpo a corpo de seus aliados na busca pelo voto de cada eleitor indeciso e, principalmente, daqueles que estão entre as 231.997 ABSTENÇÕES registradas no primeiro turno das eleições em Rondônia.
Será uma luta de fôlego. Uma luta sem trégua. As forças estão equilibradíssimas entre Confúcio e Cahulla. Que ninguém se engane.

Essa história de que, a união de todos os partidos de oposição ao governo (principalmente contra Cahulla) é um sinônimo de vitória antecipada é uma tremenda “armadilha”. Porque agora em todas as partes que Cahulla for, o “trator” Ivo Cassol estará presente no palanque, assim como Valdir Raupp vai estar “coladinho” em Confúcio. Os discursos desses dois senadores já estão consagrados junto à população rondoniense, e terão importância vital na cabeça do eleitorado. E é óbvio que as grandes lideranças que apóiam Cahulla e Confúcio também estarão em seus palanques.

É aí que vai residir à diferença. E também, na apresentação das propostas de ambos os candidatos ao governo, porque de brigas a população já está de saco cheio.

Certamente que poderiam vir a surgir “novidades” contra este ou aquele candidato. Mas isso ficará por conta da absorção que cada eleitor fará até chegar às urnas e sacramentar à sua soberana decisão. Como se sabe ninguém é dono da vontade do eleitor. ELE VOTA CONFORME SUA DECISÃO E VONTADE.

É só ver como o eleitorado fez Dilma Roussef (PT) ir para o segundo turno com José Serra (PSDB), na disputa pela Presidência da República. Decisão que também deverá ocorrer no dia 31 deste mês. Tudo porque no caminho de Dilma apareceu uma morena acreana chamada Marina Silva (PV). Justamente ela que foi quase que expurgada das entranhas do PT (com mandato de senadora e era titular do Ministério do Meio Ambiente). Lembram? Pois é.

                                                   **************

RESPINGOS DO 1º. TURNO (1)

Dentre todos os deputados estaduais investigados pela Polícia Federal quando da “Operação Dominó”, apenas o deputado Neodi Oliveira (PSDC) conseguiu se reeleger. Neodi é o atual presidente da Assembléia Legislativa de Rondônia. Nas eleições deste ano obteve pouco mais de quinze mil votos.

RESPINGOS DO 1º. TURNO (2)

Deputado Federal por duas vezes e também prefeito do município de Porto Velho em duas oportunidades, Carlinhos Camurça (PP), não logrou êxito este ano para a Assembléia Legislativa. Muitos apostavam que Camurça seria o candidato a deputado estadual mais votado da Capital. Porém, ao final da apuração, não obteve sequer 6.000 votos. A surpresa foi grande. Entretanto, só resta respeitar a decisão dos eleitores. Camurça foi uma das “vítimas” da Lei Ficha Limpa. Lamentavelmente.

RESPINGOS DO 1º. TURNO (3)

Outro que recebeu o “castigo” das urnas foi o deputado estadual “Doutor Alexandre”, que está sendo objeto de lide judicial onde aparece como réu, por ter operado uma paciente - (cirurgia para redução de estômago) - que findou morrendo. É acusado de suposto erro médico.

Seu assessor Jair Monte, que concorreu à Câmara Federal deu-lhe outro banho de votos, obtendo mais de 7.000 sufrágios. Aliás, isso já havia ocorrido quando das eleições municipais em Porto Velho, em 2006, quando obteve quase 3.000 mil votos (porém, não se elegeu), porque dentre outras coisas, o “Doutor Alexandre” obteve naquela oportunidade menos de cinco mil votos (5.000) concorrendo ao cargo de prefeito.

Parece que já está passando da hora de Jair Monte alçar seu próprio vôo e seqüenciar sua carreira política, pois já provou que é bom de voto.

RESPINGOS DO 1º. TURNO (4)

Os Delegados de Polícia Civil Carlos Eduardo e Paulo Abemor apesar de bem cotados no pleito eleitoral de 2010, findaram não se elegendo. Uma pena, pois certamente fariam coisas boas pela Segurança Pública de Rondônia. Assim como estão fazendo ao longo de suas carreiras como Agentes da Lei. O negócio é não desanimar e ir se preparando para a próxima eleição.

RESPINGOS DO 1º. TURNO (5)

Surpresa mesmo foi a votação obtida pelo candidato ao governo de Rondônia, Expedito Júnior (PSDB), que mesmo concorrendo por sua conta e risco (após uma série de obstáculos políticos) obteve apenas 123.692 votos nas urnas. Muitos achavam que Expedito conseguiria uns 300.000 votos.

Expedito, entretanto, já revelou a intenção de, juntamente com o seu grupo político apoiar Confúcio Moura (PMDB), agora, no 2º. Turno.

Só que surgiu “outra pedra” no caminho de Expedito Júnior: o alto cardialato do PSDB nacional, bem como, o Diretório Regional em Rondônia, que é presidido pelo médico Aparício Carvalho estariam dispostos até a expulsar os filiados, detentores de mandatos ou candidatos recém-eleitos que vierem a prestigiar candidaturas opostas a José Serra que está disputando à presidência da República contra a candidata “chapa branca” Dilma Rousseff (PT).
Portanto, se contrariar as diretrizes da Executiva Nacional, bem como aquelas que forem provenientes do Diretório Regional do PSDB, em Rondônia, Expedito Júnior poderá fazê-lo por sua conta e risco. Porém, na condição de filiado ao PSDB, não poderá fazer palanque ou participar de eventos em favor de siglas ou de candidatos que forem adversários da candidatura de Serra à sucessão de Lula.

Foi o que o Diretório Regional do PSDB em Rondônia decidiu em reunião ocorrida à noite do dia 05/10 (terça-feira, pretérita).
E agora?
É a pergunta que não quer calar. 

Expedito, como se sabe, também foi “vítima” da Lei Ficha Limpa, por isso viu sua campanha se diluir ao longo dos meses. E de favorito terminou em terceiro lugar na disputa pelo governo do Estado.     

RESPINGOS DO 1º. TURNO (6)

Sem dúvida que o grande perdedor das eleições de 2010, em Rondônia, foi o Partido dos Trabalhadores (PT), que perdeu seus três representantes no Congresso Nacional: Fátima Cleide (senadora), Eduardo Valverde e Anselmo de Jesus (deputados federais).

Fátima perdeu sua cadeira para o ex-governador Ivo Cassol (PP) e Valverde e Anselmo perderam as suas para o Dr. Mouro Nazif e Padre Tom, apesar do Dr. Mauro ter se reelegido. Mas em termos da coligação feita entre PT e PSB pode-se dizer que ele ficou com uma das vagas petistas.

Entretanto, comenta-se que, o PT poderá decidir apoiar Confúcio Moura, e se o mesmo vencer a sucessão estadual, certamente, poderia arranjar “boquinhas e boconas” no Executivo Estadual para políticos petista. Aliás, nada obsta contra isso.

E se Confúcio perder, Fátima Cleide, Anselmo de Jesus e Eduardo Valverde, também poderiam ser aproveitados em cargos federais, no caso de Dilma Rousseff se tornar presidente do Brasil. Essa possibilidade é muito grande também.

RESPINGOS DO 1º. TURNO (7)

Vale a pena à população ler o escopo da Lei Ficha Limpa – No. 135/2010. É interessante. Por isso mesmo se tornou algo tão polêmico nas eleições deste ano. Essa lei surgiu da força da população brasileira, que já não suporta tanta corrupção nos legislativos (municipais, estaduais e federais) brasileiros.
Uns dizem que ela é constitucional. Outros dizem que não é constitucional.
Cabe ao Supremo Tribunal Federal decidir essa importante questão para a seara política do País. Aguardemos, pois. 

RESPINGOS DO 1º. TURNO (8)

Com uma votação expressiva, ou seja, com mais de 20.000 votos o vereador ZEQUINHA ARAUJO se elegeu deputado estadual. A torcida era muito grande por esse vereador, que há bastante tempo presta bons serviços à população de Porto Velho, sobre modo, assistindo aos mais carentes e necessitados.
Zequinha é um dos oito (8) deputados estaduais, eleitos pela Capital, que desta vez mostrou sua força nas urnas, vez que, possui mais de 270.000 eleitores. Oito deputados representam 1/3 das 24 cadeiras da Assembléia Legislativa de Rondônia.  

Marinho Melo (PMDB), suplente de Zequinha Araújo, na Câmara Municipal, está dando “saltos triplos carpados” de alegria, pois acaba de ganhar dois anos de mandato (2011 e 2012). Isso é que é ter sorte grande.
Outros suplentes que também tomarão posse na Câmara de Vereadores de Porto Velho são: Sid Orleans (PT), para uma das vagas a serem abertas por Hermínio e/ou Epifânia que se elegeram deputados estaduais.
Enquanto Edmilson Lemos deverá ser empossado na vaga de Jean Oliveira. 

RESPINGOS DO 1º. TURNO (9)

A imprensa e a população estão elogiando o trabalho de qualidade que está sendo realizado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia, sob o comando da Desembargadora Zelite Andrade Carneiro. Graças ao planejamento antecipado, investimentos em informática, aquisição de equipamentos de ponta, capacitação de pessoal (técnicos administrativos, judiciários e de informática, secretárias, setor de comunicação, dentre outros) as eleições estão transcorrendo em clima de tranqüilidade em todo o Estado. Até o número de prisões diminuiu sensivelmente, e a logística do TRE permite que todas as situações sejam esclarecidas com absoluta transparência.
Destaque também para a prestimosidade das informações passadas à Imprensa (rádios, jornais, televisões e sites). Isso permite que a população seja informada rapidamente em tudo o que diz respeito às eleições de 2010, sobre modo, daquilo que emana do Tribunal Superior Eleitoral, STJ e STF.

A expectativa é que a mesma tranqüilidade venha a ocorrer no dia 31 quando os eleitores voltarão às urnas para escolher o novo governador de Rondônia e o sucessor ou sucessora do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

RESPINGOS DO 1º. TURNO (10)

Ainda sobre o clima eleitoral que paira em todo o Estado de Rondônia pode-se dizer que, a disputa pelo governo vai confrontar, com certeza, o poder da máquina executiva com as realizações da dupla Cassol e João Cahulla nos últimos oito anos. Fase em que o Estado passou a atravessar expansão e crescimento econômico, sobre modo, com o advento das Usinas Hidrelétricas do Rio Madeira, construções de pontes para interligar Rondônia aos estados do Acre, Amazonas e Bolívia, assim como, a expansão de seu parque industrial, construção do novo Porto Fluvial de Porto Velho, recuperação total da BR-319 (Porto Velho/Manaus), e o “boom” da construção civil que está a mil em diversos municípios, incluindo-se nisso, também, os efeitos dos programas do governo federal para áreas como habitação, saúde, educação e melhoria do sistema carcerário. E de quebra o governo comemora à transposição de aproximadamente 20.000 servidores de seus quadros para a União, até o final de 2010.

É dentro desse diapasão que João Cahulla e Confúcio Moura (PMDB) estarão buscando convencer o eleitorado a eleger um dos dois para governador de Rondônia pelos próximos quatro anos.
Sendo que, Cahulla busca a reeleição já que era vice, de Ivo Cassol (PP), que teve de deixar o cargo para concorrer a uma cadeira de Senador da República (conquistada com quase meio milhão de votos).

Por sua vez, Confúcio conta com o apoio do Senador Valdir Raupp (PMDB), reeleito, e também da coligação de forças políticas formada por partidos como PDT, PC do B, PSDB, DEM, e possivelmente do PT e do PSB, além de outras.

Uma coisa é certa: a disputa será acirrada e nesse momento é impossível prever, com absoluta precisão, a vitória para Cahulla ou Confúcio.

Embora para os céticos e fanáticos opositores ao “candidato chapa branca” Confúcio já esteja eleito governador. Será?

É isso que a população saberá após a apuração do dia 31 deste mês, quando as 3.377 urnas forem abertas e seus votos forem devidamente conferidos pelo TRE.
Sendo assim, ORAI PRO NOBIS!!!

Vota Brasil! Vota Rondônia!  A hora é agora. Quem sabe faz à hora, não espera acontecer! É o que diz a canção do “inoxidável” e talentoso Geraldo Vandré. Pois é.

ATÉ A PRÓXIMA, PREZADOS LEITORES !!!

Fonte: Walmir Miranda

Autor: Walmir Miranda

Versão para impressão Indique este arquivo Comente a notícia

Veja Também

Eleições: Chegou o momento do “ajuste de contas” do eleitor com a classe política.Eleições: Chegou o momento do “ajuste de contas” do eleitor com a classe política.

Hackers tentaram invadir o sistema implantado pelo TRE para as eleiçõesHackers tentaram invadir o sistema implantado pelo TRE para as eleições

Identificação Digital e Polícia Rodoviária Estadual: duas importantes realizações para a população rondonienseIdentificação Digital e Polícia Rodoviária Estadual: duas importantes realizações para a população rondoniense

Antro de viciados: “Área do Cai N´agua” está se transformando na “cracolândia” de Porto VelhoAntro de viciados: “Área do Cai N´agua” está se transformando na “cracolândia” de Porto Velho

Comentários dos leitores

Nome: IRANY DA SILVA
Comentado em 12/10/2010 às 16:40

Hoje eu prefiro o Cahulla no governo, afinal o PMDB esta com muita sede ao pote, sem falar que hoje o estado de rondonia tem credibilidade, assim como os servidores publicos de Porto Velho e do estado todo em geral.

Nome: GENE FALCAO
Comentado em 11/10/2010 às 22:28

De uma maneira clara e bem transparente a materia nos mostra que o segundo turno é praticamente uma nova eleição.....PARABENS!!!!!! pela a forma centrada que foi feita a materia

Nome: Marcos Hassan
Comentado em 11/10/2010 às 14:24

Parabéns pela matéria, muito clara e sensata! A forma como é descrita prende a atenção de nós leitores, mais uma vez parabéns.

Nome: valdelina aparecida de sousa
Comentado em 11/10/2010 às 13:26

se fosse o cahulla na frente vcs diriam
que estava eleito!!!
como é o confucio vc diz que a vitória
é um do dois, mas querendo vc ou não
confucio vai ser governador de RONDONIA!!!!!

Nome: Brasil
Comentado em 11/10/2010 às 11:31

Alguém sabe quanto tempo o Lula está no governo? Ou ainda é o FHC que governa? Pergunto isto porque só escuto a Dilma falar do governo anterior, mas o governo anterior não era o Lula, ou o FHC está no governo há dezesseis anos? Em oito anos dá para fazer muita coisa, se não fez, por que ficar cobrando do governo anterior, deveriam mostrar o que criaram de novo ou fizeram de melhor, mas ficam apenas mostrando o que colheram com os projetos do governo FHC. Por esta e por outras é voto no Serra no segundo turno.

Ver Todos (7)

Editores

Clickweb Agência Digital