Rondônia, sexta-feira, 23 de agosto de 2019
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Cidades

Publicado em Quarta, 06 de Julho de 2016 - 19h43

Fiscalização ambiental no Guaporé é suspensa por falta de pagamento de diárias; Sedam garante retornar na sexta

Da Redacao


A comunidade ribeirinha do distrito de Porto Rolim, a 700 quilômetros de Porto Velho, pediu apoio do governador Confúcio Moura (PMDB) para garantir o policiamento ostensivo no rio Guaporé, evitando a pesca predatória e a matança de animais silvestres. Na última segunda-feira, o destacamento do Batalhão da Polícia Ambiental abandonou o posto de fiscalização no porto que dá acesso ao Guaporé via distrito, alegando a suspensão do pagamento das diárias que é feito pela Secretaria de Desenvolvimento Ambiental (Sedam). Há cerca de uma semana, o prefeito de Alta Floresta, Vantuil do Posto (PMDB), se reuniu com representantes do batalhão e da Sedam falando da necessidade da permanência da barreira policial. As autoridades estaduais se comprometeram com a comunidade ribeirinha, mas quatro dias depois, os policiais deixaram o posto.

O ribeirinho Claudionor José Dias (foto), o “Fumaça”, que cuida do porto de entrada dos turistas e moradores, explica que pelo menos 200 pessoas circulam por semana no distrito atrás de pescaria esportiva, turismo e atividades desenvolvidas pelas pousadas locais.  “Simplesmente retiraram a fiscalização na segunda”, disse ele, lamentando porque os maiores prejudicados são os trabalhadores locais que vivem da exploração da pesca esportiva e o turismo ecológico. “O rio baixou e sem a devida fiscalização muita gente vai matar os peixes com zagaia e arpão”, explicou. De fato, o morador tem razão. A equipe do Rondoniagora flagrou no meio do rio Guaporé armadilhas para capturar tartarugas. 70% dos mais de 700 habitantes de Porto Rolim vivem do turismo, seja como piloteiro, dono de pousada, cozinheira ou guias.

Em contato com a reportagem, o comandante da Polícia Ambiental, coronel Aróstenes Viana de Azevedo, confirmou que os policiais de Alta Floresta foram retirados da base de Porto Rolim de Moura. Segundo ele, a vontade era mandar até 10 policiais para cobrir toda extensão do Guaporé, mas as diárias foram suspensas pela Sedam. “Estamos aguardando um posicionamento da Sedam”, explicou o comandante.

O presidente da Organização Ecológica Comunitária de Conservadores do Rio Guaporé e seus Afluentes (Ecomeg), Marclay Bolsoni Coutinho, enviou ofício ao tenente coronel Vilson Salles de Machado pedindo explicações para a suspensão da fiscalização da polícia ambiental na região. “Se ficar tudo liberado a matança indiscriminada será grande e o prejuízo ao meio ambiente será incalculável”, afirmou o dirigente da ONG.

Carteira de pescador amador

Pela legislação em vigor estadual e federal, o pescador amador precisa retirar uma carteira no Ministério da Pesca via internet para pescaria embarcada e pagar uma taxa de R$ 60,00. Com esse documento provisório, o cidadão está autorizado a pescar no Guaporé e só poderá levar 1 espécie ou 5 quilos de peixe. Com a saída da barreira, a retirada de peixe do que já foi o maior santuário ecológico do estado será indiscriminada.

O que diz a Sedam

O secretário estadual de Desenvolvimento Ambiental, Vilson de Salles Machado, informou através da sua assessoria que a fiscalização no Guaporé será retomada e permanecerá por tempo indeterminado mas a partir da próxima sexta-feira, 8. A suspensão dos serviços da Polícia Ambiental ocorreu por conta de ajustes financeiros, segundo ele.


(Disponível em https://www.rondoniagora.com/cidades/fiscalizacao-ambiental-no-guapore-e-suspensa-por-falta-de-pagamento-de-diarias-sedam-garante-retornar-na-sexta)
Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions