Rondoniagora.com

Rondônia, 25 de Setembro de 2022
Banner
Siga o Rondoniagora

Cidades

MUNICÍPIOS DO MATO GROSSO ESTÃO A BEIRA DA GUERRA CIVIL APÓS TRUCULENCIA DE OPERAÇÃO DA PF

Quinta-feira, 20 Março de 2008 - 08:59 | Senado


O senador Jayme Campos (DEM-MT) disse nesta quarta-feira que em 19 municípios de Mato Grosso inicia-se "um clima de desobediência civil", em razão da Operação Arco de Fogo, montada para fazer cumprir as restrições ao desmatamento previstas no Decreto 6.321/2007. A região atingida fica no norte estado, onde já há quem pregue a interrupção do pagamento de impostos e o bloqueio das rodovias 363 e 364.

Em outro tipo de reação, muitos empresários estão simplesmente fechando seus negócios no setor, como foi o caso recente da madeireira Fabiana, instalada no município de Sinop. Nos últimos três anos, 30% das empresas do setor teriam fechado as portas no estado.

A irritação dos mato-grossenses com o decreto levou a Assembléia Legislativa do estado a aprovar um voto de repúdio à ministra do Meio Ambiente, Marina Silva. A atmosfera teria piorado em razão das divergências entre o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) e a Secretaria de Meio Ambiente do estado a respeito dos critérios para o licenciamento para exploração de madeiras.

Em outro tipo de reação, muitos empresários estão simplesmente fechando seus negócios no setor, como foi o caso recente da madeireira Fabiana, instalada no município de Sinop. Nos últimos três anos, 30% das empresas do setor teriam fechado as portas no estado.

Na opinião do senador, o fechamento de empresas está causando queda na renda e no emprego e afetando em cadeia outras atividades empresariais. As repercussões sociais já teriam se mostrado nos crescentes índices de criminalidade captados pelos pesquisadores que elaboraram o mapa da violência.

- A falta de confiança leva ao ceticismo e ao crime, que deságuam no caos, no triunfo do desgoverno e na desobediência sem precedentes - disse o parlamentar do DEM. Para ele, o governo Luiz Inácio Lula da Silva não tem compromisso com o setor produtivo e com o conjunto da sociedade mato-grossense.

O senador aconselhou o governo a evitar medidas repressivas e adotar uma política de alternativas econômicas e sociais que conjuguem produção com respeito ao meio ambiente. Ele disse acreditar que, no momento, há um confronto entre "os que querem preservar a todo custo e os que querem produzir".

- Esses pioneiros e patriotas que migraram para o Mato Grosso estimulados pelo governo federal merecem respeito. Não podem ser tratados como bandidos - defendeu o senador. Rondoniagora.com

SIGA-NOS NO Rondoniagora.com no Google News