Rondônia, sábado, 24 de outubro de 2020
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Cidades

Publicado em Quarta, 23 de Setembro de 2015 - 11h48

Prefeito de Vale do Paraíso condenado por ato de improbidade administrativa

MP-RO


O Ministério Público de Rondônia, por meio da Promotoria de Justiça de Ouro Preto do Oeste, obteve a condenação do Prefeito do Município de Vale do Paraíso, Luiz Pereira de Souza, seu Secretário de Obras e um empresário, por ato de improbidade administrativa, consistente em ilegalidades praticadas na contratação de serviços de manutenção de rede de iluminação pública do Município de Vale do Paraíso.

A condenação é resultado de ação civil pública proposta pelo Ministério Público, contra o prefeito, o secretário de Obras de Vale do Paraíso, Vanício José da Silva, o empresário Erasmo Carlos Silva de Moura e sua empresa.

Na ação, o MP argumenta que o prefeito, juntamente com o secretário, contratou serviços de manutenção de rede de iluminação pública do Município de Vale do Paraíso, sem a realização de licitação.

Conforme destacou o Ministério Público na ação, ao tomarem conhecimento de que essa irregularidade era investigada pelo MP, o prefeito e o secretário de Obras, visando dar ′ares′ de legalidade ao ato ímprobo já consumado, deflagraram então o Procedimento Licitatório, no qual se sagrou vencedora a empresa Erasmo Carlos Silva de Moura – ME.

Ocorre que o processo licitatório, realizado apenas com o objetivo de mascarar a irregularidade identificada pelo Ministério Público, foi iniciado me março de 2013, tendo o contrato sido assinado em outubro do mesmo ano e as obras de execuções iniciadas em maio de 2014. Isso tudo com os pagamentos já feitos à empresa.

Diante dos fatos, o Ministério Público afirma que Luiz Pereira de Souza e Vanício José da Silva autorizaram pagamentos à empresa Erasmo Carlos Silva de Moura – ME, sem que os serviços para os quais foi contratada tivessem sido executados e, para agravar, sem que tais obras estivessem detalhadas em projeto e sem apresentação de cronograma financeiro.

Na ação, cita, ainda, que a empresa vencedora da licitação não participou de pré-cotação, não apresentou certidão de regularidade fiscal e também não possuía qualquer especialização na área de manutenção de rede elétrica, uma exigência prevista em edital.

Condenação

Acatando os argumentos do Ministério Público, o Judiciário condenou o Prefeito Luiz Pereira de Souza e o Secretário de Obras, Vanício José da Silva, pela prática de atos de improbidade administrativa que causaram prejuízos ao erário e que atentaram contra os princípios da administração pública, previstos nos incisos XI e XII do artigo 10, e caput do artigo 11, da Lei nº 8.429/92.

Assim, foram aplicadas aos réus as sanções de reparar integralmente o dano; a perda da função pública; suspensão dos direitos políticos e proibição de contratar com o poder público, pelo prazo de três anos, entre outras.

Já a empresa Erasmo Carlos Silva de Moura – ME e seu proprietário foram condenados pela prática de atos de improbidade administrativa que importaram em enriquecimento ilícito, previsto no caput e inciso XI do artigo 9º da Lei n 8.429/92, sendo-lhes aplicadas penalidades como a obrigação de reparar integralmente o dano e a proibição de contratar com o poder público.


Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions