Rondônia, sexta-feira, 13 de dezembro de 2019
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Eleições

Publicado em Domingo, 12 de Outubro de 2014 - 21h40

Ministro nega direito de resposta a Dilma por reportagem publicada em jornal

RONDONIAGORA


O ministro Admar Gonzaga, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), negou pedido de direito de resposta solicitado pela Coligação com a Força do Povo e por Dilma Rousseff no qual questionavam reportagem veiculada no jornal "O Estado de S. Paulo". Na edição de 1º de outubro de 2014, o jornal publicou o seguinte título de capa: "Dedo dos petistas nos Correios ajuda Dilma, diz deputado".

Para as autoras da representação, a matéria jornalística apresenta “conteúdo supostamente difamatório e sabidamente inverídico, incompatível com a realidade dos fatos”. Isto porque sustentavam que o jornal teria acrescentado o advérbio “só" nas declarações do deputado estadual mineiro Durval Ângelo (PT) o qual, em reunião com dirigentes dos Correios em Minas Gerais, teria afirmado que “a presidente Dilma Rousseff só chegou a 40% das intenções de voto em Minas Gerais, porque tem dedo forte dos petistas dos Correios".

Assim, alegavam que a inclusão do advérbio "só", no contexto da afirmação do deputado, alterou a exata compreensão da realidade. Sustentavam, ainda, que a candidatura de Dilma Rousseff foi prejudicada em virtude da “difamação disseminada” pelo jornal que sugeriu “conduta imoral de uma empresa pública federal para favorecê-la".

Decisão

Ao decidir, o ministro Admar Gonzaga observou que a Coligação com a Força do Povo e Dilma Rousseff não comprovaram a suposta inclusão do advérbio “só" na fala do deputado. Para o relator, o acréscimo dessa expressão, no referido contexto, “poderia mesmo vir a confundir o leitor sobre a exatidão dos fatos narrados. “Entretanto, não há nos autos a mídia contendo a gravação do discurso, de forma a possibilitar a comprovação do alegado”, avaliou o relator, ressaltando que tal circunstância também foi aferida pelo Ministério Público Eleitoral.

“Não entrevejo a alegada divulgação de matéria de conteúdo ofensivo ou sabidamente inverídico, ou qualquer outro elemento que possa atrair a incidência do artigo 58 da Lei das Eleições”, salientou o ministro. Ele entendeu que o jornal apenas cumpriu com o seu dever de informar, “prerrogativa de todo veículo de comunicação social, também essencial ao debate democrático e intrínseco ao processo eleitoral”. Por essas razões, o ministro Admar Gonzaga julgou improcedente o pedido de direito de resposta apresentado na presente representação.

(Disponível em https://www.rondoniagora.com/eleicoes/ministro-nega-direito-de-resposta-a-dilma-por-reportagem-publicada-em-jornal)
Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions