Rondônia, sábado, 7 de dezembro de 2019
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Geral

Publicado em Sexta, 27 de Fevereiro de 2009 - 10h48

MP ajuíza ação para suspender cobrança de honorários por procuradores de Cacoal

MP-RO


Os promotores de Justiça Éverson Antônio Pini, Daniella Beatriz Göhl e Alexandre Jésus de Queiroz Santiago ajuizaram ação civil pública de obrigação de não fazer, com pedido de liminar, para que o município de Cacoal suspenda a cobrança de honorários de sucumbência instituídos pela Lei nº 1084/2000 e regulamentados pelo decreto nº 1660/PMC/2001, sob pena de multa diária no valor de R$ 10 mil. Na mesma ação, os promotores de Justiça pedem que seja reconhecida a inconstitucionalidade da referida lei e do decreto, no que se refere ao recebimento desses honorários.
Requerem ainda que, após os desdobramentos processuais, seja a ação julgada procedente, condenando-se o município na obrigação de não fazer, consistente em não permitir que seus advogados e/ou procuradores recebam os respectivos honorários e que estes sejam revertidos em favor do município, sob pena de multa diária de R$10 mil.
A Lei nº 1084/2000 - Estatuto do Servidor Público Municipal - trata das competências de cada cargo e transcreve, no caso do cargo de advogado, a descrição sumária de suas funções e direitos, estando, entre estes, os honorários de sucumbência fixados pelo juiz. A Promotoria de Justiça apurou que, com base nessa lei e também no artigo 3º do Estatuto da OAB, os advogados e procuradores do município de Cacoal, com autorização do município, têm recebido, de forma ilegal e ímproba, honorários advocatícios a título de sucumbência.
A ação teve como base uma reclamação prestada por um cidadão cacoalense contra um procurador do município. Ao se dirigir à Procuradoria Jurídica da Prefeitura de Cacoal, em outubro de 2008, visando um acordo decorrente de débito fiscal, o qual não havia sido objeto de execução, o citado cidadão foi informado acerca do montante da dívida a ser paga e, além disso, foi surpreendido com um pequeno cartão contendo o número particular do procurador para que depositasse, além da dívida, os honorários de sucumbência no valor de R$ 53,37.
O mesmo cidadão declarou ainda que já havia pago, no ano de 2004, honorários aos procuradores, depositando, na época, R$ 236,59 em uma conta da “Advocacia Municipal”. Na ação, os promotores pedem que a cópia da decisão liminar e da sentença final seja encaminhada aos cartórios de todas as varas cíveis da comarca, assim como à Seccional da OAB em Cacoal e aos procuradores/advogados do município.

(Disponível em https://www.rondoniagora.com/geral/mp-ajuiza-acao-para-suspender-cobranca-de-honorarios-por-procuradores-de-cacoal)
Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions