Rondoniagora.com

Rondônia, 01 de Outubro de 2022
Banner
Siga o Rondoniagora

Geral

OPERAÇÃO "DA SHAN" APRENDE MAIS DE R$ 120 MIL, CARROS E MATERIAL PARA FALSIFICAÇÃO DE PASSAPORTE

Sábado, 23 Maio de 2009 - 11:34 | RONDONIAGORA.COM


A Polícia Federal informou que cumpriu os 14 mandados de prisão da Operação “Da Shan”, que desarticulou uma quadrilha especializada em introduzir ilegalmente cidadãos chineses no território brasileiro. Foram 12 prisões em Rondônia e 2 em São Paulo. Durante as buscas em Recife, os policiais apreenderam 84 mil reais. Já em São Paulo, foram apreendidos 5 mil dólares. Também na capital paulista, na casa do líder da quadrilha, os agentes federais apreenderam R$ 124 mil, três carros importados e apetrechos para alteração de passaportes, além de duas notificações emitidas pela Delegacia da PF em Vilhena para imigrantes chineses saírem do país.

Os chineses, em sua maioria, vêm da província denominada Fujian, famosa por abrigar algumas das maiores fábricas de produtos pirateados do mundo. A rota usada costumava passar pela Holanda, Peru, Equador, Bolívia e Brasil. O líder do grupo, preso em São Paulo hoje, é Zhu Ming Wen conhecido como Tony. Além de controlar a chegada dos chineses, ele também é acusado de enviar de mercadoria contrabandeada de São Paulo para Recife/PE.

As investigações começaram em 2008 com prisões em flagrante realizadas em Porto Velho, Ji-Paraná e Vilhena no sul do estado. Em uma das ações, chineses foram presos tentando embarcar com o carimbo de visto de entrada falsificados. Estas prisões revelaram um grande número de chineses que entravam e permaneciam ilegalmente no Brasil por Rondônia. Com o apoio do Ministério Público Federal e com ações autorizadas pela Justiça Federal, foi identificada uma organização criminosa internacional voltada para o tráfico internacional de pessoas. Este grupo é composto por aliciadores, denominados coiotes, que atraem estas pessoas com promessas de trabalho. Eles eram liderados por uma cidadã paraguaia atuante em seu país e na Bolívia, que foi presa em flagrante este ano ao transpor a fronteira em Foz do Iguaçu com vários chineses.

Os chineses, em sua maioria, vêm da província denominada Fujian, famosa por abrigar algumas das maiores fábricas de produtos pirateados do mundo. A rota usada costumava passar pela Holanda, Peru, Equador, Bolívia e Brasil. O líder do grupo, preso em São Paulo hoje, é Zhu Ming Wen conhecido como Tony. Além de controlar a chegada dos chineses, ele também é acusado de enviar de mercadoria contrabandeada de São Paulo para Recife/PE.

Os integrantes da organização criminosa deverão responder pelos crimes de formação de quadrilha e por manter trabalhador em condições semelhantes à de escravo com penas que podem chegar a 11 anos de prisão.

O nome da operação significa grande montanha e denomina a região sul de Fujian. Rondoniagora.com

SIGA-NOS NO Rondoniagora.com no Google News