Rondoniagora.com

Rondônia, 01 de Outubro de 2022
Banner
Siga o Rondoniagora

Geral

Sedec aponta despreparo de mais de 1.300 municípios para enfrentar desastres

Quarta-feira, 14 Janeiro de 2009 - 20:03 | RONDONIAGORA.COM


Até dezembro do ano passado, dos 5.569 municípios brasileiros, 1.308 não contavam com serviços de defesa civil. Segundo o coordenador geral do Departamento de Minimização de Desastres da Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec), Sérgio José Bezerra, o Nordeste e o Centro-Oeste são as principais regiões com carência de equipes treinadas para prevenir e responder a desastres.

Bezerra enfatizou que os municípios são os únicos responsáveis pela criação e administração das defesas civis municipais. “Não pode haver interferência do estado ou do governo federal num lugar que não tem [Defesa Civil]”, ressaltou.

Ele informou que mais de 20 mil pessoas foram capacitadas pela Sedec nos últimos anos. “Isso fez com que a Defesa Civil no Brasil crescesse em conhecimento, em repercussão.”.

Bezerra enfatizou que os municípios são os únicos responsáveis pela criação e administração das defesas civis municipais. “Não pode haver interferência do estado ou do governo federal num lugar que não tem [Defesa Civil]”, ressaltou.

Para ele, a falta de preparo para enfrentar desastres pode sobrecarregar o governo do estado. “Quando acontece o desastre, o município pede apoio ao estado e, quando o estado está sobrecarregado, pede apoio ao governo federal. Em Santa Catarina, o estado respondeu a vários municípios ao mesmo tempo.”

De acordo com Bezerra, a Sedec está tomando providências para resolver o problema da falta de defesa civil nos municípios. “Temos conversado com os prefeitos, dizendo a eles que podem ocorrer desastres e que o município tem de estar preparado para isso.”

A partir de amanhã (15), entram no site da Sedec informações sobre as novas capacitações e, dentro de uma semana, o secretário nacional de Defesa Civil enviará aos prefeitos um ofício com diversas informações sobre o enfrentamento de situações críticas.

Rondoniagora.com

SIGA-NOS NO Rondoniagora.com no Google News