Rondoniagora.com

Rondônia, 28 de Setembro de 2022
Banner
Siga o Rondoniagora

Geral

Sipam alerta para cheia do rio Machado até domingo; Madeira também sobe

Quinta-feira, 26 Fevereiro de 2009 - 22:28 | Sipam


A cheia do rio Machado, causada pelas chuvas intensas que caíram sobre a região central de Rondônia no período de carnaval, ainda deve prosseguir até o próximo domingo. Segundo o estudo dos analistas do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), o evento foi causado por frente fria vinda do sul e que ainda está sobre Ji-Paraná. “A bacia do rio Machado é pequena e responde rapidamente aos eventos de chuva. Como há previsão de chover até domingo, mantemos o alerta para a população que vive às suas margens”, revela Ana Cristina Strava, Coordenadora de Operações Integradas do Sipam.

Já no norte do estado, em Porto Velho, choveu mais – 135 milímetros – mas o rio Madeira não corresponde imediatamente como o Machado, seu nível é influenciado pelas chuvas em sua nascente, na Bolívia. Mesmo assim, o Madeira chegou a 13.93 metros, numa subida que vem desde o dia 11 deste mês e deve se manter pelos próximos três dias.

Rio Madeira

Já no norte do estado, em Porto Velho, choveu mais – 135 milímetros – mas o rio Madeira não corresponde imediatamente como o Machado, seu nível é influenciado pelas chuvas em sua nascente, na Bolívia. Mesmo assim, o Madeira chegou a 13.93 metros, numa subida que vem desde o dia 11 deste mês e deve se manter pelos próximos três dias.

Em reunião ocorrida nesta quinta-feira (26), representantes do Sipam, da Delegacia Fluvial, Defesas Civis Municipal e Estadual, CPRM e Consórcio Madeira Energia S/A analisaram que este crescimento do nível do rio Madeira afasta a possibilidade de uma seca rigorosa, como a de 1995. “Percebemos que o rio está subindo devagarinho e vai recuperar sua vazão normal”, conclui Ana Cristina Strava.

Também está descartada uma grande cheia como a do ano passado (influenciada pelo fenômeno La Niña), uma vez que o período chuvoso vai somente até abril. Assim, a expectativa é de normalidade para ribeirinhos e moradores de cidades margeadas pelo rio. Rondoniagora.com

SIGA-NOS NO Rondoniagora.com no Google News