Rondônia, terça-feira, 19 de março de 2019
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Polícia

Publicado em Domingo, 04 de Outubro de 2009 - 18h08

Abortivos seriam vendidos em Humaitá

RONDONIAGORA


Raimundo Altamir Lima da Cunha e Roberta Lima Ferreira que traziam 3.780 comprimidos do remédio Cytotec e mais 200 comprimidos do remédio Procops contrabandeados da Bolívia, foram presos na madrugada deste domingo, na BR 425 região do distrito de Araras, por policiais civis de Nova Mamoré/RO, comandados pelo Delegado Lobo, em conjunto com policiais do GIC, comandados pelo Delegado Jeremias Mendes,. Após as “compras” na Bolívia os infratores retornaram para o Brasil e se hospedaram em um hotel, onde aguardaram à noite chegar. Depois embarcaram no táxi e seguiam para a capital do Estado, quando então foram abordados e presos.

No momento da prisão Raimundo disse ao delegado Loubivar ser proprietário de uma farmácia localizada no bairro Embratel, em Porto Velho. Disse ainda ter adquirido os medicamentos na cidade de Guayaramerin-Bolívia, pelo valor de R$ 3 mil e que sua intenção era levá-los para a cidade de Humaitá-AM, aonde sua empresa tinha ganhado uma licitação pública. Já Roberta falou ao delegado ser companheira de Raimundo e tê-lo acompanhado até à Bolívia. Segundo a Polícia ela sabia que seu companheiro comercializava medicamentos de origem ilícita.
Segundo o Delegado Lobo, o medicamento Cytotec tem circulação restrita no território nacional, e não pode ser vendido diretamente à população. “Somente hospitais credenciados podem adquiri-lo, isto conforme portaria 344/98, do Ministério da Saúde”, salientou a autoridade policial.

O remédio, que deve ser indicado no tratamento de úlceras gástricas e duodenais, tem efeito altamente abortivo em face das contrações uterinas que ocasiona, e por conta disso, vem sendo usado indiscriminadamente em manobras abortivas. Possui efeitos colaterais nefastos como paralisia facial, estrabismo e anomalia de membros.

Valor

A droga é vendida no mercado paralelo por R$ 50,00 o comprimido, sendo que os traficantes “recomendam” quatro drágeas para cada abortamento. Fazendo simples conta 3.780X50= 180.000 mil reais. É o valor do lucro estimado. A prisão dos infratores e a apreensão dos medicamentos trouxeram enorme satisfação aos policiais: “ muitos embriões deixaram de ser assassinados, muitas crianças poderão nascer perfeitas, sem os perversos efeitos da “pílula milagrosa”, desabafou o Delegado.

GIC e PC

Esta foi a segunda apreensão de contrabando da Bolivia neste final de semana. Na sexta-feira, foram apreendidos por policiais civis em Nova Mamoré e do GIC, cigarros sem documentação fiscal. E, neste domingo, estes medicamentos. O delegado Jeremias Mendes do GIC, que acompanha o trabalho de sua equipe nesta e em outras localidades do Estado, onde existem suspeitas de tráfico, contrabando e outros delitos, observou que seu grupo esta dia e noite trabalhando em defesa da sociedade contra todo tipo de criminalidade.

(Disponível em https://www.rondoniagora.com/policia/abortivos-seriam-vendidos-em-humaita)
Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions