Rondônia, segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Política

Publicado em Terça, 22 de Março de 2016 - 16h17

Operação Kairós: Delegado explica como funcionava o esquema na Caerd

Da Redacao


Pelo menos 7 servidores da Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia (Caerd) foram afastados de suas funções e proibidos de se aproximar da entidade e também de empresas investigadas na Operação Kairós, deflagrada na manhã desta terça-feira (22), em Porto Velho. Segundo a Polícia Civil, foram também decretadas medidas cautelares que proíbem a aproximação de ex-servidores e também a suspensão das atividades de dois contadores que aparecem nos processos investigados pela polícia. A suspeita é que o esquema tenha desviado mais de R$ 8,5 milhões. Os policiais apreenderam 28 processos, que devem passar por análise minuciosa. A operação deve ter um novo desdobramento, quando devem ser expedidos mandados de prisão para os envolvidos.

Segundo o delegado titular da Draco, Marcos Vinicius Alves, a primeira fase da operação pretendia resguardas as provas e impedir que os servidores pudessem de alguma forma, destruíssem alguma prova que pudesse incriminá-los. A forma exata como o esquema funcionava e o caminho do dinheiro, ainda serão analisados. As vantagens que os servidores e empresários tinham com o esquema também não foi divulgado pela polícia. O delegado explica que o esquema foi denunciado em julho de 2015, por um comitê de gestão de risco da própria Caerd, onde apontava indícios de fraude em quatro processos de uma mesma empresa, a Mult Lucro Comércio e Serviços Ltda, que tinha como contador e proprietário Elias Barbosa Dias, já investigado na Operação Apocalipse.

“Já foi constatado um conluio entre empresas que vinham vencendo licitações na Caerd entre 2009 e 2010. Então, outras medidas serão podem ser representadas em desfavor dos representantes das empresas, e como foi constatado indícios sérios de falsidade documental, relacionados principalmente com contadores que atuavam nas empresas na época, foram cumpridos mandados de busca e apreensão nos escritórios de contabilidade. Agora, aguardamos a análise da documentação apreendida”, explica o delegado.

Ainda de acordo com a Draco, nesta fase não foram solicitados mandados de prisão preventiva por conta do prazo de 10 dias para analisar todos os processos apreendidos. “O lapso temporal desde o início das condutas delituosas, até a comunicação à Draco, até a deflagração de hoje atrapalham e são pesados com muita parcimônia até a decretação de alguma medida cautelar. Nós representamos ao juízo medidas cautelares que auxiliam na nossa investigação. Nós queremos impedir que hajam dilapidação de provas. Não podem se esvair as provas que nós precisamos. Então todas as informações que nós precisamos para uma segunda fase foram colhidos hoje”, garante Marcos Vinicius.

Sobre a participação das empresas no esquema fraudulento, a polícia explica que muitos dos sócios e proprietários não tinham conhecimento que a sua empresa teria participado de uma licitação na Caerd. “As licitações eram na modalidade convite. Algumas empresas, aquelas que realmente deveriam vencer no esquema criminoso, eram convidadas e outras figuravam como interpostos pessoais. Os documentos eram fraudulentos. Há falsidade de assinaturas já comprovadas”, garante o delegado.

Nenhuma das empresas investigadas possui contratos com a Caerd. Há provas de enriquecimento ilícito de empresários. “Algumas empresas foram formalizadas exclusivamente para a prática da fraude. Uma por exemplo foi formalizada a três dias antes da licitação”, finaliza do delegado.

Afastamento do prédio da Caerd por 15 dias:

  1. AMÉRICA MARIA RUZ DE LIMA VERDE FERREIRA
  2. AURILENE PEREIRA DA SILVA COELHO
  3. DALMON LOPES RODRIGUES
  4. DOMINGOS SÁVIO ALVES FEITOSA
  5. EDMAR FERREIRA DE SENA
  6. ELIAS BARBOSA DIAS
  7. LANDOALDO TELES NOVAIS
  8. MARIA DE FÁTIMA GOMES DE OLIVEIRA MARQUES
  9. ROSINETE NEPOMUCENO SENA
  10. SÉRGIO AUGUSTO PORTOCARREIRO RAMOS
  11. WILSON PEREIRA LOPES

Suspensão da profissão de contador 15 dias

  1. ELIAS BARBOZA DIAS
  2. EDMAR FERREIRA DE SENA

Busca e apreensão

  1. CAERD
  2. ESCRITÓRIO DE CONTABILIDADE DE EDMAR FERREIRA DE SENA”.
  3. ESCRITÓRIO DE CONTABILIDADE DE ELIAS B.DIAS
  4. RESIDÊNCIA DE EDMAR FERREIRA DE SENA
  5. RESIDÊNCIA DE ELIAS B. DIAS

Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions