Rondônia, 02 de fevereiro de 2023
Jornal Rondoniagora
Siga o Rondoniagora

Política

Presidente Alex Redano repudia invasão à fazenda, que gerou mais de R$ 5 milhões de prejuízo

Sexta-feira, 02 Dezembro de 2022 - 08:14 | Redação


Presidente Alex Redano repudia invasão à fazenda, que gerou mais de R$ 5 milhões de prejuízo

O presidente da Assembleia Legislativa, Alex Redano (Republicanos), repudiou as recentes invasões que grupos criminosos estão promovendo em propriedades rurais, gerando um clima de tensão no campo que precisa ser combatido, para que essas organizações criminosas, armadas, treinadas e perigosas, deixem de atuar contra quem trabalha e produz.

O deputado manifestou a sua indignação com os ataques contra as Fazendas Norbrasil e Arco-Íris, no distrito de Nova Mutum Paraná, em Porto Velho, onde bandidos invadiram a propriedade, atearam fogo na casa sede, em currais, máquinas, tratores, implementos, ração e veículos, além de matarem cabeças de gado, promovendo um clima de terror entre os trabalhadores e gerando um prejuízo estimado inicialmente em R$ 5 milhões, somente na Norbrasil.

"Fomos informados de que no última dia 29 (terça), um grupo de invasores adentrou a área da fazenda Norbrasil, ateando fogo em toda a estrutura de curral e na casa sede, queimando veículos, máquinas, implementos, tratores, ração e outros objetos, gerando um clima de terror entre os trabalhadores e proprietários, além de um prejuízo estimado em R$ 5 milhões", disse Redano.

Segundo o deputado, a informação é de que a área da fazenda é documentada há décadas, sendo produtiva e atuando de forma legal na produção agropecuária, mas tem sido vítima de ataques por parte de um grupo que leva o terror para a região: a Liga dos Camponeses Pobres (LCP). É preciso identificar e punir a esses criminosos, pois Rondônia não é terra sem lei".

Alex Redano pediu que o Governo, através da Secretaria de Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), proceda ações efetivas para coibir a prática criminosa desse grupo, além de punir quem praticou os atos de invasão e depredação do patrimônio privado.

As duas fazendas vem sendo alvos de seguidos e violentos ataques, inclusive até a morte de um capataz já foi registrada e até agora ninguém foi punido. Os invasores já teriam desmatado mais de 10 mil hectares da área de reserva da fazenda, e também na área da zona 2.1 de zoneamento socioeconômico ecológico de Rondônia, estabelecido na lei estadual 233/2000.

Rondoniagora.com

SIGA-NOS NO Rondoniagora.com no Google News

Veja Também