Rondônia, sexta-feira, 23 de outubro de 2020
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Geral

Publicado em Terça, 03 de Fevereiro de 2009 - 13h19

Empresa de vigilância não paga salários e ainda quer indenização

Adércio Dias


A empresa Vigher de Serviços de Segurança ingressou com o processo número 0011.2009.001.14.00-6, na primeira Vara do Trabalho da Capital, no qual admite ter atrasado pagamentos de salários e benefícios, mas requer uma milionária indenização, por supostos danos morais e materiais no valor de R$ 2.640.000,00, contra o Sindicato dos Vigilantes (SINTESV). Na própria petição protocolada na Justiça do Trabalho, a empresa admite textualmente que “ocorreu atrasos nos meses de setembro e outubro 2008”.

A VIGHER admite, ainda, várias outras irregularidades trabalhistas, como o atraso no pagamento de diferenças salariais decorrentes do Dissídio Coletivo, ocorrido em julho de 2008, e que deveriam ter sido pagos no mês subseqüente, os quais “começaram a ser pagos, tanto que pagou a primeira parcela no mês de outubro”.

Em relação a férias a empresa confessa, também, que “os trabalhadores que entraram em gozo de férias nos meses de setembro e outubro tiveram um pequeno atraso no pagamento do adicional”.

Para tentar justificar o milionário pedido, a VIGHER alega que o Sindicato teria causado danos à sua imagem e prejuízos em contratos ao denunciar essas irregularidades.

Além disso, questiona procedimentos internos da entidade sindical que deliberou em uma assembléia ficar em “estado de greve”, ou seja, manter a categoria mobilizada contra tais abusos. Segundo as alegações da empresa o estatuto exigiria “maioria dos associados”, mas teria se esquecido de mencionar, propositalmente, que o mesmo prevê que “em segunda votação com qualquer número”.

A empresa chega ao ponto de questionar a decisão soberana do SINTESV de proibir a participação de patrões em uma assembléia de trabalhadores.

O processo é continuação de outra medida judicial que impediu liminarmente a realização de uma assembléia, em novembro passado, que iria deliberar sobre uma possível greve a partir de 1º de dezembro último, caso a VIGHER não tivesse regularizado os débitos trabalhistas.

Para a Central Única dos Trabalhadores (CUT) a questão é muito preocupante, pois, de um lado, a empresa admite na Justiça que descumpriu vários direitos trabalhistas; por outro, busca nesta mesma Justiça impedir a ação sindical em defesa dos trabalhadores e ainda pleiteia uma milionária indenização.

Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions