Rondoniagora.com

Rondônia, 28 de Setembro de 2022
Banner
Siga o Rondoniagora

Geral

Policial rodoviário que acusou PMs teria gerado confusão; veja versão da PM e da suposta vítima em vídeo

Quinta-feira, 11 Agosto de 2011 - 23:20 | Comando190


Sediado em Ji-Paraná, o site Comando190 apurou uma versão diferente do que denunciou o policial rodoviário federal, Augusto César Araújo Soares, que alegou ter sido agredido por policiais militares na sede da Unir daquela cidade. Ele afirmou ter sido agredido, torturado e humilhado na frente de uma multidão de alunos. Mas o site apurou uma outra versão. Confira notícia e vídeo com os dois lados da história:

OUTRA VERSÃO - Trote na UNIR de Ji-Paraná termina na Delegacia de Polícia - Veja o vídeo

Em virtude do acontecimento ocorrido no último dia 09, dentro do Campus da Unir de Ji-Paraná, onde alguns  acadêmicos "veteranos", incluindo o Presidente do Diretório Acadêmico do Curso de Física, o PRF Augusto Cesar Araujo Soares, acabaram presos após desacatar policiais militares e incitar os outros estudantes contra a polícia, a equipe do comando190 buscou a veracidade dos fatos e publica:
De acordo com o BOP Nº2626-2011, registrado às 00:16, do dia 10/08/2011, Tipificação "Desacato", a Central de Operações recebeu dezenas de ligações dando conta que novos acadêmicos do Curso de Matemática estavam presos dentro de uma sala de aula e eram coagidos a pagar uma quantia de R$ 20,00, para poder sair, caso contrário seriam amarrados, pintados e teriam os cabelos cortados. De acordo com as denúncias, o dinheiro seria usado para comprar bebidas alcoólicas.

Diante da grave denúncia, a guarnição da PM composta pelo SD PM Nobre, SD PM Pedrassoli e SD PM Caldeira, juntamente com uma guarnição do GOE (Grupo de Operações Especiais), se deslocou para o Campus da Unir e ao chegar no local observaram uma grande aglomeração de alunos próximo a uma sala de aula. Dentro desta sala, os PM's constataram que alguns alunos realmente estavam no interior e não podiam sair.

Em seguida, mesmo com resistência de alguns "veteranos", os policiais adentraram na sala e conseguiram retirar os alunos que estavam encurralados. Os PM's também observaram que além de tintas, havia vários pedaços de cordas pelo chão da sala. "Nós estávamos assistindo a 1ª aula, transcorria tudo dentro da normalidade, quando ouvimos várias pessoas do lado de fora gritando BICHO, BICHO, BICHO.... Nesta hora ficamos com muito medo". Comentou uma acadêmica que preferiu não se identificar com medo de sofrer represálias.

Após a PM liberar todos os novos estudantes que não queriam participar do "TROTE", o presidente do Diretório dos Acadêmicos, o PRF Augusto Cesar Araujo, começou a instigar os alunos contra a Polícia Militar, que estava naquele local preservando a paz e assegurando o direito constitucional dos cidadãos que ali se encontravam.
Além de incitar os outro estudantes contra a Polícia, o PRF Augusto Cesar ainda alegou que a PM não tinha jurisdição para atuar dentro de um Órgão Federal. Questionamento este, totalmente equivocado por parte do funcionário federal e universitário, pois se houver solicitação e risco eminente à vida, a PM tem a jurisdição de atuar em quaisquer área federal.

Como se não bastasse o incitamento, o presidente perdeu o controle e começou a xingar os policiais, gritando: "Vocês são uns PM's de merda. Vocês são nível médio, não podem me prender porque SOU FEDERAL".
Ainda de acordo com o BOP 2626-2011, ao ser questionado sobre a legalidade do "Trote", o PRF Augusto Cesar Araujo se dirigiu aos PM's dizendo que não falava com ensino médio, porque além de ser da Polícia Federal, já tinha terminado uma faculdade e estava cursando outra. Ainda continuou  xingando a guarnição do GOE, desta vez gritando: "Todos os PM's são uns bando de merda, bundão, otários e palhaços, ofendendo assim, toda uma classe de trabalhadores e pais de família que arriscam a própria vida em prol da manutenção da Paz e da Ordem.

Diante de tal comportamento, os policiais militares solicitou que o mesmo apresentasse a sua funcional, o qual foi negada diante de novos xingamentos. O presidente do diretório ainda afirmou que tal trote estava sendo organizado pela faculdade e que tais PM's "bundões", não iria impedir a "brincadeira".

Então, novamente os policiais pediram seu identificação, sendo que desta vez, o PRF tirou sua funcional do bolso e esfregou na face do SD PM Nascimento. E em seguida, com tom de deboche, solicitou a funcional do Policial Militar, que estava no local, juntamente com sua equipe, devidamente fardado e com o seu nome bordado no colete.
Diante de tantos crimes, o PRF recebeu voz de prisão e ao ser convidado a entrar na viatura policial, resistiu à prisão com socos e pontapés. Os PM's fizeram uso de técnicas de imobilizações e conteram as agressões do agente usando as algemas.

Já na delegacia, um grupo de estudantes "veteranos" se aglomeraram em frente ao prédio e os acadêmicos Ronaldo Adriano do N. Rodrigues, 25, e Agnaldo Afonso Cordeiro, 25, foram presos por "Incitação ao Tumulto". De acordo com o BOP nº 2627-2011, os conduzidos estavam a frente da multidão incitando os demais a entrarem na Delegacia de Polícia para atrapalhar o trabalho da PM.

Veja o vídeo em que o Presidente do Diretório Acadêmico, Augusto Cesar Araujo Soares aparece em uma entrevista para o Programa Chumbo Grosso, transmitido pela TV Record, onde nega as acusações e diz claramente que não estava participando do "Trote" e que na hora do tumulto, estava dentro da sala de aula. Desta forma, desmentindo qualquer outra versão veiculada em outros meios de comunicação.

Outro fato equivocado que saiu em vários sites e jornais é que a pessoa de Henrique Moraes Alvarenga se trata de um Policial Militar, a redação do site comando190 procurou o jovem citado e o mesmo informou que nunca se apresentou como sendo Policial Militar e que já está buscando, junto à justiça, tal reparação.

Rondoniagora.com

SIGA-NOS NO Rondoniagora.com no Google News