Rondônia, quarta-feira, 20 de janeiro de 2021
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Polícia

Publicado em Quinta, 01 de Setembro de 2011 - 06h15

Matador de policial civil é recambiado para Ouro Preto e confessa crime

Alexandre Araujo


Matador de policial civil é recambiado para Ouro Preto e confessa crime
Com um forte esquema de segurança feito por policiais civis e militares de Ouro Preto sob o comando dos delegados Cristiano Martins Matos e Marcos Vinicius Filho, desembarcou às 22:45h no Aeroporto de Ji-Paraná, desta quarta-feira (31) procedente de Cuiabá - MT, Edeildo Xavier da Costa, 37, acusado da morte do policial civil Augusto César Rodrigues da Silva e da portadora de deficiência mental Dalva Maria Batista. O crime ocorreu no dia 20 de fevereiro do corrente e chocou toda população de Ouro Preto do Oeste, pela crueldade em que as vitimas foram mortas.

A trama havia sido arquitetada 20 dias antes do crime pela comerciante Sirlene Louzada juntamente com seu amante Edeildo. Ela teria embriagado o seu esposo o policial civil Augusto. Aproveitando desta situação Edeildo em companhia de Ademir Germano Amaral, 31, desferiram vários golpes com um pedaço de madeira no crânio do policial civil e neste momento a doméstica Dalva que estava dormindo em um quarto da residência acordou com o barulho e foi morta como queima de arquivo.

Em seguida o corpo do policial civil Augusto foi colocado na carroceria do veiculo Ford Currier e o corpo da domestica Dalva foi colocado no porta malas do carro da comerciante e trio seguiram rumo a RO 470 e em frente ao lixão colocaram os corpos de Augusto e Dalva na cabine da caminhonete e atearam fogo para simular um acidente de trânsito.

Na DP de Ouro Preto inicialmente Edeildo negou participação no caso e alegou que iria provar inocência, já que no dia do crime o mesmo afirmou que estava na cidade de Rio Branco - AC e em tom de deboche disse “Até papagaio fala e quem tem boca fala o que quer”. Edeildo afirmou que só fugiu para Cuiabá porque ficou sabendo que toda Polícia de Rondônia estava a sua procura para matá-lo, por isso resolveu comprar uma Chácara nos arredores da capital do Mato Grosso.

Passados alguns minutos ele resolveu abrir o jogo e diante da imprensa confessou seu envolvimento no crime e deu detalhes. Edeildo disse que a trama de matar o policial civil Augusto foi em conluio com a sua amante Sirlene que por sua vez aceitou pagar R$ 5 mil para Ademir Germano vulgo “Lixa”, participar do crime.

Edeildo detalhou que Sirlene preparou todo o terreno para executar o plano diabólico, embriagou o policial Augusto que foi executado a pauladas. A doméstica Dalva foi morta segundo Edeildo como queima de arquivo, já que tinha presenciado o assassinato de Augusto. A gasolina usada para atear fogo nos dois corpos foi comprada por Sirlene confessou Edeildo que acrescentou em momento algum a mesma demonstrou arrependimento pelos crimes praticados, chegando ao ponto de dar boas gargalhadas ao ver o carro em chamas com os dois corpos dentro. Frio e calculista o réu confesso Edeildo disse que vai lutar agora para sair da cadeia e disparou. “Tenho um bom patrimônio na cidade de Alvorada do Oeste”. Após ser submetido a exame de corpo delito o homicida Edeildo foi recolhido a Casa de Detenção local onde ficará a disposição da Justiça.

O delegado Cristiano Martins agradeceu o apoio da Polícia Militar de Ouro Preto do Oeste na pessoa do capitão - PM Áureo César da Silva que não mediu esforços para elucidar este duplo homicídio. Por seu turno o delegado Marcos Vinicius disse que esta é mais uma missão que a Polícia Civil com apoio da Polícia Militar conclui com êxito e desta forma coloca atrás das grades pessoas nocivas a sociedade.

Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions