Rondônia, 08 de Dezembro de 2022
Jornal Rondoniagora
Siga o Rondoniagora

Política

Agência de publicidade é desautorizada a distribuir mídia da Assembléia

Quarta-feira, 10 Junho de 2009 - 14:28 | RONDONIAGORA


Através da assessoria, o deputado estadual Miguel Sena (PV-Guajará), membro da comissão gerenciadora da mídia do parlamento estadual, disse que a agência de publicidade contratada para realizar os serviços de publicidade da Assembléia Legislativa não está autorizada a efetivar a distribuição de autorização de publicidade. Segundo ele é preciso que o assunto seja tratado com total transparência, sem privilégios, e sempre levando em consideração se tratar de recursos públicos.



De acordo com o deputado Miguel Sena a agência de publicidade PNA corre sério risco de ter problemas, pois o seu proprietário aproveitando de sua ausência na capital, por conta própria distribuiu autorizações de publicidade, e desta forma, estão sendo adotados alguns procedimentos administrativos e a agência poderá até mesmo não receber o aporte de recursos por parte da Assembléia Legislativa.

O entendimento da comissão de mídia, segundo o deputado Miguel Sena é que não se precisa gastar rigorosamente todo o mês o montante de R$ 600 mil com publicidade, podendo haver economia e retornar estes recursos para o benefício da população, sendo aplicado, por exemplo, na área da saúde. Mas acontece, disse ele, que a agência de publicidade vem forçando uma situação, de modo a garantir mensalmente, embolsar R$ 120.000,00 (cento e vinte mil) que é a sua parte de 20% do montante total disponibilizado. E complementou: “Ou a agência PNA se enquadra ou está fora. Temos que ter cuidado para não jogar dinheiro público no ralo. Temos que lidar esta questão com muita responsabilidade e transparência”.

Já com referência a questão envolvendo a Rádio Rondônia, o deputado destacou que é exorbitante o valor pago a emissora, que para complementar prestar um serviço de péssima qualidade. Salientou que a comissão estuda a possibilidade dos gestores da empresa ter que devolver os valores pagos (R$ 45.000,00 mensal), uma vez que o advogado Odacir Soares não poderia contratar com o serviço público, por exercer cargo no Governo Estadual. Rondoniagora.com

SIGA-NOS NO Rondoniagora.com no Google News

Veja Também