Rondoniagora.com

Rondônia, 29 de Setembro de 2022
Banner
Siga o Rondoniagora

Política

Em proposta ainda não oficial, Governo prevê benefícios a policiais somente em 2018

Terça-feira, 20 Dezembro de 2016 - 11:29 | da Redação


Em proposta ainda não oficial, Governo prevê benefícios a policiais somente em 2018

Nesta terça-feira (20), o Governo de Rondônia deve apresentar a projeto do Plano de Cargos, Carreira e Salário (PCCS) dos servidores da Polícia Civil que seguem acampados na Assembleia Legislativa desde o último dia 12 deste mês. Segundo o presidente do sindicato da categoria, Rodrigo Marinho, ainda não chegou nada oficial, mas ele já teve acesso a uma proposta extraoficial. Entre os pontos da proposta está a entrada em vigor somente para 2018.

Outra inconsistência é na tabela salarial, segundo Marinho. “Tem servidor que ganha R$ 8 mil e o limite do projeto vai até R$ 6 mil. E esses R$ 2 mil, ele vai perder? Como vai ser feito? São essas coisas que temos que esclarecer”, diz Rodrigo Marinho que acrescenta que “Ainda não chegou nada oficial. Esse (extraoficial) não é o ideal, mas a gente entende a crise que o país vive e as condições do estado, por isso assim que chegar vamos deliberar com a categoria e esclarecer esses pontos dúbios”, finaliza.

Segundo o sindicato, o que o Governo deve protocolar ainda nesta terça-feira para ser votado pelos deputados em sessões extraordinárias é apenas uma proposta de realinhamento dos salários da categoria. O PCCS contemplaria outros benefícios além da remuneração. “No parágrafo sexto desse projeto do Governo propõe que a periculosidade seja paga sobre R$ 600. Hoje, cerca de 60% da categoria já recebe a periculosidade em cima do vencimento. Agora, se for sobre esse valor (R$ 600) a partir de 2018 não vejo problemas, mas isso precisa estar claro para não ter dúbia interpretação”, afirma.

Outra inconsistência é na tabela salarial, segundo Marinho. “Tem servidor que ganha R$ 8 mil e o limite do projeto vai até R$ 6 mil. E esses R$ 2 mil, ele vai perder? Como vai ser feito? São essas coisas que temos que esclarecer”, diz Rodrigo Marinho que acrescenta que “Ainda não chegou nada oficial. Esse (extraoficial) não é o ideal, mas a gente entende a crise que o país vive e as condições do estado, por isso assim que chegar vamos deliberar com a categoria e esclarecer esses pontos dúbios”, finaliza.

Rondoniagora.com

SIGA-NOS NO Rondoniagora.com no Google News