Rondônia, sexta-feira, 3 de julho de 2020
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Política

Publicado em Segunda, 19 de Dezembro de 2011 - 08h50

O BANDO DE VALTER ARAÚJO: "PROPINA NÃO É DESPERDÍCIO, PROPINA É INVESTIMENTO"

RONDONIAGORA


Escutas revelam suposto esquema de corrupção em Rondônia, diz MP
Presidente da Assembleia teria extorquido empresários.


Fantástico teve acesso exclusivo às gravações feitas pelo Ministério Público.

Do G1, com informações do Fantástico

CLIQUE AQUI E CONFIRA O VÍDEO

Gravações do Ministério Público de Rondônia, obtidas com exclusividade pelo Fantástico, apontam que o presidente da Assembleia Legislativa do estado, Valter Araujo, do PTB, chefiava um esquema de cobrança de propina de empresários que têm contratos com o governo de Rondônia.

"Propina não é desperdício, propina é investimento", diz o empresário Miguel Saud Morheb. Ele é dono de uma firma de limpeza que presta serviços para o governo de Rondônia. Segundo uma denúncia do Ministério Público do estado, o empresário tinha participação ativa no esquema criminoso, que foi desfeito em uma ação conjunta com a Polícia Federal.

Há exatamente um mês, 15 pessoas foram presas suspeitas de corrupção. Entre elas, o presidente da Assembleia Legislativa do estado, Valter Araújo, do PTB, e o secretário adjunto de saúde, José Batista.

O presidente da Assembleia foi apontado pelos investigadores como o chefe de um esquema de cobrança de propina de empresários que têm contratos com o governo do estado. O Fantástico teve acesso exclusivo a escutas telefônicas e a vídeos que, segundo o Ministério Público, comprovam a roubalheira.

As investigações mostram que uma das empresas envolvidas no esquema, a Romar, pertenceria ao presidente da Assembleia, Válter Araújo, e é comandada por laranjas, segundo o MP. Em uma conversa gravada com autorização da Justiça, ele cobra um pagamento do secretário adjunto de saúde, José Batista. Veja abaixo o diálogo que confirma a corrupção:

Valter: Meu filho, deixa eu falar um negócio pra mim, pra ti. Você tá brincando comigo. O que é que tá acontecendo, Batista?
Batista: O que que foi?

Valter: Ué, eu liguei procê ontem pedi pra você resolver o negócio do pagamento. Você disse que tava resolvido. Eu to indo viajar pra fazer meu tratamento, mando meu menino no banco agora, a menina disse que você mandou trazer de volta.

Batista: Não! Tá assinadinho! Eu deixei...

Valter: Não tá, batista! Você mandou trazer de volta, o Esmeraldo trouxe, que você mandou trazer de volta ta, lá na sesau, pô!

Batista: Não! Qual pagamento? O da Romar?

Valter: Da Romar.

Batista: Da Romar?

Valter: É!

Batista: Não que é isso presidente, que é isso!

Valter: Ué o Rafael tá lá pô, eu fui lá...

Batista: Eu chamei o Rafael ontem já de noitinha, eu tava lá e disse assim: Rafael tá aqui, tá indo to indo viajar to aqui pra esperar assinar, rodou, deixei assinado, deixei assinado! Eu vou ligar agora pro Esmeraldo! Deixei! Presidente, eu não sou menino não, presidente!

Valter: Eu assustei com isso agora.
Batista: Que é isso! Deixa eu ligar lá, deixa eu ligar lá, deixa eu ligar eu lhe dou um retorno!

Pelo esquema, quem não molhasse a mão da quadrilha não recebia pelos serviços prestados.

Em outra gravação, o empresário Julio Bonache, do ramo de alimentação, reclama com o sócio de um pagamento retido.
Júlio: Não, pra você ver, ó, nós temos cinco milhões pra receber, cara, e nós não temos pra quem ligar, cara, foi o que eu falei pro João, nós tamo com cinco milhão pra receber dessa m...., nóis não temo pra quem ligar, cara, eu vou ligar pra quem, pro cara que reza a missa?

Para a polícia, o "cara que reza missa" é o próprio presidente da Assembleia, Valter Araújo. Segundo as investigações, ele cobrava de propina por mês pelo menos 10% do valor de cada contrato. "Ora seria 10% dos contratos, ora seria 20% dos contratos."

A equipe do Fantástico foi atrás do empresário Julio Bonache. Ele foi preso na operação de novembro, mas já está em liberdade. Júlio confessou que dava dinheiro para o esquema. Segundo as investigações, ele pagou mais de dois milhões e meio de reais, entre dezembro de 2010 e abril desse ano.

Julio Bonache: Não tô dizendo que sou santo, não. Porque na realidade a partir do momento que dei dinheiro, eu corrompi. Mas se não dá não recebe. E se não recebe, não paga as contas. E ter funcionários batendo nas portas não é fácil não.

As imagens exibidas com exclusividade pelo Fantástico foram feitas pela Polícia Federal e mostram o empresário Miguel Morheb, o que aparecer no início da reportagem afirmando que “propina não é desperdício, é “investimento”.

Miguel aparece entrando num banco com Rafael Costa. Rafael é assessor do presidente da Assembleia, e, segundo o Ministério Público, era o responsável por cobrar a propina dos empresários e distribuí-la. O empresário Miguel Morheb é flagrado saindo do banco com uma caixa, que segundo a polícia, estava cheia de dinheiro.

Celso Mochi, delegado Polícia Federal: Havia quantia de 120 mil reais.
Depois, o assessor Rafael e o empresário Miguel se reúnem com Valter Araújo numa caminhonete, parada em frente à Assembleia Legislativa.
Celso Mochi, delegado Polícia Federal: Tínhamos as informações previas de que ia ser buscado dinheiro para um repasse de membros da organização.

Um dos deputados investigados é Saulo Moreira, do PDT. As duas caminhonetes que aparecem na imagem exibida pela reportagem, segundo a Polícia Federal, pertencem a Saulo e a Rafael. Para os investigadores, este é o exato momento do pagamento de uma propina.
Héverton Alves de Aguiar, procurador-geral de justiça do Ministério Público: O monitoramento mostrou quanto era entregue, quando ele determinava a esse assessor. Precisa acertar com o deputado fulano de tal, dá tanto pra ele.

Além de Saulo, outros seis deputados estaduais são suspeitos de envolvimento e foram indiciados por corrupção passiva.
Héverton, do Ministério Público: Eles participavam de todo esse esquema, recebendo vantagem indevida para dar sustentação política ao presidente.

Silvernani Santos, Marcos Donadon, Nathanael Silva, Carlão de Oliveira e agora Valter Araújo. Todos ex-presidentes da Assembleia Legislativa de Rondônia - acusados de desvio de dinheiro publico. Um levantamento junto aos processos que eles respondem na justiça revela que nos últimos 20 anos foram desviados pelo menos 140 milhões de reais com a participação do ocupante daquela cadeira.

Os antigos presidentes envolvidos em corrupção já foram até condenados, mas continuam em liberdade. Um deles, Marcos Donadon, cumpre mandato como deputado estadual pelo PMDB.

Depois de preso, Valter Araújo foi afastado da presidência da Assembleia Legislativa de Rondônia, mas ele também já está em liberdade. Valter se recusou a falar com a equipe do Fantástico. Entretanto, por intermédio de seu advogado, disse que vai provar sua inocência.

José Hermínio Coelho, do PSD, presidente em exercício da Assembleia Legislativa de Rondônia: todos os anos o nosso estado aparece a nível nacional com essas coisas ruins. Me parece que os políticos de Rondônia não aprendem, não. Todo o executivo sabia disso.

Segundo as investigações, a quadrilha desviava dinheiro de contratos da Secretaria de Justiça, do Detran e da Secretaria de Saúde.
O secretário adjunto da saúde, José Bastista foi exonerado e permanece preso. No quarto de hotel onde ele morava, a polícia encontrou 170 mil reais em dinheiro.

Rômulo Lopes era assessor especial do governador de Rondônia, Confúcio Moura, e morava na residência oficial. Na conversa abaixo, ele é orientado pelo empresário Miguel Morheb a esconder dinheiro de propina, antes de entrar em casa.

Miguel: Se quiser botar dentro da cueca. Eu trouxe o envelope, mas se quiser botar dentro da cueca é melhor.
Rômulo foi preso na casa do governador.

Confúcio, governador Rondônia: Gente nossa, gente da cidade. Que foi cooptado pelo sistema. Não vou dizer que abusou da confiança, mas de certa forma falando, porque foi abuso.

Os suspeitos foram indiciados por mais de dez crimes, entre eles corrupção ativa, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

Héverton Alves de Aguiar, procurador-geral de justiça do Ministério Público de Rondônia: Já estão em juízo 25 ações penais. Nós estamos imaginando que teremos mais de 100 propostas, entre ações penais, e ações civis públicas. Lamentavelmente nós temos mais um fato em que envolve o presidente da Assembleia Legislativa do estado de Rondônia. Lamentavelmente.

Além de Valter Araújo, o deputado estadual Saulo Moreira e o empresário Miguel Saud Mohreb não quiseram falar sobre as denúncias. Os advogados dos ex-assessores Rômulo Lopes, José Batista e Rafael Santos Costa, que continuam presos, não retornaram as nossas ligações.


Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions