Rondônia, 28 de Novembro de 2022
Jornal Rondoniagora
Siga o Rondoniagora

Política

Recursos estimularão crescimento de Rondônia nos próximos anos

Terça-feira, 01 Novembro de 2011 - 12:09 | Decom


“Rondônia fez o dever de casa, ajustou suas contas e possui uma margem de financiamento, diferente de muitos outros estados”, afirmou o governador Confúcio Moura após reunião no Palácio do Planalto durante a qual assinou um termo de entendimento que amplia o crédito fiscal ao Estado de Rondônia.



A partir da nova solicitação de recursos já foi assinado contrato junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) - no valor de 168 milhões de reais - para a construção de estradas. Outro contrato em andamento junto ao BNDES, agora no valor de 550 milhões, será destinado para a construção de escolas em tempo integral, delegacias de polícia, reaparelhamento da máquina fazendária, treinamento de capacitação dos servidores para melhor atender a população rondoniense, investimento em Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e muitos outros serviços de infraestrturua que Rondônia necessita.

O governo de Rondônia também está firmando contrato com o Banco Mundial. Ambos visam ampliar e modernizar a infraestrutura social e econômica do Estado, com a finalidade de reorientar o processo de desenvolvimento, buscando a sustentabilidade e inclusão social para enfrentar os novos desafios decorrentes da nova etapa de desenvolvimento.

Segundo o ministro da Fazenda, Guido Mantega, é muito importante, neste momento de crise financeira internacional, que os Estados tenham capacidade de fazer investimentos e, com isso, aumentarem a geração de empregos.

“Com essa margem que Rondônia tem, agora, vamos desenvolver os projetos estruturantes do Estado, em áreas como educação, inclusão produtiva especialmente para populações ribeirinhas mais distantes, e, claro, na área da saúde”, finalizou Confúcio Moura.

Rondônia é um dos estados que mais crescem economicamente na Região Norte. A crise da economia mundial em 2008 e seus impactos nos anos posteriores não impactaram o Estado, principalmente pela forte estrutura e importância do setor privado.
Rondoniagora.com

SIGA-NOS NO Rondoniagora.com no Google News

Veja Também