Rondônia, sábado, 20 de julho de 2019
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Cidades

Publicado em Sábado, 24 de Outubro de 2015 - 08h50

Força Nacional vai retirar garimpeiros de Pontes e Lacerda

Midianews


A desocupação do garimpo ilegal de Pontes e Lacerda (448 km a Oeste da Capital) deverá ser completamente realizada em uma semana e contará com reforço nacional. A informação é do delegado regional da Polícia Civil, Vitor Chad Domingues.

O delegado participou de uma reunião com o governador Pedro Taques (PSDB), com o prefeito do município e outros representantes de Segurança Pública, na sexta-feira (23).

 A reunião ocorreu para definir sobre a retirada dos garimpeiros, que permanecem no local mesmo após decisão de reintegração de posse da Justiça Federal.

 A saída dos ocupantes do garimpo contará com reforço nacional, através de auxílio solicitado pelo governador Pedro Taques (PSBD) à Presidente Dilma Rousseff (PT).

 O delegado disse que a intensa fiscalização no local, para a retirada dos garimpeiros, ocasionará o fim do garimpo ilegal no prazo de uma semana.

“É um número que, com o aumento das barreiras no local, com certeza, na próxima semana, o local estará 100% desocupado”, afirmou.

Apesar de estipular um período para o final da ocupação do local, o delegado observou que o garimpo ilegal deverá permanecer vistoriado, para evitar que a extração volte a ocorrer período após a evacuação do local.

“Assim que desocupar todo aquele local, com certeza, há chances de as pessoas retornarem. Por isso, será necessário que as forças permaneçam no local [após a desocupação] para evitar que os garimpeiros retornem”, disse.

 O Governo do Estado solicitou à Presidente da República e ao ministro da Justiça para que a Força Nacional auxilie na retirada dos garimpeiros.

"É uma situação que deve ser atendida pela Força Nacional. Porém, ainda não há previsão de quando ela chegará ao Estado", informou o delegado.

A Polícia Federal está realizando o controle da saída das pessoas que foram na região para extrair o minério.

 Apesar de classificar como “tranquila” a atual situação do garimpo, Vitor Chad Domingues disse que foram encontradas armas de fogo no local.

O delegado não descartou que sejam feitas prisões, durante a desocupação da região.

Conforme Domingues, cerca de 350 garimpeiros permaneciam no local até terça-feira (23). O número, porém, não é oficial e pode ser maior do que esta estimativa.

As pessoas que que vão embora estão sendo proibidas de entrar no local, pois há barreiras que impedem a passagem e não há a entrada de novos suprimentos. A Polícia Federal está realizando a ação para evacuar o local.

 “Com essa ida da Polícia Federal no local, as pessoas estão sendo inibidas e não estão indo para o garimpo”, afirmou.

É uma situação que deve ser atendida pela Força Nacional. Porém, ainda não há previsão de quando ela chegará ao Estado

O delegado, porém, contou que todo o cuidado necessário está sendo tomado durante a ação na região do garimpo.

“Existem famílias, comerciantes e pessoas com barracas, vendendo suprimentos, como refrigerante e água”, disse.

O Promotor de Justiça Criminal de Pontes e Lacerda, Frederico César Batista Ribeiro, informou que a maior preocupação é referente à segurança das famílias durante a retirada do garimpo.

“Vamos dar apoio digno [para as famílias retiradas do local]. Isso será tratado na próxima reunião com as secretarias, onde serão definidas as estratégias específicas de cada área”, afirmou.

Ribeiro disse que o Governo deu resposta positiva para que as famílias saiam de modo pacífico do local.

 “Tivemos uma resposta positiva, o Governo vai nos auxiliar na área de segurança ,como na área de meio ambiente. Ele colocou à disposição a Secretaria de segurança e a Secretaria de trabalho e a Sema”, disse.

 A Polícia Militar está realizando barreiras no local, para tentar impedir que novas pessoas cheguem ou retornem ao garimpo ilegal.

O coronel Alberto de Barros Neves disse que a maior preocupação do grupo é referente à segurança no município.

“A preocupação das forças estaduais é com a cidade de Pontes e Lacerda, o que vai acontecer com o município quando fechar o garimpo. No garimpo, em tese, é problema federal. Mas a cidade de Pontes e Lacerda é problema estadual”, declarou.

Promotor de Justiça Criminal, Frederico César Batista Ribeiro disse que a maior preocupação é a segurança das famílias

A PM deverá realizar novas ações, para auxiliar na retirada dos garimpeiros do local. Cada item de segurança deverá ser dividido entre a PM, Polícia Civil e as forças nacionais.

“Vamos determinar algumas ações, a Polícia Militar agirá dentro das suas atribuições. Vão ser divididas as funções, quem vai fazer a barreira ou ronda no local”, afirmou.

O representante da PM observou que algumas pessoas que estão saindo do garimpo estão voltando para casa. Outras, porém, permanecem no Município.

“Estamos preocupados sobre o que as pessoas vão fazer quando saírem do garimpo. Se vão voltarem para sua terra, se vão poder voltar [para o garimpo] ou se não vão”, afirmou.

Neves informou que a segurança de Pontes está tranquila, sem problemas. O efetivo da Polícia Militar permanece o mesmo que era utilizado anteriormente à “febre do ouro”.

“A rotina [no município] não mudou. Não tivemos nenhum tipo de ocorrência por conta do garimpo”, esclareceu.


(Disponível em https://www.rondoniagora.com/cidades/forca-nacional-vai-retirar-garimpeiros-de-pontes-e-lacerda)
Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions