Rondônia, terça-feira, 21 de agosto de 2018
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Artigos

Publicado em Sábado, 07 de Agosto de 2010 - 10h46

Até quando o poder público deixará o Corpo de Bombeiros Militar exposto às situações vexatórias?

Walmir Miranda


PODER PÚBLICO Vs. CORPO DE BOMBEIROS (1)

Em qualquer lugar do mundo uma Corporação de Bombeiros é respeitadíssima pela sociedade, tamanha a importância do trabalho que realiza diuturnamente.
Em qualquer lugar do mundo os Bombeiros são considerados como tendo altruístico espírito profissional e destemidos na defesa da integridade física das pessoas, do patrimônio público ou particular, da natureza e até contra ela se necessário for para salvar vidas.
Portanto, quando uma comunidade tem um Corpo de Bombeiros ela se sente mais segura, mais protegida, pois sabe que os profissionais que ali atuam (homens e mulheres) são treinados e preparados para agir em situações de perigo a qualquer hora do dia ou da noite, independentemente das intempéries e adversidades impostas pela natureza.

PODER PÚBLICO Vs. CORPO DE BOMBEIROS (2)

Porém, para bem cumprir com o seu trabalho, o Corpo de Bombeiros precisa, essencialmente, de equipamentos e materiais eficazes às suas ações, principalmente quando no combate direto aos sinistros de incêndios. Afinal de contas debelar chamas e enfrentar temperaturas altíssimas não é tarefa fácil para ninguém.
É óbvio que, também é essencial que os bombeiros (homens e mulheres) estejam sempre bem preparados para isso. Mas os equipamentos e os materiais a serem utilizados devem ser modernos, ágeis, confiáveis e seguros.
Estamos falando de veículos (autobombas) com grande capacidade de armazenamento de água e/ou materiais anti-inflamáveis, com capacidade para esguichamento de jatos d água à grandes distâncias e alturas. Esses veículos também devem se deslocar com determinada velocidade através de vias que não tenham trânsito intenso, ladeiras, lombadas, buracos, dentre outros obstáculos.
Outra coisa importante: os quartéis dos Bombeiros devem estar situados em locais estrategicamente importantes no contexto geográfico das comunidades, de forma a poderem destinar suas viaturas e agentes para chegarem aos sinistros de incêndios em pouco tempo, a partir do instante em que são acionados. 

PODER PÚBLICO Vs. CORPO DE BOMBEIROS (3)

Sabe-se que é muito importante que a Corporação do Corpo de Bombeiros Militar tenha o seu Quartel General, ou seja, a sede do seu comando maior, tal qual possui a Polícia Militar e a Polícia Civil.
Entretanto, para a comunidade, o que interessa mesmo é que, quando chamado, o Corpo de Bombeiros seja ágil e eficaz, apague os incêndios e salve o que for possível dentre os bens e pertences das vítimas atingidas. É isso que a comunidade quer. É isso que se espera, sempre, do Corpo de Bombeiros.     

PODER PÚBLICO Vs. CORPO DE BOMBEIROS (4)

Porém, lamentavelmente, essas coisas não têm acontecido com o Corpo de Bombeiros Militar na cidade de Porto Velho.
A comunidade tem estado aflita com a deficiência apresentada pelo Corpo de Bombeiros, porque quando as viaturas (veículos velhos, caindo aos pedaços e trafegando como se fossem tartarugas) chegam aos locais dos incêndios o fogo já destruiu praticamente tudo, ou seja, esses profissionais chegam para fazer apenas o que se denomina de resfriamento ou rescaldo do que restou. Isso quando resta alguma coisa. Isso faz com que surjam imprecações contra a corporação, que diante das suas limitações não pode fazer além do que é possível.
Nos últimos dias fatos dessa natureza ocorreram na Capital rondoniense e populares chegaram a apupar os Bombeiros, que absolutamente, não são culpados pelos equipamentos velhos e ultrapassados que são obrigados a utilizar quando em ação.
Diversos equipamentos são do tempo que “o diabo era criança”.
Para piorar o quadro tem a questão dos hidrantes, que praticamente não existem na cidade de Porto Velho, embora o poder público saiba que é responsabilidade sua instalá-los em pontos vitais da comunidade. Quer dizer: os Bombeiros é que ficam mal na fita perante os olhos da população, ou seja, estão pagando o “pato” pela omissão do poder público (municipal e estadual) para com os seus profissionais, cuja maioria é composta de gente decente, honesta, estudiosa, responsável e trabalhadora. Gente que jamais fugiu às suas responsabilidades.
Porém, disso a sociedade sabe muito pouco. Destaque-se que, até a própria imprensa não dá muitos espaços ao heróico trabalho do Corpo de Bombeiros. A não ser quando alguma desgraça ou tragédia ocorre. 

PODER PÚBLICO Vs. CORPO DE BOMBEIROS (5)

Sendo assim, para que não se fique imaginando que apenas o Corpo de Bombeiros é culpado pelos estragos causados por incêndios em Porto Velho e arredores, já está passando da hora do poder público (municipal e estadual) possibilitar a essa Corporação Militar os instrumentos indispensáveis ao bom cumprimento de suas missões. Ela não existe apenas para situações paliativas ou simples vistorias técnicas disso ou daquilo.
É hora de equipar o Corpo de Bombeiros com veículos potentes, modernos, que possam trafegar a uma boa velocidade quando chamados a intervir em algum incêndio. Veículos que quando chegarem aos locais tenham todos os seus apetrechos funcionando bem e com segurança para os seus operadores e para os transeuntes.
Vestimentas, luvas, coberturas, botas, etc. Tudo tem de ser novo e moderno. Se essas providências forem tomadas, com certeza o Corpo de Bombeiros terá outro rendimento e destaque junto à comunidade. E por certo, também deixará de servir de chacotas e deboches de quem quer que seja.
Salvo outro entendimento.  
Aliás, cabe indagar: cadê a tal Escada Magirus (anunciada) e o seu moderno caminhão? Quando chegarão a Porto Velho?
Quando foi que esse equipamento saiu da Alemanha e qual é a empresa está fazendo o seu translado marítimo?
Portanto, também cabe dizer que, não basta o Corpo de Bombeiros possuir um Quartel General bonito e aparentemente operacional, no centro da Capital rondoniense. Isso é importante. Mas não é tudo, não.
Não basta seus integrantes terem treinamento altamente especializado. Isso é importante, mas não é tudo, não.
É essencial que, o Corpo de Bombeiros tenha bons veículos, bons equipamentos e ferramentas para executar o seu trabalho junto à sociedade.
Entretanto, isso só ocorrerá a contento quando o poder público (municipal e estadual) entenderem que é preciso investir nessa valiosa corporação.
Paciência se isso não dá votos.
É importante entender que, o Corpo de Bombeiros pode até não dar votos, mas ajuda a salvar muitas vidas e a proteger o patrimônio de quem integra a sociedade produtiva, que paga os seus impostos, e que, por isso mesmo tem o sagrado direito de exigir serviços mais eficazes em sua defesa.
Portanto, é hora tirar à máscara, e parar de achar que, somente os Bombeiros tem responsabilidade pelos insucessos de suas missões (quando em combate a incêndios e outros sinistros graves).
Voltaremos ao assunto. Aguardem!

                                                           ********
BUSCA PELA SAÚDE Vs. POSSIBILIDADE DE MORTE (1)     

Antes de acharem que estamos sendo drásticos demais em relação ao título deste assunto, pedimos que os nossos nobres leitores (as) o analisem com a atenção que merece.
Vamos aos fatos.
Todos em Porto Velho já sabem que o Executivo estadual está construindo às novas instalações da Policlínica Oswaldo Cruz, em área contígua ao Hospital de Base Dr. Ary Pena Pinheiro, na Av. Governador Jorge Teixeira, às proximidades do Aeroporto Internacional (que de internacional não tem praticamente nada).  Isso já foi amplamente divulgado pelos veículos de comunicação (rádios, jornais, televisões e sites).
Porém, essa obra demandará algum tempo até que esteja totalmente concluída para oferecer melhores serviços a população, principalmente, aos mais carentes e necessitados de serviços de saúde gratuitos.  
 
BUSCA PELA SAÚDE Vs. POSSIBILIDADE DE MORTE (2)

Mediante o explicitado acima, os atendimentos na Policlínica Oswaldo Cruz passaram a ser feitos num prédio provisório localizado às proximidades da Rua da Beira, onde outrora funcionou uma instituição de ensino superior.
Ocorre que muitos motoristas de ônibus que passam às proximidades da “POC”, não estão obedecendo à determinação feita pelo Departamento de Estrada e Rodagem (DER), que orientou no sentido que os passageiros fossem desembarcados na Rua da Beira, perto de onde o referido nosocômio está atendendo a população. Isso não está acontecendo.
Pior: os ônibus estão parando dentro dos limites da BR-364, colocando os passageiros em sérios riscos de serem atropelados (como já ocorreu) e até de morte.

BUSCA PELA SAÚDE Vs. POSSIBILIDADE DE MORTE (3)

Significa dizer que, tanto para pegar os ônibus, quanto para descer dos mesmos, os passageiros estão tendo da fazê-lo em plena BR-364, em meio ao trânsito intensivo e altamente perigoso. Isso é um absurdo cavalar. Isso é querer brincar com a integridade física das pessoas, que precisam de atendimentos na Policlínica Oswaldo Cruz (POC), exatamente por terem poucos recursos para realizar consultas ou fazer tratamentos de saúde diversos em entidades médicas particulares.

BUSCA PELA SAÚDE Vs. POSSIBILIDADE DE MORTE (4)  

Portanto, o desrespeito que está sendo cometido contra a população que precisa dos serviços gratuitos da Policlínica Oswaldo Cruz precisa ser coibido pelos canais competentes.  Não é justo que as pessoas, principalmente, crianças e idosos fiquem expostos a possibilidade de serem atropelados e até virem a perder suas vidas por falta de atenção do poder público municipal, estadual e federal.
Os ônibus devem deixar ou pegar os passageiros na Rua da Beira, às proximidades da “POC” o quanto antes.
As empresas de ônibus que não obedecerem devem ser multadas com rigor, pois não estão acima da lei e do bem estar coletivo.
A sinalização no local melhorou. Mesmo assim, ainda é preciso melhorar as condições de trafegabilidade e acessibilidade às proximidades da Policlínica Oswaldo Cruz. Façam isso, enquanto é tempo, antes que aumente às estatísticas de acidentes e mortes no caótico trânsito portovelhense.   

POLÍTICA TUPINIQUIM (1)

Os opositores as candidaturas de Expedito Júnior (PSDB) e Ivo Cassol (PP) estão “radiantes”, após saberem que o Tribunal Regional Eleitoral rejeitou a candidatura de ambos, em decorrência da Lei Ficha Limpa.
Como se sabe, o ex-senador Expedito Júnior concorre ao governo do Estado, enquanto o ex-governador Ivo Cassol postula uma cadeira de Senador da República nas eleições de outubro vindouro.
Entretanto, ambos recorrerão ao Tribunal Superior Eleitoral para garantir o direito de disputar o pleito.
Expedito e Cassol estão dispostos a fazer isso até junto ao Supremo Tribunal Federal, se necessário for.
Como ambos têm esse direito é bom que os seus “opositores de plantão” tenham mais cautela nas “comemorações” antecipadas. É o que se houve nos 52 municípios rondonienses.

POLÍTICA TUPINIQUIM (2)

Seguinte: se Expedito for impugnado, a chamada terceira via (leia-se Confúcio Moura/PMDB) consideraria como maiores as suas possibilidades de vencer às eleições para governador.
Já no caso de Ivo Cassol ser impugnado as chances de Valdir Raupp (PMDB), Fátima Cleide (PT) e Agnaldo Muniz (PSC) se ampliariam com vistas à probabilidade de vitória para as duas cadeiras de senadores que estão em jogo nas eleições deste ano.
Aliás, as pesquisas reveladas a opinião pública mostraram até aqui que Expedito Júnior é favorito à sucessão do governador João Cahulla (PPS), enquanto o ex-governador Cassol (PP) detém a preferência para uma das vagas de Senador. O segundo é Valdir Raupp. Na terceira posição estaria Fátima Cleide (PT), e na quarta, Agnaldo Muniz (que faz dobradinha com Expedito Júnior).
Mas a oposição a Expedito e Cassol ainda tem outra “pedra no sapato”: João Cahulla (PP), cujo registro já está DEFERIDO pelo Tribunal regional Eleitoral (TRE).
Cahulla, com o seu jeitão simples e humilde está subindo nas pesquisas. Quer dizer, estão enganados aqueles que acham que o atual governador de Rondônia não tem chance de se reeleger. Também, porque ele conta com o apoio de dez (10) partidos políticos, a administração estadual continua fluindo normalmente, inclusive, o salário dos servidores continua sendo pago em dia.
Portanto, menosprezar as possibilidades de João Cahulla parece estar sendo um erro crasso por parte de seus opositores. Na Capital ele está indo bem, juntamente com Expedito Júnior. Pelo menos foi isso que as pesquisas de opinião já publicadas disseram.
Tem mais: Expedito recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral e continua com a sua campanha nas ruas obtendo adesões.
 
CÓDIGO DO CONSUMIDOR

Muita gente não sabe. Mas precisa ficar sabendo, que está em vigor a Lei No. 12.291/2010, que obriga as lojas e estabelecimentos comerciais diversos a terem um exemplar do CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR em local bem visível e de fácil acesso ao público.
A Lei No. 12.291/2010, foi sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no dia 20 do mês de julho, e publicada no Diário Oficial da União (em 21/07).
Detalhe: consta no bojo desta norma que, quem não cumpri-la será punido com multa de R$ 1.064,10 (mil e sessenta e quatro reais e dez centavos).
Portanto, senhores consumidores façam valer o seu direito: exijam que os empresários/lojistas exibam – em seus estabelecimentos – o CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR. Se isso não for feito, imediatamente, denuncie-os à Delegacia de Defesa do Consumidor.
Está dada a orientação, portanto.

COLETA DE LIXO DEFICIENTE

A população de determinados setores da cidade de Porto Velho está cada vez mais revoltada com a deficiência da coleta de lixo, que é feita pela empresa Marquise, contratada da Prefeitura Municipal.
Nem mesmo no centro da Capital esse serviço está sendo feito a contento, quanto mais nas periferias, onde o poeiral é imenso em razão das centenas de ruas de chão batido.
O resultado disso é que, Porto Velho a cada dia que passa se torna uma cidade fétida, com ruas esburacadas, crateras nas esquinas, matagais nas vias públicas, árvores ornamentais crescidas e atingindo a rede elétrica, além de terrenos baldios cheios de mato e entulhos servindo de esconderijos para bandidos.
O ruim nessa história é saber que, a Empresa Marquise recebe milhões, mensalmente, da Prefeitura, para fazer a coleta do lixo urbano. Só que o serviço está sendo feito de forma insatisfatória, no entender da população.
Só Deus sabe quando esse pesadelo irá acabar.
Mas a publicidade oficial, principalmente na televisão diz que a Capital estaria bonita e maravilhosa. Será mesmo ?

ATÉ A PRÓXIMA, PREZADOS ELEITORES !!!


Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions