Rondônia, segunda-feira, 10 de dezembro de 2018
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Artigos

Publicado em Quinta, 28 de Abril de 2011 - 15h26

CONCURSO PÚBLICO X VESTIBULAR

Ridison Lucas de Carvalho


------------------------------------------------------------

"Tudo bem, vejam a minha proposta, que tal economizar os 5/6 anos e ganhar a mesma ou maior remuneração? Quer saber como? Fazendo e sendo aprovado em concursos públicos!"

------------------------------------------------------------

Diversos pais e mães indagaram, via e-mail, uma questão muito importante, tanto que pedi autorização para responder a uma delas aqui. Eis a pergunta: “(...) Professor, leio todos os seus artigos no rondoniagora com a intenção de saber algo mais sobre os concursos públicos. Dada a sua experiência, peço-lhe orientação sobre como direcionar os estudos do meu filho. (...) Ele deve estudar para vestibular ou concurso público? (...) Ele acabou de completar 18 anos e não conseguiu passar de primeira na Universidade Federal de Rondônia. (...) Eu não tenho condições de pagar faculdade particular para ele. Você acha que eu devo incentivá-lo a estudar para ser servidor público? Espero que você responda minha mensagem. (...)”
   
Bem, esta é uma situação comum entre os pais de filhos que estão concluindo o ensino médio. Vale a pena estudar para concurso público ou é melhor concluir primeiro um curso de nível superior?

    Pois bem, inicio a resposta com outra pergunta: qual o objetivo em se fazer uma faculdade?

    Sem delongas, observa-se que a conclusão de um curso de nível superior serve para profissionalizar a pessoa e, em seguida, colocá-la no mercado de trabalho, seja qual curso escolher: medicina, direito, pedagogia, letras, arqueologia, sistemas de informação, engenharia, administração, economia, ciências contábeis e etc. Afinal, são raros os casos de universitários que estudam com o único objetivo de aprimorar os saberes. Em regra, a juventude, além de se profissionalizar, quer se formar para “cortar o cordão umbilical”, ter a sua independência e, em boa parte das vezes, dar um futuro melhor para seus pais.

    Já o concurso público, regra geral, pode significar um atalho para o objetivo final, que é exatamente a colocação no mercado de trabalho.

    Observem só, muitas vezes as pessoas passam alguns anos tentando a aprovação no vestibular. Posteriormente levam, em média, mais 4 ou 5 anos para se formar. A partir daí, com o canudo na mão, vão para a selva encarar a busca pelo emprego. E aí é que, na maioria das vezes, vem a decepção, pois a esperança de ser bem remunerado face o grau de instrução alcançado muitas vezes acaba sendo frustrada. Isso é um dos males do nosso país: a desvalorização dos nossos profissionais. De toda sorte, temos que encarar a realidade de frente, pois apenas reclamar não adianta de nada.

    Tudo bem, vejam a minha proposta, que tal economizar os 5/6 anos e ganhar a mesma ou maior remuneração? Quer saber como? Fazendo e sendo aprovado em concursos públicos!

    O desemprego tem crescido por conta da falta de políticas públicas adequadas, pela alta dos juros, pelo excesso de tributos e de burocracia, bem como pela falta de incentivo à educação e à produção. O concurso público, ao selecionar as pessoas pelo mérito e não pelo apadrinhamento, tem o poder de melhorar não só a qualidade do serviço público, mas também de ser um excelente caminho para os nossos filhos.

Em regra, para alguém trabalhar no serviço público, é preciso passar em um concurso público. É uma seleção aberta a todos, onde a pessoa faz provas e é chamada conforme sua nota. A estabilidade é considerada a maior vantagem do concurso público.

Há também outras vantagens: salários/vencimentos atrativos (algumas vezes mais altos que nas empresas privadas), carga de trabalho razoável, aposentadoria diferenciada, plano de saúde, status etc. Você recebe seu salário todo mês, não é demitido por simples liberalidade do patrão, tem direito a férias, 13º etc. Não se perca de vista, ainda, que sua atividade profissional será útil para o País.

Atualmente vivemos um período com muitos concursos públicos. Teremos concursos para milhares e milhares de cargos públicos. É só abrir os jornais para descobrir como é grande a oferta de vagas. Existem concursos para todos os tipos de atividade e para todos os níveis de escolaridade e de remuneração.

Não pense que a aprovação será fácil. Passar em concurso é trabalhoso, exige dedicação, abdicação, disciplina e humildade. Por outro lado, as compensações e prêmios por esse esforço são enormes.

    Voltando à pergunta, penso que o filho da leitora não precisa escolher um ou outro caminho, pois, salvo o caso da necessidade de trabalhar em tempo integral para ajudar a família, dá para conciliar perfeitamente o estudo para o vestibular e também para o concurso publico, todavia, dando preferência ao que estiver mais próximo da prova. Lógico que é incompatível você estudar para Medicina na Unir e querer conciliar com a preparação para um concurso público como Técnico Judiciário do TRT, TRE ou TRF, pois são provas pesadas e muito exigentes, além da nota de corte ser altíssima. Mas cada caso é um caso.

    Tenho diversos amigos que no mesmo ano em que passaram num concurso público também obtiveram êxito nos exames vestibulares da Unir. Também têm outros que depois de passarem num concurso público desistiram de fazer vestibular.

    Ressalto que com a remuneração de um cargo público você pode se formar numa faculdade particular e nem se diga que a pública é melhor ou vice-versa, pois quem faz o curso é o aluno.

Recentemente tivemos o concurso público do TRT da 14ª Região e o do TRF da 1ª Região para o cargo de Técnico Judiciário – Área Administrativa, que exigiu a formação escolar de nível médio. A remuneração atual é a seguinte: vencimento básico de R$2662,06 + Gratificação de Atividade Judiciária no valor de R$1331,03 + auxílio-alimentação no importe de R$590,00 mais a possibilidade de receber outros adicionais e gratificações. Fora isso, a carga horária, hoje, é de 7 horas diárias corridas, totalizando 35 semanais, mas existem exceções. Nem vou falar do final da carreira, pois tenho certeza que pais e mães vão, após ler o presente artigo, correr para comprar apostilas de concursos públicos.

    Outro ponto importante e que me chamou a atenção na pergunta da leitora foi quanto ao fato da “falta de condições financeiras”.    

    É importante ressaltar que mesmo a faculdade sendo pública, o universitário terá alguns gastos, tais como: transporte, livros, alimentação e etc. Olha que já vi gente trancando o curso na Unir por não ter dinheiro para o transporte.

    Diante disso, resta claro que a aprovação num concurso público proporcionará maior tranqüilidade para o jovem, pois terá condições de se profissionalizar com recursos suficientes para tanto.

    Infelizmente, há professores de faculdades que pensam que todo universitário tem acesso a computador, que tem condições de comprar livros e etc. Em verdade, certos profissionais necessitam da consciência de que o nosso mundo é grande e que não são todos que vivem o metro quadrado deles...

Hoje eu tenho condições de comprar meus livros, mas já passei por situação em que meu trabalho acadêmico não foi recebido por estar manuscrito (o professor aceitava apenas enviado por correio eletrônico e, à época, eu mal sabia a diferença entre “site” e “e-mail”) e tive que tirar nota máxima numa prova para não ser reprovado. CONSEGUI!!!! GRAÇAS A DEUS!!! E isso me deu ânimo extra para continuar na lida.

    Podemos pular tal fase e fazer um curso superior com condições de pelo menos pagar as cópias exigidas pelos professores.

    Além de tudo isso, o concurso público pode ser a realização de um sonho.

Dias atrás fui encontrar um colega de trabalho no aeroporto de Porto Velho/RO e, na volta, conversamos sobre como nossas vidas haviam mudado após as aprovações em concursos públicos. Há pouco tempo estávamos suando sangue para obter a almejada aprovação, hoje temos conforto e vivemos com dignidade, mas continuamos dando o sangue, só que em prol da coletividade, uma vez que sabemos do sofrimento dos nossos cidadãos. Por isso, procuramos sermos os melhores servidores, fazendo tudo com rendimento, presteza e perfeição, sempre agradecendo a Deus por tudo.

De uma forma ou de outra, jamais esqueça o principal, isto é, o de ensinar aos filhos o caminho da moral, da compreensão, da paciência, da solidariedade, da honestidade, da disciplina e, principalmente, o do amor. Assim poderemos construir um mundo melhor para as futuras gerações.

Não podemos perder de vista que o nosso objetivo (como regra) é alcançar a tríplice coroa: AMOR, PAZ E FELICIDADE! Quem tem isso tem tudo!

Por oportuno, transcrevo uma frase de grande significado em minha vida: “Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim.” (Chico Xavier)
Que Deus abençoe a todos!
Paz, luz e amor!

Sr. dos Mnemônicos (e-mail/MSN: srdosmnemonicos@hotmail.com)


(Disponível em https://www.rondoniagora.com/artigos/concurso-publico-x-vestibular)
Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions