Rondônia, quarta-feira, 12 de dezembro de 2018
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Artigos

Publicado em Segunda, 19 de Abril de 2010 - 14h29

Deus proteja os que moram em prédios com mais de cinco andares. Os Bombeiros não possuem Escada Magirus.

Walmir Miranda


BOMBEIROS Vs. ESCADA MAGIRUS (1)

Já falamos sobre esse importante assunto e estamos retornando ao mesmo, porque é imperativo que o poder público estadual se volte para a realidade que aí está, em relação ao estrondoso crescimento vertical que ocorre na cidade de Porto Velho, e também, em diversos municípios rondonienses.

Conforme tem sido amplamente divulgado pela imprensa, o maior responsável por isso é o “boom” que ora sacode o setor da construção civil, por conta principalmente da construção das hidrelétricas do rio Madeira (nas localidades de Santo Antônio e Jirau). E, obviamente, pela falta de moradias para atender o crescimento populacional em Porto Velho, onde mais de três mil pessoas estão chegando, mensalmente, vindas de todas as partes do País, atraídas pelas oportunidades de negócios e de empregos que estão permeando Rondônia de ponta a ponta.

Para se ter uma melhor compreensão desse assunto, vale lembrar que, atualmente estão em fase de construção mais de sessenta (60) edifícios na Capital rondoniense. Todos com mais de seis andares. Alguns desses edifícios ultrapassam os vinte andares. Ou seja, já temos por aqui edifícios com mais de 80 (oitenta) metros de altura.
Apesar dessa realidade que está estampada diante dos olhos de todos que residem em Porto Velho, os canais competentes ainda não dotaram o Corpo de Bombeiro Militar de Rondônia de um equipamento (caminhão) dotado de uma Escada Magirus, para, em havendo necessidade, combater com maior probabilidade de êxito os sinistros de incêndios em edifícios com mais de seis (06) andares, ou seja, com 25 a 30 metros de altura. Os atuais equipamentos do Corpo de Bombeiros Militar são limitadíssimos para uma ação eficaz em situações dessa natureza. São viaturas baixas, portanto. Algumas foram doadas ao Estado pela Infraero, se não nos falha à memória. Trata-se de viaturas que eram (caminhões) utilizadas para a proteção do Aeroporto “Jorge Teixeira de Oliveira”, que de internacional não tem nada (mas isso é outra coisa, sobre a qual falaremos em outra oportunidade. 

BOMBEIROS Vs. ESCADA MAGIRUS (2)

A situação, portanto, é mais grave do que se possa imaginar. Está em jogo o grande risco de se ter que chorar além de grandes prejuízos materiais, a perda de vidas de inocentes, no caso de ocorrer incêndio num desses edifícios com mais de seis andares, ou seja, com mais ou menos 24 a 30 metros de altura.
Lembrando que, os sinistros de incêndio podem ocorrer por descargas elétricas da natureza, por curto-circuito (nas edificações ou na rede elétrica), por falhas humanas, por negligência ou até mesmo por imperícia de alguém. 
É óbvio que ninguém deseja ver um estabelecimento comercial ou residencial, - estejam eles onde estiverem -, ardendo em chamas e seus moradores em pânico total, como já se viu acontecer em tantas e tantas cidades brasileiras. Portanto, considera-se que, enquanto é tempo, é melhor prevenir do que remediar.

BOMBEIROS Vs. ESCADA MAGIRUS (3)

Também é bom lembrar que, Porto Velho possui mais de 400.000 habitantes. Mais de 100 bairros. Mais de 250.000 eleitores. Uma frota com mais de 130.000 veículos. Mais de 150.000 bicicletas trafegando em suas ruas centrais e periféricas. Além de incontáveis trechos de difícil acessibilidade por uma viatura (caminhão) do Corpo de Bombeiros.

Daí as perguntas que não querem calar: o governo estadual vai mesmo entregar ao seu Corpo de Bombeiros Militar um caminhão de combate a incêndio dotado de uma Escada Magirus, com alcance operacional superior a trinta metros de altura, entre Junho e Julho deste ano, como mencionou um oficial daquela valorosa corporação?
Se isso vai mesmo ocorrer, parabéns! Parabéns! Parabéns!

A imprensa e a população irão cobrar isso, certamente. Mas, em se confirmando tal benefício, não se poderá deixar de reconhecer o acerto do poder público estadual em relação a este delicado assunto. Aguardemos, pois! Aguardemos, pois!

BOMBEIROS Vs. ESCADA MAGIRUS (4)

Para a população portovelhense chega de protelações. Chega de empurra-empurra. Chega de “enrrolação”. Chega de desculpas esfarrapadas em relação a esse tipo de equipamento para o Corpo de Bombeiros, cujos integrantes são bem preparados e estão prontos para agir no cumprimento de suas responsabilidades, ainda que com o risco de suas próprias vidas.

Porém, de nada adianta homens e mulheres bem preparados, sem os equipamentos indispensáveis ao seu mister profissional.

Essas colocações estão sendo feitas em prol do bem estar geral da coletividade portovelhense.
E, enquanto isso não se torna realidade, continuemos orando a Deus-Pai Todo Poderoso, para que nada de ruim ocorra num desses “pequenos ou grandes arranha-céus” da Capital rondoniense.

DENGUE

É louvável o esforço que o governo e as prefeituras estão fazendo no sentido de deter a proliferação do mosquito da dengue (Aedes Aegypiti).

O Ministério Público acertou em cheio em somar com essa mobilização, vez que, somente nos primeiros meses do ano, já se registraram mais de 10.000 casos de dengue em Rondônia, e 17 pessoas foram a óbito vítimas da dengue hemorrágica que é o tipo mais perigoso dessa doença.

Vale lembrar que, em 2010, o Estado de Rondônia registrou milhares de casos de dengue. Apesar disso, muitas pessoas continuam não limpando os seus quintais e deixando vasilhas diversas com água estagnada dentro de casa. Com isso possibilitam a formação de focos da doença que continua se alastrando por todo o Estado.
Os canais competentes estão cobertos de razão. Quem não abrir suas casas e quintais para averiguação dos órgãos envolvidos com essa mobilização deve ser conduzido à polícia, para responder pela sua irresponsabilidade, principalmente, por estar colocando em risco a saúde e a vida dos transeuntes.

CADÊ AS CICLOVIAS DA CAPITAL?

Praticamente todos os dias alguma família é enlutada em Porto Velho, por causa da falta de “Ciclovias Oficiais”. Até agora, essa que foi uma promessa de campanha da atual administração municipal, não foi cumprida.
Então, o que temos é uma série infindável de acidentes, que resultam em mutilações e mortes, além de incalculáveis prejuízos financeiros para os envolvidos, onde quase sempre, quem “se lasca de verdade” são os ciclistas. Principalmente, os mais afoitos, que desconhecem as Leis de Trânsito, e teimam em rodar pela cidade em seus veículos de propulsão humana de qualquer maneira. Também porque na Capital só existe uma “Ciclovia”, na Av. Raimundo Catuária (que antes de existir também foi considerada como a avenida da morte), tanto os acidentes que ali se registravam semanalmente.

Apesar dessa realidade, a prefeitura até agora não instalou novas “Ciclovias Oficias” em artérias como: Av. Amazonas, Av. Jatuarana, Av. Calama, Av. Rio de Janeiro, Av. Imigrantes, Av. Pau Ferro, Av. Tancredo Neves, dentre outras de trânsito automobilístico pesado.

CARRETAS E CAMINHÕES NA AV. JORGE TEIXEIRA

A situação está se tornando insustentável. Estamos nos referindo ao trânsito pesado de caminhões e carretas na Av. Jorge Teixeira, em pleno centro geográfico (urbano) de Porto Velho. É que, do Trevo do Roque até a Av. Imigrantes, e desta até o Porto Graneleiro o referido trecho é considerado como extensão da BR-364, ou seja, trata-se de uma Rodovia Federal. Acredite se quiser. Mas é verdade.

Resultado: mais de mil caminhões e carretas circulam, diariamente, no trecho mencionado, infernizando a vida dos portovelhenses e levando motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres ao desespero, tamanha a quantidade de acidentes que ali ocorre praticamente todos os dias. Muitos dos quais com vítimas fatais.
Entretanto, até agora, a administração municipal não resolveu a situação. Não construiu outro desvio para o trânsito pesado da Av. Jorge Teixeira. A população está reclamando contra a Prefeitura Municipal, que é administrada pelo PT, que é o partido político que está à frente do governo federal acerca de oito anos. 

PRÉ-CANDIDATOS À SUCESSÃO ESTADUAL

Até agora são seis (06) os pretendentes à sucessão do ex-governador Ivo Cassol, que deixou o cargo para buscar uma cadeira de senador da República, em outubro próximo.

São pré-candidatos ao governo: João Cahúlla (PPS), Expedito Júnior (PSDB), Confúcio Moura (PMDB), Eduardo Valverde (PT), Acir Gurgacz (PDT) e Rosângela Cipriano (PSoL). Não se sabe ainda quem serão os VICES de quem. Façam suas apostas. As cartas estão à mesa.

ATÉ A PRÓXIMA, PREZADOS LEITORES !!!


(Disponível em https://www.rondoniagora.com/artigos/deus-proteja-os-que-moram-em-predios-com-mais-de-cinco-andares-os-bombeiros-nao-possuem-escada-magirus)
Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions