Rondônia, quinta-feira, 16 de agosto de 2018
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Artigos

Publicado em Sexta, 29 de Agosto de 2008 - 16h25

NA BOCA DO POVO - POR WALMIR MIRANDA

WALMIR MIRANDA


NARCOTRÁFICO Vs. MALDIÇÃO NA SOCIEDADE

O esforço das instituições de segurança é grande para tirar de circulação os traficantes, vendedores e consumidores de drogas alucinógenas nos 52 municípios rondonienses. Graças a isso, o que se vê nas manchetes da imprensa, todos os dias, é a prisão desses criminosos, bem como, a desarticulação de verdadeiras quadrilhas. Entretanto, apesar da ação constante da polícia, esse “comércio maldito” parece aumentar a cada dia que passa, destruindo seres humanos, causando vergonha às famílias e levando para as prisões jovens, adultos e até pessoas idosas.
Seria bom que todos, sem exceção alguma, estivessem sempre alerta para a ação destruidora dos que vivem da desgraça alheia vendendo drogas e viciando pessoas, que posteriormente, se transformam em escravas desses criminosos. E quase sempre, enveredam por um caminho sem volta. Lamentavelmente.
Para piorar a situação Rondônia faz fronteira com a Bolívia, que sabidamente é um país exportador de cocaína e maconha para muitas partes do Brasil e do mundo. Nesse contexto Rondônia, lamentavelmente, aparece como uma espécie de “corredor” por onde as drogas são escoadas pelos narcotraficantes e, isso finda por possibilitar que os “alucinógenos” se alastrem no meio da população prejudicando principalmente as pessoas mais jovens e inexperientes.
Essa triste realidade está às claras quando os órgãos de segurança detectam que o tráfico de drogas faz a criminalidade crescer em muitas cidades rondonienses. Tanto isso é verdade que, recentemente, um relatório do Sistema Integrado de Informações Penitenciárias (INFOPEN) apontou que, da população carcerária do Estado, cerca de 1.600 pessoas foram para a cadeia devido ao envolvimento com o tráfico, venda e consumo de drogas. Desse total, mais de trezentas são mulheres. Vergonhosa e triste realidade.

JUSTIÇA ELEITORAL

A Justiça Eleitoral está fazendo a parte que lhe cabe com bastante seriedade e competência, tentando alertar a população, principalmente os eleitores, para à necessidade de não “darem” mandato eletivo aos candidatos de “ficha suja”. Os “recados” nos informes publicitários veiculados na Televisão são bastante claros e objetivos.
Portanto, compete à população não eleger, em 05 de outubro, candidatos que estejam sofrendo ações na Justiça, por supostos crimes de: homicídio, imperícia profissional, estelionato, lesão corporal, corrupção, malversação do dinheiro público, compra de votos em eleições anteriores, dentre outros igualmente abomináveis.

DISK-DENÚNCIA

Aliás, quem souber de algum candidato que esteja cometendo mal procedimento (aliciamento de eleitores, formando currais eleitorais, prometendo algum tipo de pagamento para obter votos), não deve ficar calado e aceitar esse tipo de desrespeito para com à Justiça Eleitoral. É só discar o número 148, que é o DISK DENÚNCIA disponibilizado para a população, que imediatamente as providências serão tomadas pela Justiça Eleitoral e pelas polícias Civil, Militar e Federal. Afinal de contas lugar de político corrupto e sujo é na cadeia.

ESTAÇÃO RODOVIÁRIA OU CAGÓDROMO DE POMBOS?

A população de Porto Velho continua aguardando que os “canais competentes” livrem a cidade de um de seus piores cartões postais: a velha, arcaica e superada Estação Rodoviária, bem no coração geográfico da Capital rondoniense.
Já foram anunciadas várias pretensas ações administrativas, visando dar a Porto Velho, - que conta com uma população superior a 350.000 habitantes -, uma nova Estação Rodoviária. Porém, até agora, a coisa não saiu do papel.
Enquanto isso, os usuários daquele estabelecimento público continuam utilizando banheiros fétidos, instalações acanhadíssimas para o embarque e desembarque de passageiros, guarda-volume minúsculo, guichês para aquisição de passagens sem nenhum conforto, minúsculas lanchonetes, e nenhum restaurante com estrutura e conforto adequados ao que a população pede há muito tempo.
O quadro fica ainda pior quando se constata que, em meio às ferragens que sustentam o teto da atual Estação Rodoviária, dezenas de pombos fizeram seus ninhos, resultando numa espécie de “cagódromo pombístico”. Resultado: o mau cheiro toma conta do local e perturba a tranqüilidade dos transeuntes.

CANAL
Entretanto, tem uma boa notícia, em se tratando da Estação Rodoviária portovelhense: já está sendo construído um canal para escoamento dos dejetos que por ali serão escoados para a rede de esgotos. Com isso, as pessoas ficarão livres da fedentina que antes exalava no local. Talvez depois disso surja a nova Estação Rodoviária de Porto Velho. O remédio, portanto, é esperar deitado, porque em pé cansa demais. E pode dar câimbra nas pernas. Por isso, não se pode perder as esperanças, jamais.

NOVAS PRAÇAS

Não se pode deixar de reconhecer que a recuperação de algumas praças importantes de Porto Velho é algo valioso. Isso contribui para a melhoria da qualidade de vida da população.
O que não se pode admitir é que a administração municipal não proteja tais logradouros públicos da sanha animalesca de vândalos e vagabundos que as estão destruindo-as rapidamente.
Já está passando da hora da Prefeitura Municipal implantar a sua Guarda Municipal, para não ficar querendo que o Estado faça esse trabalho, que deve ser de sua responsabilidade, sim, a exemplo de outras capitais brasileiras.
Aliás, bem que a prefeitura poderia mandar limpar, também, a estátua do saudoso ex-governador Jorge Teixeira de Oliveira , assim como, o perímetro onde a mesma se encontra - (Av. Jorge Teixeira, que agora é prolongamento da BR-364, entre a Av. 7 de Setembro e a Rua Afonso Pena).
Por tudo que o Coronel Jorge Teixeira de Oliveira fez por Rondônia e sua gente a sua memória deveria ser melhor preservada pelas autoridades municipais e estaduais. Ou não?

MEMORIAL ABANDONADO
E já que o assunto é a lembrança da figura ilustre do “Teixeirão”, vale lembrar que o tal MEMORIAL criado em sua homenagem, no bairro Caiarí, apresenta ares de total abandono. O local só vive fechado, como se ninguém estivesse dando “bulhufas” para a situação. Bem que o governador Ivo Cassol poderia mandar alguém verificar o que é que está acontecendo. Até porque, o local foi cedido pelo Estado para aquela finalidade, posto que, num passado não muito distante ali era a residência oficial do Governador de Rondônia. Lembram? Pois é.

CANDIDATO CHORÃO

Está servindo de piada as aparições na Televisão de um candidato a prefeito de Porto Velho. O “cara de pau”, só falta chorar ao expor suas propostas de trabalho. Já o apelidaram de “candidato chorão”.
Seria isso uma “estratégia de marketing” para sensibilizar a população a dar-lhe nas urnas um voto de confiança? Não se sabe.
Mas que é engraçado é.
É também o caso de se perguntar: o que certas pessoas não são capazes de fazer para obter um mandato parlamentar e depois poder se locupletar do erário público?

TRÂNSITO
Para quem não sabe. Uma das razões das centenas de acidentes de Trânsito na Capital do Estado, mensalmente, é que, a sua frota já supera a casa dos 124.700 veículos automotores, segundo o Detran, além de existirem circulando nas áreas centrais e periféricas mais de 150.000 bicicletas.
Somam-se a isso, as pouco mais de duas mil ruas, avenidas, becos e vielas da cidade.
Isso mostra que é preciso desafogar o trânsito com a abertura de novas vias públicas, bem como, aumentar o tamanho e a largura das artérias de maior fluxo de veículos.
A administração municipal já está fazendo isso em parte.
Porém, de forma muito incipiente para a realidade que aí está. A população está vendo e fazendo o seu julgamento sobre a situação, com certeza.
Quer dizer, o quadro é dos mais delicados. A cidade precisa ter uma melhor sinalização de trânsito, precisa de operação tapa-buracos constantemente, e que se busque uma solução para os estacionamentos de veículos.
Quer dizer, ficar querendo culpar apenas os que praticam direção perigosa ou dirigem embriagados pelo número alarmante de acidentes no trânsito de Porto Velho (inclusive com vítimas fatais) não é uma desculpa sensata.

Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions