Rondônia, quinta-feira, 13 de dezembro de 2018
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Artigos

Publicado em Sábado, 24 de Janeiro de 2009 - 12h13

NA BOCA DO POVO - POR WALMIR MIRANDA

Walmir Miranda


DESCASO COM A POPULAÇÃO

Quando as pessoas se manifestam e denunciam certos descasos para com a cidade de Porto Velho e, por extensão, para com a própria população, elas estão cobertas de razão. É que as pessoas sabem que são elas que pagam os impostos que recheiam os cofres públicos (estadual e municipal), para que os administradores públicos dotem a cidade das condições necessárias à melhoria da qualidade de vida de seus munícipes.
Mas não é isso que ocorre em muitas situações.
É exatamente isso o que está ocorrendo no “PARQUINHO DE CAMINHADAS DE PEDESTRES”, ali na confluência da Av. Guaporé com à Rua Vieira Caúlla, às proximidades do 5º. Distrito de Polícia.
Quem não acreditar que vá ver com os próprios olhos os absurdos que se registram naquele local, que foi feito com o dinheiro público, para beneficiar as pessoas de todas as idades no que concerne à preservação de um bom estado de saúde através de caminhadas, exercícios físicos e formas variadas de diversões.
O local é agradável. Tem boa presença de área verdade e ar puro.
Porém, a Prefeitura Municipal, que inclusive construiu ali novos quiosques para a comercialização de sucos naturais, refrigerantes e comidas típicas esqueceu de três coisas importantes: a) iluminar bem a área do “Parquinho de Caminhadas”; b) Concluir os serviços que ficaram pela metade após o período eleitoral (principalmente não permitir que o matagal tome conta de tudo); c) segurança, vez que, sem a presença de vigilantes ou de policiais os marginais estão fazendo daquele local “ponto de concentração e realização de tramóias malévolas” contra as pessoas de bem.
Ante essa realidade o que se vê é os transeuntes serem alvo de agressões verbais por parte dos vândalos e vagabundos que tomam conta do local.
As senhoras e senhoritas são as mais atingidas por galanteios desrespeitosos e palavras de baixo-calão que lhes são endereçadas.
Já as crianças, sequer podem brincar direito nos brinquedos instalados no local. É que, “marmanjos”, sem o mínimo de vergonha na cara, simplesmente aboletam-se nos brinquedos, como se fossem os donos daquele logradouro público.
Assaltos e brigas estão se transformando em rotina no local.
Isso é uma vergonha.

BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE RONDÔNIA (1)

O Estado de Rondônia possui uma população estimada em um milhão e meio de habitantes, um contingente eleitoral superior a um milhão de eleitores, sendo que a cidade de Porto Velho, capital rondoniense mantém o maior colégio com mais de 250 mil eleitores, segundo dados do Tribunal Regional Eleitoral. Isso equivale a quase 25% do colegiado eleitoral rondoniense, enquanto o interior com mais de 750 mil eleitores, provavelmente dará as cartas nas eleições de 2010, elegendo a maior parte dos deputados estaduais e federais, enquanto à eleição para senadores e, também para o governo estadual permanecem como uma incógnita, face questões que estão em curso na área do Poder Judiciário, inclusive, nas altas cortes de Justiça do País.

BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE RONDÔNIA (2)

Várias regiões do Estado foram atingidas nos últimos anos pela migração interna, ou seja, ocorreu uma grande transformação em alguns pontos geográficos rondonienses, dentre estes: Jacy-Paraná, Vista Alegre do Abunã, Vila de Extrema, União Bandeirantes e Nova Califórnia (distritos do município de Porto Velho, na denominada “PONTA DO ABUNÃ); Também em Nova Mamoré, que integra parte do Vale do Guaporé, onde surgiram novos núcleos populacionais que findaram por adentrar numa parte da Reserva Nacional existente na região, lamentavelmente.
Nessa esteira de acontecimentos muitos migrantes rondonienses se deslocaram para colonizar localidades como: Apuí e Sucundorí, no estado do Amazonas e Colniza (MT). Em Colniza, quase 90% da população local é proveniente de municípios rondonienses, que para ali foram atraídas por projetos de colonização, extração de madeira e pecuária.

BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE RONDÔNIA (3)

O advento das Hidrelétricas do Madeira, no município de Porto Velho, deverá fazer a Capital superar a casa dos 500 mil habitantes nos próximos cinco anos. Isso poderá fazer com que a Capital de Rondônia venha a superar a casa dos 300 mil eleitores até o ano de 2010. Inclusive, Porto Velho, em termos de contingente eleitoral também poderá superar capitais tradicionais como Vitória (ES) e Florianópolis (SC).

BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE RONDÔNIA (4)

Essas coisas por si só mostram o quanto o Estado de Rondônia evoluiu. Mais: a Capital já vive um fluxo de progresso e desenvolvimento inusitado com a chegada de grandes grupos empresariais que nela se instalaram gerando milhares de empregos e riquezas, tanto para os cofres públicos, quanto para a população em geral, com claros sinais de melhoria à qualidade de vida de seus munícipes.

Grandes Shoppings; construção do Novo Porto Fluvial; moderno Centro Político e Administrativo; incremento do Corredor de Exportação de Grãos através da Bacia Hidrográfica do Madeira; grandes pontes sobre os rios Madeira e Mamoré (na fronteira com a Bolívia); recuperação de todo o trecho da BR-319, entre as cidades de Porto Velho e Manaus.

BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE RONDÔNIA (5)

Soma-se a isso a grande expectativa pelo início da construção do Gasoduto de Urucu (AM) - Porto Velho (RO).
Essas coisas são marcas evidentes do quão grande e importante é o futuro de Rondônia ante esse novo contexto de progresso e desenvolvimento que atinge o Oeste da Amazônia Ocidental.

BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE RONDÔNIA (6)

A que se considerar, também, o fato da Capital rondoniense ter se tornando um grande pólo universitário, com mais de dez importantes instituições de ensino superior formando milhares de novos profissionais, nas mais diferentes áreas do saber. Profissionais estes, que já disputam às vagas existentes no mercado de trabalho rondoniense, que a cada ano que passa se torna mais e mais competitivo.
Por isso, é ante essa nova realidade que o Poder Público precisa se debruçar, para se antecipar às coisas desagradáveis que o progresso finda por trazer consigo também. Como por exemplo: o aumento da criminalidade; a problema habitacional; o aumento da frota de veículos automotores; a prostituição; o comércio de armas e de drogas alucinógenas (face à região de fronteira com a Bolívia); os danos ambientais de toda natureza; a corrupção na seara política e a ganância de poder de alguns setores da economia estadual; o confronto ideológico-religioso, etc.

Entretanto, todo esse contexto e as suas variáveis são fatores indispensáveis à consolidação do Estado de Rondônia nos aspectos: social, econômico e político.

Quem achar que não, irá perder o “bonde da história”, com certeza.

Portanto, que os canais competentes, desde já, se organizem para enfrentar a realidade que acaba de se estabelecer em Rondônia com todas as letras e cores possíveis. Só dessa forma se evitará dissabores que poderão causar enormes prejuízos à população.
Também, porque, o tempo não pára, e somente ele é o senhor absoluto da razão. O resto é desígnio Divino, como já dizia a Madre Superiora.
Voltaremos ao assunto.

CADÊ A VIGILÂNCIA SANITÁRIA ?

Certas casas noturnas (clubes, boates, dacings, pagodões, forrozões e casas de shows) continuam sem cumprir com o devido zelo à saúde de seus freqüentadores, ou seja, apresentam setores internos (principalmente nos banheiros, sanitários e cozinhas). A imundície beira o absurdo.
Em algumas casas noturnas a urina proveniente dos banheiros chega a transbordar para dentro das áreas de circulação do público, causando um odor insuportável e nauseante. A coisa se mistura aos dejetos escatológicos, também.
Mas até agora a Defesa Sanitária está fingindo que nada disso está acontecendo.
Isso é uma vergonha.

MEIO AMBIENTE

Já o pessoal que atua nos órgãos de Defesa do Meio Ambiente está merecendo NOTA DEZ, por não permitir que as aparelhagens de som instaladas nas casas de diversões noturnas extrapolem na “altura” do som, como determina à Lei.
É que existe limite para isso, sim.
Um aparelho denominado DECIBELÍMETRO - (medidor de decibéis) -, em se tratando de emissão de sons (barulho), está sendo utilizado pelo pessoal do Meio Ambiente para multar os infratores. E, se ocorrer reincidência, o local pode até ser interditado ou fechado de vez pela Justiça.

UTILIDADE PÚBLICA - (LEIA COM ATENÇÃO)

1. Prezado (a) leitor (a), você sabia que as BARATAS encontradas na região amazônica podem gerar até 800 (oitocentos) descendentes na sua curta existência de apenas 3 a 4 anos ?
2. Outra coisa: as baratas podem transmitir DIFECTERIA e TOXOPLASMÓSE.
3. Você sabia que, dos DOIS TIPOS DE MOSQUITOS AEDES (transmissores da DENGUE), somente o AEDES AEGYPTI tem importância DOMISSANITÁRIA no Brasil?
4. Mais outra: A FEBRE AMARELA também pode ser transmitida pelo mesmo AEDES AEGYPTI.
5. Agora fecha a boca e leia com bastante atenção: AS MÓSCAS vivem de 01 a 03 meses apenas. Porém, nesse período colocam de 500 (quinhentos) e 2.000 (dois mil) OVOS.
6. Ainda sobre as MÓSCAS: elas podem transmitir CONJUNTIVITE, DIARRÉIA, TUBERCULÓSE, CÓLERA e LÉPRA. Pois é.

7. É tempo de CARNAVAL. Cuidado com as DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS - (DST´s), principalmente a AIDS. Vale lembrar que, MUITOS QUE BRINCARAM e NÃO SE CUIDARAM (nas suas atividades sexuais em 2008), NÃO VÃO ESTAR PRESENTES à folia NESTE ANO. Portanto, proteja-se. Não brinque com a sua saúde e, principalmente, com a segurança da sua VIDA... Você só tem uma. Zele por ela.

ATÉ A PRÓXIMA, PREZADOS LEITORES !!!

**********************************************************************

(Disponível em https://www.rondoniagora.com/artigos/na-boca-do-povo-por-walmir-miranda-55120)
Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions