Rondônia, quinta-feira, 13 de dezembro de 2018
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Artigos

Publicado em Segunda, 12 de Janeiro de 2009 - 18h59

Na Boca do Povo - Walmir Miranda

Walmir Miranda


VANDALISMO ABONÁVEL - (1)

É o que se vê por todas as partes de Porto Velho. Parece até que a comunidade se tornou cúmplice de pessoas inescrupulosas que só vivem para destruir as coisas boas e indispensáveis à sua própria qualidade de vida, sobre modo, àquelas construídas pelo Poder Público federal, estadual e municipal.
Essa impressão ocorre em função de que, poucas vezes se ouviu falar que a Polícia Civil ou Militar tenha flagrado ou prendido depois pessoas que vivem destruindo ou roubando as coisas que fazem parte de algum bem utilizado pela comunidade portovelhense.
Por causa disso, o que se vê são pichações por toda parte, principalmente, em estabelecimentos utilizados pela comunidade como: escolas, abrigos em paradas de ônibus, secretarias, postos médicos, hospitais, clínicas, monumentos históricos, dentre outros. E também, em estabelecimentos da iniciativa privada (lojas, supermercados, farmácias, praças de alimentação, mirantes, galerias comerciais, casas de shows, clubes sociais e praças esportivas).
Soma-se a esse vergonhoso quadro a roubalheira de tampas de redes de esgotos (o que coloca em risco a vida das pessoas, e também estão contribuindo para o aumento de acidentes de trânsito. Alguns com vítimas fatais).
É óbvio que as polícias têm de deter esses vândalos, que na verdade são bandidos em potencial e pô-los atrás das grades enquanto é tempo. Sobre modo, para que parem de dar prejuízos à coletividade. Prejuízos esses que atingem os cidadãos que pagam impostos e que, por isso mesmo, possibilitam ao Poder Público arrecadar recursos para fazer tais benefícios à coletividade.

VANDALISMO ABOMINÁVEL (2)

Cabe lembrar que dezenas de aparelhos orelhões continuam sendo danificadas em muitos bairros da Capital. Também continua a roubalheira de fios elétricos da rede de iluminação pública (principalmente nas periferias). Os roubos também se sucedem na fiação específica usada nas linhas telefônicas, sem que os seus responsáveis sejam localizados pela polícia e postos atrás das grades. Não sem antes a polícia os apresentar à imprensa, para que esta, dentro do papel que lhe cabe os mostre à coletividade rondoniense.
Mas tudo será mais fácil se a população colaborar com as corporações de segurança, ou seja, com a polícia, denunciando os vândalos que estão causando tais danos à coletividade. Essa colaboração é imprescindível à ação saneadora da Polícia no combate a tais criminosos. A população, portanto, deve colaborar, posto que, é dessa colaboração que tais bens públicos ou privados contribuem para a melhoria da qualidade de vida nas comunidades urbanas.

OBRAS INACABADAS

A população de Porto Velho continua perguntando: quando é que a Prefeitura Municipal vai exigir que as empresas contratadas para fazer diversas obras (antes das eleições) concluam os serviços que ficaram pela metade e, que, até agora continuam prejudicando o trânsito, contribuindo para alagações, fazendo bueiros transbordarem, contribuindo para o aumento de acidentes de trânsito (inclusive com mortes), prejudicando a sinalização das vias públicas?
Mais: em certos trechos o asfaltamento não foi concluído; em outros estão surgindo matagais que se transformaram em esconderijo de marginais; em dezenas de esquinas as crateras e bocas de lobo continuam sem qualquer tipo de proteção à segurança dos transeuntes; vários trechos viários estão interditados há muitos meses; além de existirem muitas outras pendências que estão irritando os contribuintes, principalmente, em trechos que o asfalto já começa a ficar cheio de buracos pela péssima qualidade da massa asfáltica aplicada ao solo.
É o que se escuta por toda parte de Porto Velho.
Isso é uma vergonha. Tanto que já teria gente fazendo “bunker” fotográfico dessa vexatória e esdrúxula situação, para exibir ao público nas próximas eleições.

DISPUTA AO GOVERNO (1)

Como dissemos nesta coluna, o “movimento” nos bastidores políticos é grande, em razão da sucessão, em 2010, do governador Ivo Cassol.
Muitos já estão dizendo que PMDB e PT estarão unidinhos, ou seja, no mesmo palanque. Outros dizem que haverá um “racha” e, tanto o PMDB quanto o PT lançarão candidaturas próprias, numa estratégia para, em havendo segundo turno, se unirem contra o grupo de apoio político ao governador Ivo Cassol. Faz sentido.

DISPUTA AO GOVERNO (2)

É que, se não houver nenhum acidente de percurso, Cassol deverá obter a maior votação da história no Estado de Rondônia para uma vaga de Senador da República. Os mais otimistas dizem que, se a eleição fosse agora, Ivo Cassol obteria facilmente cerca de 350 a 400 mil votos tamanha a força do trabalho que vem desenvolvendo para a consolidação do Estado em setores como: estradas, agricultura, infra-estrutura administrativa, grandes realizações como (complexo administrativo e político na Capital, conclusão de aeroportos no interior, conclusão de hospitais, construção de mais estabelecimentos educacionais, pontes, aprimoramento do setor arrecadador estadual, redimensionamento do controle e regularização do patrimônio móvel e imóvel estadual, aumento dos efetivos das polícias Civil, Militar, Corpo de Bombeiros e Agentes Penitenciários, contratação de mais servidores para a Educação e Saúde, saneamento básico e rede de abastecimento de água potável na Capital e em diversos municípios, dentre outros).

DISPUTA AO GOVERNO (3)

Os adversários políticos do governador sabem que terão de trabalhar muito e de se unirem em torno de objetivos comuns se quiserem ter chance de não vê-lo emplacar no comando do Estado o seu sucessor em 2010.
Também, porque, se tentam mostrar que na Capital que existiria grande descontentamento com Ivo Cassol, o mesmo não ocorre em relação à maioria dos 52 municípios rondonienses. E em vários deles, Cassol tornou-se a mais expressiva liderança política do Estado.
Porém, há indícios de que pelo menos metade da população portovelhense estaria disposta a apoiar as iniciativas políticas do governador com vistas ao pleito majoritário de 2010.

DISPUTA AO GOVERNO (4)

Já despontam nomes como: Valdir Raupp - o de maior expressão -, Marinha Raupp, Confúcio Moura, Suely Aragão, pelo PMDB; Pelo PT: Fátima Cleide (senadora), Eduardo Valverde (deputado federal) e Roberto Sobrinho (prefeito de Porto Velho e agressor de jornalista); José de Abreu Bianco (DEM); Expedito Júnior (senador do PR); José Cahulla (vice-governador), dentre outros.

DISPUTA AO GOVERNO (5)

O óbvio ululante desde já parece mostrar que, se a “armadilha” supostamente arquitetada pelo PMDB e PT, com o provável apoio de siglas como PC do B e PDT vier a se concretizar, com vistas ao pleito de 2010, possibilitará que grandes partidos como: DEM, PPS, PTB, PP e PSDB, além de uma dezena de “partidos nanicos” se unam em torno do “arco de aliança” a ser formado sob á liderança de Ivo Cassol.
Nada obsta quanto a isso, vez que, em política tudo é possível sim.
E, já pensaram o que representaria, em temos de massa eleitoral a junção de forças políticas entre: Ivo Cassol, Expedito Júnior, José Bianco, Moreira Mendes, Nilton Capixaba, Agnaldo Muniz, Odacir Soares, Hamilton Casara, Juarez Jardim, Ernandes Amorim, além de quase 30 (trinta) prefeitos municipais, 14 deputados estaduais, três deputados federais e cerca de 300 vereadores?
A oposição a Cassol sabe disso e, portanto, deve estar analisando a estratégia a ser colocada em prática contra o mesmo, porque só falar mal dele não tem adiantado de nadica de nada.
Pelo menos foi isso que o colunista em recente estada no interior do Estado constatou com todas as letras.
Daí se continuar admitindo que, a oposição teria no senador Valdir Raupp o único nome de peso capaz de desbancar o poderio político e eleitoral de Ivo Cassol. Porém, se o PMDB resolver bancar “muleta” para o PT a situação mostrará outro quadro totalmente diferente, posto que, sabidamente, apesar da dinheirama que LULA e o governo federal têm possibilitado para Rondônia (leia-se PAC), a sigla petista (na verdade) não possui nenhum nome com carisma suficiente para “abiscoitar” o mais importante cargo político do Estado: o de Governador.
É o que se houve nos quatro cantos de Rondônia.
Mas o tempo, senhor da razão, poderá mudar o que hoje aí está. Dizem os “especialistas” em marketing político.

SUCESSÃO PRESIDENCIAL

Não é por demais lembrar que Lula não mais será candidato a reeleição. Seu tempo se encerrará em 2010, e que o próprio PT não tem nenhum nome com igual carisma dele, para enfrentar partidos grandes e estruturados como PMDB, PSDB, DEMOCRATAS, PPS e PDT.
Daí, já se cogitar que serão grandes as possibilidades de PSDB e PMDB emplacarem o próximo presidente da República.
Em sendo assim, nos estados, serão normais as possibilidades daqueles partidos elegerem os seus governadores.
Mas também existem aqueles estados em que existem grandes lideranças políticas que não estão filiadas àqueles partidos políticos, e que são detentoras de enormes “nichos” eleitorais. E, Rondônia, com Ivo Cassol se enquadra dentro desse contexto, de forma bem visível aos olhos de sua população, apesar dos “entraves” judiciais que enfrenta juntamente com o senador do PR, Expedito Júnior.

CADÊ A VIGILÂNCIA SANITÁRIA ?

Pois é.
Parece que o pessoal da Vigilância Sanitária está dormindo de touca ou então estaria se omitindo no cumprimento de suas obrigações no que diz respeito à defesa da saúde da população portovelhense.
Pelo menos isso está retratado na verdadeira imundície dos banheiros e sanitários de diversos estabelecimentos que atuam como boates, clubes de danças, discotecas, forrozões, pagadões da Capital e Casas de Shows.
Nesses locais, além da ventilação interna ser péssima, salvo raras exceções, os fumantes e os não fumantes se espremem em espaços diminutos ante o frenesi das músicas executadas. Respiram o mesmo ar contaminado por bactérias de todos os tipos, num claro prejuízo à saúde. Tudo em meio ao odor nauseante que sai dos banheiros e sanitários, misturado ao suor e “aromas” de cremes para cabelos e de perfumes diversos.
Em alguns desses locais a urina proveniente dos banheiros e sanitários chega a escoar para dentro das áreas de circulação e de dança, onde as pessoas se divertem, fingindo ignorar a imundície que gravita à sua volta. Pior nessa vergonhosa situação é que algumas dessas “casas de diversões” cobram dos transeuntes de R$ 5 a 30, por pessoa.
Isso é uma vergonha e a Vigilância Sanitária nada está fazendo para coibir tais abusos.

ATÉ A PRÓXIMA, PREZADOS LEITORES !!!

(Disponível em https://www.rondoniagora.com/artigos/na-boca-do-povo-walmir-miranda-54921)
Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions