Rondônia, terça-feira, 17 de julho de 2018
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Artigos

Publicado em Sábado, 05 de Setembro de 2009 - 12h04

Os problemas do trânsito em Porto Velho continuam

Walmir Miranda


BICICLETAS: FALTAM ORIENTAÇÃO E  FISCALIZAÇÃO RIGOROSA  (1)

Há muito que ocorrem inúmeros acidentes envolvendo veículos automotores e ciclistas nos perímetros centrais e periféricos de Porto Velho. Também, além das mutilações, muitas mortes de ciclistas passaram a constar das estatísticas da Delegacia de Acidentes de Trânsito (DAT) e do Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN).

BICICLETAS: FALTAM ORIENTAÇÃO  E   FISCALIZAÇÃO RIGOROSA   (2)

Por que está ocorrendo isso?

Por que os ciclistas são tão reincidentes em desrespeitar às normas de trânsito?
Resposta: porque é necessário que os ciclistas sejam devidamente orientados pelo Detran, pela Secretaria Municipal de Transporte, pela Ciretran, e pela Companhia de Policiamento de Trânsito da Polícia Militar. E, também, que se faça uma fiscalização rigorosa direcionada aos ciclistas.
Somente dessa maneira é que se poderá colocar a situação sob controle e o trânsito deixar de ser tão atingido pelo mau comportamento e desrespeitos cometidos, nas vias públicas da Capital, pelos ciclistas, principalmente pelos que já tiverem idade superior a 16 anos.
É necessário fazer os ciclistas compreenderem que, todos eles têm a obrigação de obedecer às normas de trânsito, ou seja, respeitar o que estabelece o Código Nacional de Trânsito, tal qual os motoristas e motociclistas. Sem por, nem tirar. Os ciclistas estão sujeitos às mesmas punições impostas aos motoristas e motociclistas quando estes cometem infrações no trânsito, quer seja nas áreas urbanas, que seja nas estradas estaduais ou federais.
É preciso que os ciclistas desobedientes sejam multados e, (quando for o caso), terem suas bicicletas recolhidas ao Detran ou aos Distritos Policiais. Especialmente quando de acidentes de trânsito ocasionados por imprudência da parte deles.

BICICLETAS: FALTAM ORIENTAÇÃO  E  FISCALIZAÇÃO RIGOROSA  (3)

Os órgãos responsáveis pela segurança no trânsito precisam encontrar uma forma de fazer os ciclistas entenderem que, eles precisam respeitar a sinalização nas vias públicas, trafegar na mão certa de direção (evitando à contramão), não estacionar em locais inadequados, ter em suas bicicletas: buzina, campainha, freios, farol, pedais com “olhos de gato”, placas de identificação numérica, etc.
Essas coisas são para a própria segurança dos ciclistas que, via de regra, levam a pior quando se envolvem em acidentes de trânsito com outros veículos maiores e mais pesados.
Os ciclistas precisam entender que, a bicicleta é um tipo de condução movida a propulsão humana (pedaladas). Portanto, não é difícil ter a bicicleta sob domínio, fazendo-a trafegar corretamente pelas ruas e, dessa forma, evitar colisões ou abalroamentos com outros veículos.   
  
BICICLETAS: FALTA ORIENTAÇÃO  E  FISCALIZAÇÃO RIGOROSA   (4)

Entretanto, sem tais providencias por parte dos canais competentes, o que se ver por toda a cidade são múltiplos desrespeitos, da parte de ciclistas, no trânsito de Porto Velho e seus arredores.
Pior: muitos desses desrespeitos ocorrem em pontos considerados como “pólos comerciais”, onde existe dificuldade até para estacionar carros e motocicletas.
E os ciclistas ignorando às normas de trânsito “pintam e bordam”. Circulam pela contramão das vias públicas, não respeitam semáforos com sinal vermelho, e estacionam onde bem entendem.
À noite a situação é pior: trafegam em bicicletas sem faróis e sem “olhos de gato” nos pedais e sem buzinas para alertar os transeuntes por estão passando ou querem passar.
Essas coisas contribuem para que o trânsito de Porto Velho se torne ainda mais caótico do que já está.
Por isso, tantas mortes de ciclistas e tantos lares enlutados. Por isso, tanta gente se encontra mutilada e com seqüelas para toda a vida. Por isso, tantos prejuízos financeiros e materiais em decorrência de acidentes de trânsito envolvendo ciclistas. Por isso, os dados assombrosos das estatísticas apresentadas ao público, em se tratando do assunto.

Daí a pergunta que não quer calar: SE AS LEIS DE TRÂNSITO DEVEM SER RESPEITADAS PELOS CICLISTAS, POR QUE OS CANAIS COMPETENTES NÃO TOMAM AS PROVIDÊNCIAS QUE A SITUAÇÃO REQUER?

Com a resposta quem de direito, portanto.     
         
CRIMINALIDADE ASSUSTADORA

A cada dia que passa, a situação está se tornando mais insuportável para a população rondoniense, principalmente na Capital . 
A criminalidade continua crescendo a olhos vistos. Os bandidos afrontam a polícia e a Justiça, com que querendo mostrar que “não estão nem aí” para o caso de virem a ser recolhidos à prisão. Eles apostam na impunidade.
O tráfico e o consumo de drogas alucinógenas, a prostituição (infanto-juvenil e adulta), os crimes de pedofilia, os assaltos, os seqüestros, as “mortes misteriosas” têm sido veiculadas nas manchetes dos diversos órgãos de comunicação (televisões, rádios, jornais e sites). 
As corporações de segurança (Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Federal), se esforçam, mas não estão conseguindo tirar todos os facínoras de circulação, porque a “indústria do crime” se multiplica de forma assombrosa ante os olhos da sociedade.
Daí ser necessário que a população colabore com as polícias, e denuncie os criminosos, inclusive, apontando os seus redutos, para que possam ser localizados e colocados atrás das grades.
Sem essa colaboração a situação fica ainda mais difícil de ser controlada pelos órgãos responsáveis pela segurança pública nas cidades rondonienses.
Detalhe: as denúncias podem ser anônimas, ou seja, quem as fizer terá o seu nome protegido (sigilo) pelas autoridades policiais.

POLÍTICA “TUPINIQUIM”    (1)

Que ninguém se engane.
O caldeirão político está em ebulição crescente. No entender de muitos a campanha de 2010 já começou, ou seja, estaria nas preliminares de bastidores.
Dá para se ter uma visão de que, a sucessão de Ivo Cassol no cargo de governador, terá aspectos atípicos, em razão da era das hidrelétricas do rio Madeira, da presença de grandes grupos empresariais que aqui estão se estabelecendo e, sobre modo, pelo aumento do número de eleitores que ocorrerá até outubro de 2010. Atualmente, o contingente eleitoral do município de Porto Velho ultrapassa os 230.000 eleitores. E possível que ultrapasse os 250.000 até às eleições,
Assim, no momento, os nomes mais “badalados” para o mais importante cargo político do Estado são: Expedito Júnior (PR), José Bianco (DEM), Valdir Raupp (PMDB), Marinha Raupp (PMDB), Confúcio Moura (PMDB), Suely Aragão (PMDB), Natan Donadon (PMDB), Fátima Cleide (PT), Roberto Sobrinho (PT), Eduardo Valverde (PT), João Cahúlla (PP), Ernandes Amorim e Mauro Nazif (PSB), dentre outros. 

POLÍTICA “TUPINIQUIM”   (2)

Como se sabe, o governador Ivo Cassol não mais poderá concorrer ao cargo. Porém, deverá ter forte influência na escolha de seu sucessor. Por isso, a expectativa sobre a aliança suprapartidária, que deverá formar, em torno do candidato que vier a ter o seu “aval” perante a população. 
É grande, também, a expectativa sobre as futuras coligações entre grandes e pequenas siglas político-partidárias, que buscarão quebrar a hegemonia formada pelo governador, que até agora foi o único a se reeleger desde que Rondônia alcançou à condição de estado federativo brasileiro.

POLÍTICA “TUPINIQUIM”    (3)

Comenta-se que haveria a possibilidade de surgir ao menos três grandes coligações, a depender da observância e respeito à VERTICALIZAÇÃO, imposta pela legislação eleitoral em vigor no País.
 
Essas coligações poderiam vir a ter as seguintes siglas partidárias:

1. PP, PSDB, PR, PSDC, PTB, PTN, PSC, PDC, PSL e PMN.
2. PMDB, PT, PDT, PC do B, PCB.

(*) Sendo que, PSB (de Mauro Nazif) e DEMOCRATAS (de José Bianco), também poderiam possibilitar uma terceira via alternativa, com vistas a disputa, nas urnas, ao cargo de governador do Estado. Essa hipótese não pode deixar de ser descartada.  Assim como, não se poderia descartar a possibilidade do DEM e PSB virem a “reforçar” uma das duas coligações acima.
 
Entretanto, repetimos, será preciso aguardar as definições das candidaturas à presidência da República, ou seja, as decisões das Executivas nacionais dessas siglas partidárias, para então se vislumbrar a possibilidade das coligações estaduais.

Por exemplo: se o PT lançar candidatura própria à presidência da República, e o PMDB também, ambos NÃO PODERÃO SE COLIGAR NOS ESTADOS, por imposição legal da VERTCALIZAÇÃO.  O mesmo exemplo vale para as demais siglas partidárias que irão disputar às eleições majoritárias de 2010. 

FERROVIA MADEIRA MAMORÉ  OU   “TORRE DE  BABEL”?

É o que os porto-velhenses estão se indagando sobre o badalado “Projeto de Revitalização da Ferrovia Madeira Mamoré”, também conhecido como “Beira-Rio”, no trecho que vai da antiga Estação de Passageiros, na Capital, até a Vila de Santo Antônio do Madeira, numa extensão de aproximadamente 15 quilômetros.
A obra parece que não vai acabar nunca. Os trabalhos caminham a passos de cágado.
Enquanto isso, o que ainda resta da lendária ferrovia está se acabando, face às intempéries da natureza e atos de vandalismo. A imundície e a sujeira tomam conta de tudo.
Os visitantes, principalmente, os turistas ficam horrorizados e decepcionados com o quadro com o qual se deparam. Chegam a comentar que, “é inacreditável o desprezo e a omissão dos canais competentes para com o mais importante marco histórico de Rondônia”, que há décadas aguarda por essa tão propalada restauração.
À noite, à ausência de policiamento no local, faz com que galpões, oficinas e vagões sirvam de motel e “cagódromo” para noiados e delinqüentes que perambulam pelo histórico local. Triste e vergonhosa realidade.

“VALE DO GUAPORÉ” SAINDO DO ISOLAMENTO

A promessa vai se tornar realidade.
Conforme o Ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento havia confirmado, através do Denit a BR-429, na região do Vale do Guaporé, estará com o seu asfaltamento concluído até o final deste ano.  
Inicialmente, o asfalto beneficia o trecho que interliga os municípios de Alvorada do Oeste e São Miguel do Guaporé, com extensão de 105 quilômetros.
Os recursos estão assegurados, vez que, fazem parte do montante global que está incluído nas obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).
Dessa forma, o progresso se fará mais presente à região que é bastante populosa e, inclusive, abriga várias etnias indígenas.
O asfaltamento da BR - 429 irá beneficiar as populações fixadas nos municípios de Alvorada do Oeste, São Miguel do Guaporé, São Francisco do Guaporé, Seringueiras e Costa Marques, no “Vale do Guaporé”.
Com essa importante obra do governo federal a região estará saindo do isolamento, e ampliar-se-ão as oportunidades à consolidação de progresso e desenvolvimento aos seus habitantes. Isso, conseqüentemente, gerará milhares de oportunidades de empregos no Estado.
A população já está comemorando essa importante conquista, que levou décadas para se tornar realidade.
Como diz o adágio popular: antes tarde, do que nunca!
 
ATÉ A PRÓXIMA, PREZADOS LEITORES !!!

                                             **********************************
 


Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions