Rondônia, terça-feira, 21 de agosto de 2018
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Artigos

Publicado em Quarta, 24 de Novembro de 2010 - 18h20

PERIGO: população teme que chuvas e ventanias venham a ocasionar curtos-circuitos pelo atrito de árvores com a rede elétrica

Walmir Miranda


1 - A população está mais do que correta ao se preocupar sobre o perigo que pode advir do contato de galhos de árvores ornamentais com a fiação da rede pública de energia elétrica em Porto Velho.

Como se sabe, em incontáveis vias públicas da Capital rondoniense existe muitas árvores ornamentais, tanto em meio aos canteiros, quanto nas suas laterais, que há muito tempo não passam por podagem dos galhos mais crescidos e que estão alcançando a rede de energia elétrica. 

Essas árvores, sem sombra de dúvida, representam enormes riscos de, quando das chuvas fortes ou ventanias atingirem à fiação elétrica, e assim causar curtos-circuitos, cujas labaredas poderão atingir estabelecimentos comerciais, residências, veículos e até pessoas que estiverem ao alcance das mesmas.

Muitos já foram os casos de ocorrências até de sinistros de grandes proporções, na cidade de Porto Velho, em decorrência de curtos-circuitos. Também se sabe de pessoas que morreram eletrocutadas em meio a poças d´agua, após algum fio da rede elétrica cair ao solo e ficar submerso à percepção dos transeuntes.

Por isso, é de bom alvitre que a Prefeitura Municipal e o Corpo de Bombeiros Militar atentem para essa justificada preocupação da população portovelhense, que todos os anos, quando da chegada do período invernoso se vê às voltas com o perigo dos curtos-circuitos.

Pode-se até mencionar alguns pontos centrais e periféricos da cidade, que estão sujeitos a esse tipo de problema, que inclusive coloca em risco a integridade física das pessoas e de seus patrimônios. Dentre esses pontos estão aqueles entre: Av. Vieira Cahulla e Av. Calama (na Av. Mamoré), inclusive tem parte que não dar sequer para ver a sinalização de trânsito, principalmente no cruzamento formado pelas avenidas Pinheiro Machado e Calama; Av. Guaporé, entre Cahulla e Calama; Av. Nações Unidas, entre Almirante Barroso e Raimundo Cantuária.

Na Av. Imigrantes (ex-Costa e Silva), a ameaça é o tamanho das palmeiras plantadas entre as avenidas Governador Jorge Teixeira e Lauro Sodré; Av. Carlos Gomes (entre Terreiro Aranha e Farqhuar); O problema também existe em alguns trechos da rua Rui Barbosa (Arigolândia).

Entre as Avenidas Mamoré e Guaporé (pela Av. Rio de Janeiro), árvores ornamentais e postes de fiação elétrica se confundem numa altura que os galhos chegam quase a tocar o chão. À noite, naquele trecho, a escuridão se torna “um prato feito” para acidentes de trânsito. Valendo lembrar que, ali, recentemente, duas jovens se acidentaram e perderam suas vidas. Aliás, parte dos postes da rede elétrica (sendo alguns pertencentes ao “linhão”) está totalmente fora do alinhamento dos canteiros de plantas feitos pela prefeitura.

Na Av. Brasília, também existem algumas árvores enormes que precisam ter seus galhos desbastados, antes que algum acidente grave aconteça. O mesmo ocorre na Av. Lauro Sodré, entre as avenidas Calama e Imigrantes.

Também temos informações que nas zonas Sul e Oeste da Capital rondoniense existem muitas árvores ornamentais, inclusive, mangueiras, cujos galhos já estão “lambendo” à fiação elétrica. Mas até agora, nem a prefeitura, nem o corpo de bombeiros tomou qualquer providência para resolver o problema.

Será que estão esperando que outras mortes se registrem, para então “fazerem o dever de casa”? É a pergunta que não quer calar.

Portanto, seria de bom alvitre que os “canais competentes” entrassem em ação logo. Certamente que a população iria agradecer por isso, pois afinal de contas paga uma pesada carga de impostos, e tem direito a uma melhor qualidade de vida e segurança contra acidentes dessa espécie. Ou não?

2 - LEMBRETE PARA A CLASSE POLÍTICA

Daqui a pouco entrarão em funcionamento os parlamentos estaduais (assembléias) e federais (câmara e senado) com as suas novas composições, ou seja, com aqueles e aquelas, que foram eleitos em outubro pretérito.

E certamente que um tema dos mais importantes que deveriam abordar é o que diz respeito ao LIMITE DA PROPRIEDADE DA TERRA NO BRASIL.

Aliás, sobre esse tema os políticos falaram pouquíssimo durante a campanha eleitoral de 2010. Por quê? Não se sabe.

Se por omissão ou desleixo, isso não se justificaria jamais.

O problema é sério, é grave. E responsável pelo rio de sangue que continua correndo nas cinco regiões brasileiras, nas áreas rurais. Tudo porque falta terra legalizada para milhões de sem-terra plantar, morar e produzir alimentos para as populações urbanas, assim como, desinchar as populações das metrópoles.

Sobre esse assunto convém mencionar que, no Brasil estimativas dão conta que existiriam pouco mais de dois milhões e meio de pequenos agricultores, que ocupam algo em torno de 3% da área disponível para a agricultura.

Enquanto isso, apenas 50.000 grandes fazendeiros ocupam a metade desses mesmos 3%, numa concentração imoral de riquezas latifundiárias no País.

Não é só isso. Esses pequenos agricultores são donos de terrenos de no máximo 200 metros de frente por 500 metros de fundo.

Porém, para os grandes fazendeiros a situação é bem diferente, segundo se sabe. Suas propriedades têm tamanho mínimo de 2.000 metros de frente por 5.000 metros de fundo.

Portanto, é perceptível que nesse “jogo de desigualdade”, terra de agricultor se mede em METRO, enquanto terra de fazendeiro é medida em QUILÔMETRO.

Aqui se pode perceber, também, que a pequena propriedade gera mais emprego e produz mais alimentos. Tanto isso é verdade que, quem põe o arroz e feijão na mesa dos brasileiros são os pequenos agricultores.

O pequeno agricultor, na verdade, as estatísticas provam isso, é responsável por 70% de todo o alimento consumido no Brasil e também é na pequena propriedade que estaria empregada 75% de toda mão-de-obra do campo.

Assim, resta perceber que, por mais paradoxal que pareça, os grandes fazendeiros e latifundiários só querem saber mesmo de plantar eucalipto, cana de açúcar e soja para exportar.

A classe política, portanto, deveria estar mais atenta a essa realidade. Porém, parece não estar se importando muito com a situação.
Sobre modo, porque muitas dessas grandes propriedades pertencem a estrangeiros.

Gente, portanto, que vem para o Brasil com a fixação mental de enriquecer à custa da exploração do território. Um claro exemplo disso é dado pelo banqueiro George Soros, que comprou uma área equivalente a um terreno de 30 km de frente por 50 km de fundo, só para plantar cana.

Outro exemplo dessa deplorável realidade foi dado pelo argentino Gustavo Grobocopatel que se tornou proprietário de equivalente a 50 km de frente por 50 km de fundo para plantar soja.

É bonito?
Claro que não.

Porém, enquanto a classe política brasileira permanecer alheia a esse tipo de problema, o Brasil jamais superará as discrepâncias regionais que aí estão, principalmente, em termos de ocupação rural, e porque não dizer da imensa necessidade que existe de uma urgente reforma agrária.

O mais lamentável nisso tudo é saber que muitos parlamentares eleitos não sabem nada ou quase nada sobre esse importante tema nacional. Noventa por cento deles estaria interessada apenas nas questões lucrativas, através de grandes empresas nacionais e até mesmo das multinacionais que estão “abocanhando” aos poucos considerável parte do território nacional.

Acorda Brasil! Voltaremos ao assunto.

3 - ENEM: NOVA PROVA SERÁ DIA 15 DE DEZEMBRO 

Depois da tremenda “patuscada” que foi a realização em todo o território nacional das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), no dia 06 deste mês, quando ocorreram erros grosseiros e absolutamente inaceitáveis, que prejudicaram dezenas de milhares de estudantes que sonham obter vagas para as Universidades Federais, o Ministério da Educação (MEC) confirmou a realização de NOVAS PROVAS - (somente para os estudantes que entraram com recursos junto ao INEP – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) – para o dia 15 de dezembro próximo, às 13 horas, horário de Brasília-DF. 

O ministro da educação, Fernando Hadad, e o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP), Joaquim Soares Neto, após reunião com os representantes do consórcio Cesp/Cesgranrio, responsável pela aplicação das provas, confirmaram que as NOVAS PROVAS serão mesmo aplicadas em 15 de dezembro, para não prejudicar os calendários de Exames Vestibulares das Universidades Federais brasileiras.

Detalhe importante: o referido consórcio continua analisando 116.000 Atas que foram lavradas nos locais onde se realizaram as primeiras provas. Através dessa análise serão detectados todos os alunos que se consideraram prejudicados quando das PRIMEIRAS PROVAS, sobre modo, em relação aos problemas ocorridos com o Caderno Amarelo de Respostas de Questões.

Naquelas Atas, portanto, estão os relatos feitos pelos estudantes aos fiscais nos locais onde ocorreram as provas do ENEM. É importante lembrar que 21.000 cadernos amarelos apresentaram erros grosseiros que findaram gerando toda a celeuma que aí está. Um “pepino dos grossos” para o MEC e o INEP degustarem pela segunda vez consecutiva.

Os estudantes, portanto, devem ficar atentos ao horário (13 horas), observando o fuso horário de Brasília-DF, que pelo horário de verão apresenta uma diferença de duas horas em relação ao fuso horário da Região Norte. Dessa forma, os estudantes deverão estar nos locais das provas às 11 horas, horário local. Olho vivo, moçada! E boa sorte!

4 - “GANG DA PERUCA” ESTÁ NA CADEIA

Demorou mas a Polícia Militar, em outro excelente trabalho, logrou êxito na localização e prisão dos bandidos que formavam a denominada “Gang da Peruca”, que vinha infernizando a vida dos empresários e moradores da “Zona Leste” portovelhense.

Agora os marginais Fábio Cunha do Nascimento e Diego Carlos Soares, além de dois menores, ambos de 17 anos de idade, estão atrás das grades para alívio da população.

O bando foi preso pela PM no início desta semana, após terem feito uma série de assaltos, ameaças a transeuntes, e também estarem sob suspeita de um homicídio em Porto Velho. Com eles os policiais encontraram uma peruca que era usada nos assaltos e um revólver 38, que teria sido roubado possivelmente de alguma instituição policial.
É como diz o velho ditado: “o crime não compensa, e lugar de bandido é na cadeia”.

5 - RIO DE JANEIRO: PM JÁ EXPULSOU MAIS DE MIL

Por falar em Polícia Militar, a população de Rondônia continua acreditando e torcendo para que a nossa PM jamais chegue ao ponto que a sua congênere do Rio de Janeiro chegou, em relação à corrupção e bandidagem no seio da corporação.

Para se ter uma idéia sobre o problema: no Rio, somente nos últimos três anos, o comando geral da PM já expulsou de suas fileiras mais de 1.000 (mil) policiais corruptos, ladrões, assaltantes, seqüestradores, além de outros tantos que se transformaram em milicianos covardes, ou colaboradores de narcotraficantes e assassinos. Foram policiais que deixaram de ser Agentes da Lei para enveredarem pelos caminhos tortuosos do crime nas suas múltiplas formas. 

Isso é algo extremamente lamentável, que por vezes tem coberto de luto e vergonha a PM do Rio de Janeiro, diminuindo-lhe o crédito junto à população carioca.

Talvez esse quadro da segurança pública seja uma das razoes pelas quais o filme Tropa de Elite – 2, já tenha se tornado recordista de bilheteria, em todos os tempos, com mais de dez milhões de expectadores no País. Especialistas no assunto comentam que, o contexto do referido filme seria espécie de “retrato” dos graves problemas que afligem a Polícia Militar do Rio de Janeiro. Será? Indagam-se os céticos e os visionários.

Enquanto isso, a população carioca é quem “paga o pato”, diante da voracidade dos criminosos, que agem como que a zombar das corporações de segurança do Estado. Triste realidade.

6 - GOVERNADOR ELEITO E SEU SECRETARIADO

Apesar das especulações que se ouve por toda parte, o governador eleito Confúcio Moura (PMDB) só deverá anunciar seu secretariado ao final da primeira quinzena de dezembro próximo.

Mas é verdade que ele está conversando com os partidos aliados e analisando nomes que lhe estão sendo sugeridos, sim.

Entretanto, Confúcio Moura, ainda não declinou o nome de ninguém para as diferentes pastas estaduais. Porém é certo que entre os dias 10 e 15 de dezembro, essa ansiedade chegará ao fim, com o próprio governador revelando à imprensa e a população o seu staff administrativo.

Uma coisa é certa: tem gente “querendo se escalar” antes da hora e que vai se arrepender por isso. É só uma questão de tempo.
Sendo assim, resta aguardar.

ATÉ A PROXIMA, PREZADOS LEITORES!


Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions