Rondoniagora.com

Rondônia, 27 de Setembro de 2022
Banner
Siga o Rondoniagora

Política

LIMINAR GARANTE DIPLOMAÇÃO DE NATAN DONADON COMO DEPUTADO FEDERAL POR RONDÔNIA

Sexta-feira, 17 Dezembro de 2010 - 11:01 | RONDONIAGORA


O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu medida cautelar ao ex-deputado federal Natan Donadon (PMDB/RO) e suspendeu os efeitos de decisão do Tribunal Superior Eleitoral que o enquadrou na denominada Lei da Ficha Limpa (LC 135/2010) e indeferiu seu registro de candidatura para as eleições de 2010.

Na Ação Cautelar (AC 2763), distribuída ao ministro no dia 15 de dezembro, o ex-parlamentar pede a validação de seu registro de candidatura e a garantia de sua diplomação para, com isso, voltar a ocupar uma cadeira na Câmara dos Deputados. De acordo com a Lei das Eleições (9.504/2010), o prazo limite para a diplomação dos candidatos eleitos é hoje, 17 de dezembro.

Natan Donadon obteve 43.627 votos, mas como concorreu com o registro de candidatura indeferido em decorrência da aplicação da Lei da Ficha Limpa, seus votos não foram considerados válidos. Inconformado, recorreu ao STF para tentar reaver seu registro e validar os votos recebidos, que lhe garantem a eleição para deputado federal por Rondônia.

Decisão

Em sua decisão (leia a íntegra), o ministro Celso de Mello reconheceu que o TSE transgrediu o art. 15, III, da Constituição Federal, que estende a garantia fundamental da presunção de inocência ao campo dos direitos políticos (que abrangem o direito de votar e o direito de ser votado).

Na avaliação do decano do STF, “o art. 15, III da CF estabelece que a suspensão dos direitos políticos, inclusive do direito de participar do processo eleitoral, somente se verifica, dentre outras hipóteses, em virtude de "condenação criminal transitada em julgado", e não, como entendeu o TSE (com apoio na Lei da Ficha Limpa), em decorrência de condenação meramente recorrível”.

No caso, o ministro faz referência a um Recurso Extraordinário (RE 633.707) em que Natan Donadon contesta a decisão do TSE. O recurso foi encaminhado para a Suprema Corte pelo presidente daquele Tribunal, ministro Ricardo Lewandowski, no dia 9 de dezembro e ainda aguarda deliberação no Supremo Tribunal.

Outro ponto levado em consideração para a concessão da cautelar é o reconhecimento de que “o princípio constitucional da anterioridade eleitoral, previsto no art. 16 da nossa Carta Política impede a válida e imediata aplicação da Lei Complementar 135/2010 ("Lei da Ficha Limpa") às eleições de 2010”, observou o ministro.

O caso

São dois os processos de Natan Donadon que tramitam no Supremo Tribunal Federal relativos à aplicação da LC 135/2010 nas eleições deste ano. O primeiro deles é o RE 633707, encaminhado ao STF pela presidência do Tribunal Superior Eleitoral.

No recurso, o ex-deputado tenta reverter decisão do TSE que manteve indeferido seu registro de candidatura com base na Lei da Ficha Limpa, que ampliou o rol das hipóteses de inelegibilidade para um candidato a cargo eletivo.

Natan Donadon foi considerado inelegível pelo Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia (TRE-RO) por prática de improbidade administrativa, que importou em enriquecimento ilícito. O TRE-RO também considerou uma segunda hipótese de inelegibilidade para Donadon, desta vez uma condenação pelo Tribunal de Justiça estadual (TJ-RO) pela prática de crimes de peculato e quadrilha.

Com relação à primeira causa de inelegibilidade, o Tribunal Superior Eleitoral a afastou ao analisar uma apelação de Donadon contra a condenação por improbidade. Ele obteve no Superior Tribunal de Justiça (STJ) uma cautelar suspendendo os efeitos dessa condenação, o que invalidou a inelegibilidade.

Contudo, permaneceu a segunda condenação do ex-parlamentar pelos crimes de peculato e quadrilha, que foi considerada pelo TSE para fins de impossibilidade da candidatura com base na Lei da Ficha Limpa. Assim, o TSE manteve o indeferimento da candidatura e os votos recebidos por Donadon não foram considerados válidos. No RE a defesa de Donadon contesta a decisão da Justiça Eleitoral e pede o deferimento do registro de candidatura.

Para dar celeridade ao pedido feito no recurso extraordinário (RE) e tentar uma liminar para garantir a diplomação e a posse no cargo de deputado federal, a defesa de Donadon ajuizou no STF a Ação Cautelar 2763. Ao despachar nessa ação, o ministro concedeu a liminar para garantir a diplomação de Natan Donadon. Rondoniagora.com

SIGA-NOS NO Rondoniagora.com no Google News

Veja Também

STF DEFINE QUE LEI DA FICHA LIMPA VALE PARA ESTE ANO

Após cerca de seis horas de julgamento e de novo empate na análise sobre a validade imediata e abrangência da Lei da Ficha Limpa, a maioria dos min...


NATAN DONADON RENUNCIA AO MANDATO PARA EVITAR JULGAMENTO NO STF

Uma manobra para evitar com que o STF julgue na tarde desta quinta-feira um processo sobre desvios de recursos da Assembléia Legislativa de Rondôni...


APÓS MANOBRA DE RENÚNCIA, ADVOGADOS PEDEM INCOMPETÊNCIA DO STF PARA JULGAMENTO DE NATAN DONADON

Como já era esperado, os advogados Bruno Rodrigues, Maurício Corrêa e Mauro Machado Chaiben, que defendem o ex-deputado federal Natan Donadon (PMDB...


STF DETECTA GOLPE DE NATAN DONADON E PROSSEGUE JULGAMENTO

Por maioria de votos o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu seguir o julgamento do ex-deputado Natan Donadon (PMDB), que renunciou ao mandato ont...