Rondônia, domingo, 19 de agosto de 2018
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Artigos

Publicado em Domingo, 23 de Setembro de 2012 - 11h28

DECISÃO SOBRE IBOPE É A PRIMEIRA DO GÊNERO EM RONDÔNIA

Elianio Nascimento


Sob firme vigilância no Acre, as pesquisas do IBOPE começam também a ser questionadas em Rondônia, o que deve fazer com que o instituto reavalie sua metodologia e formas de trabalhar no Estado. No mês de agosto, o TRE do Acre proibiu a divulgação da primeira sondagem, liberada 10 dias depois, mas com fortes críticas da juíza Maha Kouzi Manasfi e Manasfi. “Nas próximas, quero crer, o IBOPE em Rio Branco, por livre espontânea vontade, deverá excluir tudo que não se trate de eleições municipais, logrando, a partir daí, sua credibilidade desacreditada até por políticos da base aliada dos governantes do País.”. A acusação era o direcionamento da sondagem ao candidato do PT em Rio Branco, mas havia ainda um outro problema: a exigência de endereço do eleitor.Nesta sexta-feira, uma outra proibição, agora da nova pesquisa na Capital do Acre, feita pela mesma juíza. Desta vez o autor da ação foi o Ministério Público Eleitoral (MPE), alegando direcionamento nos dados. Na simulação ao segundo turno, apenas os candidatos do PT e PSDB foram estimulados.

O caso é idêntico ao que ocorreu em Rondônia: o nome do candidato Mário Português foi excluído das simulações, levando a bancada comandada pelo advogado Agnaldo Muniz a impetrar medida urgente na Justiça Eleitoral. O juiz da 22ª Zona Eleitoral de Porto Velho, Fabiano Pegoraro Franco deferiu o pedido e a TV Rondônia não poderá divulgar a sondagem.

Especialista em Direito Eleitoral e de uma família com décadas de atuação no Direito, Agnaldo Muniz explica que a decisão em Rondônia abre caminho para uma vigilância mais acirrada nos institutos de pesquisa. “Particularmente no caso do IBOPE, esse instituto nunca acertou sondagens em nosso Estado e um dos casos célebres foi quando anunciou que o ex-deputado Chagas Neto teria quase 90% das intenções de voto ao Senado há alguns anos. O candidato ficou na última posição”, recorda Agnaldo, que atua na defesa do candidato Mário Português.

O advogado acredita que mesmo com recursos ao TRE a decisão sobre o IBOPE não será alterada. “Havia uma indução aberta, levando o eleitor a entender que Mário Português não chegaria ao segundo turno. Estimulando apenas os concorrentes, é claro que a vantagem deles seria maior”, afirmou Agnaldo Muniz.

Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions