Rondônia, segunda-feira, 10 de dezembro de 2018
Últimas Notícias   Rondoniagora.com no Facebook Rondoniagora.com no Twitter Rondoniagora.com no Youtube

Artigos

Publicado em Sexta, 07 de Março de 2014 - 08h32

Subserviência linguística

David Nogueira


Subserviência linguística

Leia Mais
Estou longe de ser um purista linguístico. Pelo contrário, admiro esse vigor que as línguas possuem em se adaptar, inovar, evoluir, avançar em direção à economicidade, à lógica de diferentes meios sociais, à eficiência comunicativa e à simplificação da vida do usuário nativo. Esse é um processo incontrolável e avassalador que se consolida ao longo dos tempos. Para se ter uma ideia desse dinamismo em mutação, o compêndio Ethnologue registra 6.912 línguas faladas em todo o mundo nos dias atuais. Do velho Latim Romano, vieram o português, italiano, francês, galego, provençal, romeno, catalão e o dalmático (falado antigamente na região da Croácia e hoje língua extinta). Dá para acreditar nisso?

2. Eficiência presente

Como pode ser visto, em menos de 2 mil anos, o isolamento de comunidades, o adaptar-se linguístico juntamente com dezenas de outros fatores produziram línguas díspares a partir de um tronco comum, entretanto, todas com plena eficiência para a comunicação plena. Não cabe falarmos em uma língua ser melhor ou pior do que a outra. Todas são plenas e cumprem integralmente suas funções. A cada inovação ou necessidade do falante, novas estruturas e novos vocábulos são criados pelo meio dando eficiência plena à língua. Fantástico isso.

3. Aculturamento

Constatado esse processo histórico, há outros acontecimentos, no âmbito linguístico, que se distanciam um pouco desse procedimento natural.  Sem dúvida, algo incômodo aos meus puros e castos ouvidos. Isso se evidencia não só nos dias atuais, porém, é nítido, assume uma maior velocidade nestes tempos de globalização. Países inteiros deixam de usar suas línguas maternas, suas palavras vivas, em expressões do cotidiano, com a clara intenção em se aproximar culturalmente do dominador econômico de plantão. Nesse caminho, somos invadidos por uma enxurrada de palavras e expressões inglesas descabidas e constrangedoras. Não empregar algumas expressões na língua do Tio Sam representa quase um insulto ao salutar convívio social de algumas “tribos”.

4. Inglesamento ao portuga

A Imobiliária não vende mais escritórios, apenas anuncia “offices”, com vistas a atender a “business” de todos os tamanhos. O velho “Cachorro Quente” passou a ser o corriqueiro “Hot Dog”! A liquidação tão esperada virou “Sale”, e o desconto de 30% passou a “30% Off”! A festa do tigrão, na qual o Bar é franqueado ou livre, agora é com “Open Bar”! As pausas entre palestras ou atividades quaisquer, inexplicavelmente,  tornaram-se, ao invés de “intervalo de lanche ou café”, no patético e descabido “coffee break”! Dar uma melhorada no próprio visual passou para renovar o “Look”! E a lista de anglicanismos, tal qual a uma sangria desatada, não estanca aí, a revelar nosso enorme fascínio pelo “talento” da língua alheia.

5. A língua nos revela

Esse aculturamento linguístico não é um processo novo e nem exclusivo do Brasil. Ao longo da história, diferentes línguas se impuseram pela força do poderio econômico e militar. O que causa espécie, em tal caso, é o fato despolitizado e subserviente com que as elites intelectuais deste país se sujeitam impavidamente a esse processo. Falar, escrever ou citar frases ou expressões em inglês virou chique, elegante... culto!!! Vivemos em um mundo onde todos precisam dominar uma língua comum, e o inglês já foi escolhido para tal. No entanto, essa necessidade não quer dizer que sejamos obrigados a negar nosso passado e nossa história, aceitando o rebaixamento de nossa língua materna. Afinal, cara pálida, ela constitui um dos principais elementos aglutinadores e perpetuadores de nossa genuína e fantástica brasilidade. Reguemos a nossa “última Flor do Lácio, inculta e bela”*.

E se não concordou... dane-se (shit for you)!

*... a Língua Portuguesa foi o último idioma nascido do Latim Vulgar, falado na região do Lácio, na Itália, pelos soldados romanos.


(Disponível em https://www.rondoniagora.com/artigos/subserviencia-linguistica)
Rondoniagora.com





2016 © Rondoniagora.com - Jornal Rondoniagora é uma publicação de Central de Jornalismo, Produção, Marketing e Assessoria Ltda. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização escrita da direção, mesmo citando a fonte.

Avenida Guaporé, 4248 - Bairro Igarapé - Porto Velho - RO (69) 3225-9705

Desenvolvido por
Idalus Internet Solutions