Rondônia, 03 de Dezembro de 2022
Jornal Rondoniagora
Siga o Rondoniagora

Geral

JUSTIÇA FEDERAL OBRIGA USINAS A AJUDAR DESABRIGADOS E REALIZAREM NOVO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL

Terça-feira, 11 Março de 2014 - 08:41 | Justiça Federal


JUSTIÇA FEDERAL OBRIGA USINAS A AJUDAR DESABRIGADOS E REALIZAREM NOVO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL
A decisão liminar é da 5ª Vara da Justiça Federal: as populações que vivem em regiões acima das usinas de Jirau e Santo Antônio, às margens dos reservatórios subdimensionados no estudo de impacto ambiental, e que foram atingidas pela cheia do Rio Madeira, terão suas necessidades básicas de moradia, alimentação, transporte, educação e saúde bancadas pela Santo Antônio Energia e pela empresa Energia Sustentável do Brasil, enquanto durar a situação de emergência e até uma decisão definitiva sobre a compensação, indenização e realojamento, sob pena de pagamento de multa diária de R$ 100 mil.



A ordem judicial foi dada em uma Ação Civil Pública (2427-33.2014.4.01.4100) movida pelos Ministérios Públicos Federal e Estadual, Ordem dos Advogados do Brasil, Seção Rondônia, Defensoria Pública do Estado e da União em face das empresas construtoras das usinas e outros réus, em processo que tramitam na vara ambiental e agrária da Seção Judiciária de Rondônia.

A Justiça determinou também a realização de novo Estudo de Impacto Ambiental considerando todos os impactos decorrentes da vazão/volume histórico do Rio Madeira em relação a todos os aspectos mais relevantes, dentre eles: a ictiofauna de todo o rio, o tamanho dos reservatórios a montante (curva de remanso, populações afetadas, estradas alagadas, patrimônio histórico, reservas ambientais afetadas - fauna e flora, cheia dos igarapés, lençóis freáticos e consequências no solo e subsolo) e os reflexos a jusante (desbarrancamentos e movimentação de sedimentos e novas áreas de remanso).

Nos autos do processo, o Instituto Nacional do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis/IBAMA ficou obrigado a supervisionar todo o procedimento junto aos demais órgãos responsáveis (DNIT, IPHAN, FUNAI, ICMBio, ANA, ONS, ANEEL dentre outros), considerando as opiniões e informações dos especialistas (engenheiros, agrônomos, geólogos, sociólogos, antropólogos e economistas) indicados pelo Ministério Público e custeados pelos consórcios. A decisão liminar é assinada pelo juiz federal Herculano Martins Nacif, titular da 5ª vara ambiental e agrária, que entendeu haver, sim, nexo causal entre a enchente e seus efeitos para milhares de desabrigados, que moram acima das usinas hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio, com o comportamento das empresas que produzem esse tipo de energia no Estado. Rondoniagora.com

SIGA-NOS NO Rondoniagora.com no Google News

Veja Também

RIO MADEIRA AVANÇA E ESTÁ PRÓXIMO DOS 19 METROS

Apenas 4 cm separa o nível do rio madeira da histórica marca de dezenove metros, que pode ser alcançada neste final de semana, segundo informações ...

Cheia causa prejuízos para empresa de ônibus que faz trajeto até o Acre

A contabilidade do mês de fevereiro ainda não acabou, mas a gerência da Viação Rondônia, empresa que atua no transporte de passageiros entre Acre e...